terça-feira, 31 de agosto de 2010

Mercado do Arrendamento

Dizem que o mercado do arrendamento está em crise em Portugal mas há, pelo menos, uma cidade que escapa a esse estado.

A Nazaré é mesmo uma terra de contrastes e conjuga as reminiscências dos tempos em que era aldeia de pescadores com a modernidade emprestada pelos milhares de turistas que por lá se passeiam.

Ficámos impressionados com a agitação noturna. Qualquer coisa de, na devida proporção, fazer frente às Ramblas.

Achámos muita piada ao fenómeno (na real dimensão da palavra)do arrendamento. Não havia esquina ou parede onde não estivessem 1, 2 ou 3 mulheres com plaquinhas a anunciar o arrendamento de quartos.

Admito que a localização e forma de abordagem me faziam alguma confusão, pois na minha terra, mulheres em esquinas ou encostadas a paredes dedicam-se a outro negócio, mas não deixa de ser pitoresco e merecedor de um estudo sociológico. Já tinha visto uma reportagem sobre isso mas estava longe de imaginar a sua dimensão. A juntar a esta forma de divulgaçao do arrendamento de alojamento particular, há as placas afixadas nas próprias casas e são poucas as que não as têm.

Só visto

Dicas, please

Alguém tem dicas, daquelas infalíveis, para fazer alargar um vestido?

Foi o mais caro que comprei (esquecendo o do casório) e tencionava amortizar o investimento. Já só pedia mais 2 utilizações no próximo mês de Setembro.

Sei que é brega repetir toilletes, mas dá um jeitaço à economia doméstica.

Acontece que os planos foram-se, juntamente com a cintura.

Não havendo solução exequível, terei de me fazer aos shoppings.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

De volta aos tachos e ao tanque

Ai, é incrível com a boa vida acaba depressa. Depois de uns dias sem fazer nenhum, isto se considerarmos que passar a vida a correr atrás de uma pequena endiabrada é fazer nenhum, cá estamos nós de volta ao aconchego do lar.

A Leonor está óptima, obrigada pelas vossas mensagens. Nunca teve comichão, pelo que estou convencida que não ficará com marcas. Agora é só esperar que as feridas desapareçam.

A pequena já sabe onde está o bebé e dá beijinhos na barriga. Claro que não deve fazer ideia do que se trata, mas fica toda orgulhosa por saber apontar para a barriga. Um amor, a nossa filha mais velha.

Quanto a mim, estou na fase de mentalização. Amanhã é o último dia de férias.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Varicela :(

A princesa rainha está com varicela. Tudo porque há cerca de 10 dias fez as vacinas dos 15 meses e um dos possíveis efeitos secundários é precisamente este.

Lá fomos ontem conhecer o SAP da Nazaré. A única coisa a fazer é mantê-la em temperaturas amenas, nada melhor do que um quarto de hotel, e esperar que passe.

Segundo o médico não haverá nenhum problema para mim. Se fosse rubéola seria mais complicado.

Nada demais, portanto. Ossos do ofício, mas ainda assim custa vê-la tão murchinha e cravejada de borbulhas.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Vá para fora cá dentro

Seguindo o conselho do nosso PR escolhemos um destino de férias bem português, a Nazaré.

Já cá tinha estado de passagem, mas não me lembrava de como é bonita a cidade. Pena ser igualmente caótica.

Depois de ontem termos sido recebidos com uma irritante chuva, hoje fomos presenteados com um sol muito agradável que nos permitiu passar belos momentos na praia.

Descobrimos que a praia narcotiza a Leonor, que parece uma santinha de tão cansada que fica e se porta lindamente, sentada na toalha, por ter horror a sentir areia nos pés (nas mãos e na boca não há problema).

O/a junior continua muito bem comportado, nem dou por ele/a.

E são estas as notícias da família Neves Pinto

domingo, 22 de agosto de 2010

Obrigada Joaninha

">

Falar sobre a minha Amiga Joana Quina não é fácil porque só tenho coisas boas a dizer e tenho pavor que as minhas palavras soem lamechas.

Já uma vez aqui escrevi, é incrível a capacidade que a Joaninha tem para transformar as 24 horas do dia em 48h, só assim percebo que consiga envolver-se em tantas actividades e entregar-se aos outros como faz.

Sempre de passo apressado, carregadinha de sacos e com uma risada fácil e contagiante, é assim esta Amiga que, apesar dos múltiplos afazeres, tem sempre tempo para um telefonema ou visita.

Foi um dos grandes pilares da minha reacção à doença, o que nunca esquecerei apesar de não me ter surpreendido. A Joana é assim, tem um coração do tamanho do mundo.

Por tudo o que representas na minha vida, obrigada Joana. Só espero estar à altura de tanta Amizade.

Apesar de ter tido oportunidade de te dar ontem os Parabéns pessoalmente, cá fica um miminho. Espero que gostes da música




Adolescência

Ao que estou a ver, os 15 meses de vida estão para um bebé, como os 12 anos para um adolescente.

A fase da bebé serena e bem comportada já lá vai, agora a princesa rainha está na era das descobertas e da afirmação de personalidade (e que personalidade).

Estamos meio perdidos, sem saber que lhe fazer. Ontem fomos a uma festa de anos e a rapariga parecia ter o diabo no corpo. Nunca se tinha portado tão mal. Fez também a sua primeira, e monumental, birra. Tudo porque lhe tirámos uma bola, um dos seus brinquedos preferidos.

