domingo, 31 de outubro de 2010

Justa Homenagem


Aos pastéis de Vouzela, que vivem na sombra dos de Tentúgal e são mil vezes melhores que eles.

E ao meu rico paizinho que, na última vez que fomos a S. Pedro de Sul, parou em Vouzela e me pressenteou com uma dúzia deles. Souberam-me pela vida.

sábado, 23 de outubro de 2010

Parabéns Alexandre

Hoje faz anos, 4, o Alexandre, um pequeno príncipe luso-sueco, actualmente a viver no Chile.

Espero que tenhas um dia muito feliz, meu querido, com os teus papás e mana.

Estou cheia de saudades vossas e ansiosa por conhecr a Carolina.

Um grande beijinho

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Mal habituada

Aos que me dizem que a Leonor vai ficar mal habituada por ter sempre o pai ou a mãe a adormecê-la, respondo: Mal habituados ficamos nós, com aquelas festinhas que vai fazendo na nossa cabeça até conseguir dormir.

É tão bom. E pensar que, durante meses, não a deixava sequer tocar no meu cabelo.

Mais a mais, daqui a meia dúzia de anos (ou menos) nem vai querer saber de nós. Temos de aproveitar.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

SCUTS

Neste momento, só me falta um pórtico à entrada do prédio. De resto é cada tiro, cada melro. Na viagem casa-trabalho-casa devo apanhar uma meia dúzia (para cada lado).

Mas nem tudo é mau, tenho de reconhecer que esta medida foi excelente para revitalizar a economia das regiões atravessadas pelas estradas nacionais. Consta que a EN 109, por exemplo, tem estado ao rubro.

Aqui a forreta, é que não acha muita piada a contribuir com mais de 6 €/dia (contas por alto) para esse peditório e anda a estudar percursos alternativos.

De modos que, neste momento, a minha dúvida essencial é saber quanto vale

domingo, 17 de outubro de 2010

Banidos

Desta é que foi. Acho que fomos definitivamente banidos dos convivios com amigos. Desconfio que não tornamos a receber convites para ir a casa de ninguém e com razão.

A Leonor está indomável. Desde puxar cabelos a outra menina, a arrancar uma tecla do portátil do tio Tista fez de tudo um pouco e ainda olha para nós com ar de gozo.

Confessamos que não sabemos muito bem como lidar com a situação já que espancar (às vezes parece ser a única solução) dá prisão.

Se o pequenote que aí vem for igual, estamos fritos.

Ass. Uns pais desesperados

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Às 18 semanas

Já sei que vão colocar em causa a minha isenção, mas depois da falar da evolução da Leonor tinha de falar da evolução do/a mano/a que faz hoje 18 semanas.

A curiosidade é enorme, mas o sexo da criaturinha só vai ser revelado no dia 3 de Novembro.

Ando ansiosa para saber se posso despachar a rouparia toda que tenho encaixotada ou se a volto a levar e passar. É que se for menino, nem os interiores se aproveitam (é tudo muito feminino).

Eu aposto no rapaz. Vamos ver.

Assim que o mistério for revelado, escolhemos o nome. Foi assim que fizemos com a Leonor. Tenho feito algumas experiências com a Leonor e vou dizendo nomes para ver como ela os diz e o resultado tem sido muito giro. Seja qual for o nome, ela diz Uão (João), o que nos tem deixado a pensar seriamente na hipótese.

Para já chama-se Bebézinho Neves Pinto, como a avó o baptizou no perfil do Postcrossing, sim que o pequeno já é postcrosser, em nome próprio, e até já recebeu uns 15 postais.

Continuo hiper bem disposta e feliz , não fosse a barriguinha e nem dava conta de estar grávida.

E aos 17 meses

....a princesa rainha, D.ª Maria Leonor, tem um léxico que faz corar de inveja muitos adultos que conheço:

Mamã/Papã
Bu (avô)
Coco (colo)
Cocó (cócó e xixi)
Bola/golo
Água/Pão
Uva
Iguís (Íris, a cadela dos avós maternos)
Kitty (Hello Kitty)
Uão (João)
Oó (voz do burro)
Au au
Miau
Qua qua


Já começa a articular pequenas frases, tipo "an cá", que é como quem diz anda cá.

E trauteia, muito afinadamente, algumas músicas como "O nosso galo é bom cantor" e "Um copo com água" (nesta fazemos dueto, eu inicio a frase e ela termina).

E não, não sou nada mãe babada :), muito menos exagerada

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

As minhas viagens

Faço diariamente 100 kms, casa-trabalho-casa, demorando 35 minutos para cada lado.
Já estou tão habituada que o faço de forma quase automática.

Meto a minha Mariazinha no carro e lá vamos nós, umas vezes a cantar, outras a pensar na vida e no que há para fazer (eu) e a dormir (ela, claro).

É claro que, às vezes, custa. Especialmente ao fim da tarde, em que trago o cansaço de um dia de trabalho e os programas de rádio são mais aborrecidos.

Mas não é nada de outro mundo e não me esqueço que há muitas pessoas (as que vivem nos grandes centros urbanos) que perdem mais tempo nessas deslocações casa-trabalho-casa. E não vão de carro, e também têm filhos e também têm casas para tratar.

É isso que vou lembrando a quem se preocupa muito com o facto de morar longe do trabalho (assim de repente até me lembro de uma vantagem, mas não digo qual :)

sábado, 9 de outubro de 2010

Lua de Mel

Para comemorar os 3 Anos de casados, e aproveitando uma prenda da mana Du, fomos até Lafões.

Ficámos alojados no Mosteiro de S. Cristóvão de Lafões, convertido numa simpática casa de turismo rural, à qual os proporietários dão um ambiente muito acolhedor e familiar.

Gostava de colocar aqui umas fotos, mas deixei a máquina (nova, por sinal) esquecida no restaurante "Casa Luciana" situado algures em Casal de Sejães (Oliveira de Frades). A sorte foi que ainda há pessoas honestas e quem encontrou a máquina fez o favor de a guardar, gesto que me salvou a vida, num momento em que o meu marido já soltava fumo pelo nariz.

Mas quando ma devolverem, posto algumas fotos. Até lá podem ver o site do Mosteiro www.mosteirosaocristovao.com , uma preciosidade preservada à custa da iniciativa privada que, felizmente, ainda se vai verificando em Portugal.

Deixo-vos um pequeno resumo da história deste Convento, sugerindo que o visitem e passem uns dias no meio daquela calmaria.


Fundado no século XII, no tempo de D. Afonso Henriques, o Mosteiro de S. Cristóvão de Lafões permaneceu na ordem de Cister até 1834, altura da sua extinção. Vendido em hasta pública, passou por várias mãos e degradou-se progressivamente, até à sua compra em 1982 pelos actuais proprietários. Procedeu-se então a um cuidadoso restauro, com respeito
absoluto pelos espaços e ambientes monásticos, como o singular claustro estilo toscano ou a igreja conventual de bela traça, ornada com notáveis pinturas. Localizado nas faldas da Serra da Arada, o Mosteiro alia hoje elevados padrões de conforto a uma estrutura de real interesse histórico, oferecendo alojamento de qualidade no belo cenário da região de Lafões.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

3 Anos, e uma carrada de filhos, depois




Faz hoje 3 anos que saímos de braço dado da Igreja da Nossa Senhora da Penha de França (Vista Alegre - Ílhavo) e de braço dado continuamos e continuaremos pela vida fora. Agora, mais completos, com a nossa ninhada de filhotes.

Feito o balanço, a dois como tudo, concluímos que faríamos tudo de novo e da mesma forma.

E acho que isso diz tudo sobre o que estamos a sentir hoje.

domingo, 3 de outubro de 2010

Histórico

Ontem, mais de ano e meio depois, fomos ao cinema, qual casalinho de namorados.

O Nelson queria ir ver o Wall Street e lá fomos depois de deixar a nossa carraça entregue aos avós.

Gostei do filme (o Nelson ficou desapontado e gostou mais do 1.º) e ainda estou incrédula porque sucedeu um facto histórico - NÃO ADORMECI. Para quem conseguiu adormecer com o Mamma Mia é obra.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Hilariante

Esta noite acordei com os risos do meu marido, que me ia dizendo "sou eu Lice, sou eu". Pelos vistos fartei-me de sonhar, e falar, com a Leonor. E dizia "calma, calma", enquanto fazia festas no braço dele, tal e qual faço quando a pequenita está com um sono agitado.

Que filme. Sò visto.

Virus - cuidado com os meus e.mails

Parece que a minha conta de ocrreio electrónico hotmail anda infestada de bicheza e envia e.mails em inglês a todos os meus contactos.

Por favor não abram e.mails meus com título em inglês. Por uma questão de princípio só escrevo em português :)