Em resumo, descanso só quando está a dormir. A sorte é que continua a dormir bem durante a noite e faz uma sesta de 2 horas à tarde.

Haja fôlego

sábado, 21 de agosto de 2010

Cegonha

">

Digam lá se não é linda esta música que "roubei" à minha amiga Luísa.

Férias

E já lá vão 3 dias de férias. Incrível como os dias bons voam.

Apesar dos receios, sobrevivi sem danos a 3 dias sózinha com a Leonor.

Já fomos até aos jardins do Europarque dar pão aos peixes, ao zoo de Lourosa e ontem tivemos alomoço de gajas. Tirando o facto de ter de andar sempre a correr atrás dela, a pequenota é uma grande companheira.

Pelo meio ainda tive consulta de obstetrícia no Hospital da Feira. O/a júnior está óptima e eu também. Neste momento posso dizer, com propriedade, que estou a viver um verdadeiro estado de graça.

Na próxima semana já estaremos os 4 juntos e vamos dar um giro, para local ainda a definir.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Concurso de Ideias

Declaro, oficialmente, aberto Concurso de Ideias para o nome da minha criancinha.

Cada participante poderá sugerir os nomes que entender, tendo em conta o seu palpite quanto ao sexo do bebé.

Vamos lá meninas, estou curiosa (eu e a nossa TeresaP :)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Pedagogia moderna (ou talvez não)

Mesmo sabendo que não há regras matemáticas em termos de educação, resolvi perguntar à pediatra qual a melhor forma de, na sua opinião, censurar/castigar a empertigada Leonor que, no alto dos seus 15 meses, já acha que é gente.

A resposta surpreendeu-me. A pediatra é apologista da Lei de Talião, "olho por olho, dente por dente". Que é como quem diz se a Leonor nos morder, devemos mordê-la também; se nos puxar o cabelo, puxamos o dela também.

Pode até ser o correcto, mas não gostei da teoria. Acho que vou apostar no instinto maternal.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Reacções

Vou aproveitar este post para agradecer a todas as Amigas, reais e virtuais, que me têm enviado mensagens de parabéns e procurado tranquilizar.

Até ao momento as reacções têm sido aquelas que esperava. Só uma pessoa me surpreeendeu e pela positiva, o que foi de grande ajuda neste processo. A mais complicada há-de resolver-se com o tempo e deve-se única e exclusivamente a uma enorme preocupação com a minha saúde e uma ainda maior falta de jeito para o demonstrar.

Passando a outro tipo de reacção, a física, tenho-me sentido lindamente. Nem um único enjoo (à semelhança do que aconteceu na 1.ª gravidez), se não fosse o facto de ter feito a eco e de, às 9 semanas, já não ter cintura, nem acreditava estar grávida. Um verdadeiro estado de graça.

domingo, 15 de agosto de 2010

Agora a mamã

Uma vez que a tagarela da Leonor já desvendou o segredo, é vez da mamã vos falar.

Este bebé, cujo nascimento está previsto para 19 de Março (Dia de S. José, o Pai de Jesus) sempre fez parte dos meus sonhos e dos nossos planos.

Por momentos pensei que esse plano não se poderia realizar, pois a infertilidade é um dos possíveis efeitos secundários da quimio.

Tentei conformar-me com essa possibilidade e comecei a dar e emprestar a roupa da Leonor. Fazia questão que fosse usada por muitos outros bebés.

Mas pelos vistos, tudo não passou de mais um pesadelo que acabou por passar.

E 6 meses depois da quimio engravidei. Não era suposto ser tão cedo, por motivos vários que vão desde a minha saúde ao facto de ter uma pequena "terrorista" de 15 meses que absorve todas as nossas energias. Mas acredito (tal como acreditei durante a doença) que Deus sabe o que faz.

Quando recebi a notícia o coração disparou e fiquei com "taquicardia" durante uns bons 5 minutos. A 1.ª diligência foi ir falar com a minha oncologista, que ficou toda feliz. Segundo ela, o único senão é que neste momento não se sente tão segura (como se sentiria daqui a uns 3, 4 anos) para me dizer que não terei uma recaída. Mas mesmo daqui a 3, 4 anos não o poderia dizer com 100% de certeza. Por isso, é seguir a vida normalmente e fazer os exames normais, nos momentos indicados.

A ginecologista diz, de forma aboslutamente convicta, que a quimio não teve efeito sobre este óvulo, pois o que tinha de intoxicar, já intoxicou. Para ela é uma gravidez perfeitamente normal.

E eu, passados os primeiros dias de stress, estou cada vez mais feliz. Só não sei muito bem como é que vou conseguir tirá-los os 2 dos carro e levá-los para o infantário ( e coisas do género), mas não deve ser nada impossível de fazer.

É com muita alegria que irei partilhando aqui o vôo da cegonha.

Obrigada pelo vosso carinho

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Segredo




Para marcar o dia em que fiz 15 meses, resolvi contar-vos este segredo.

Os papás disseram-me que temos um ninho de cegonha cá em casa. Em Março receberemos um belo presente.

sábado, 7 de agosto de 2010

A importância de chamar os bois pelos nomes

Como filha, senti (ainda não ouvi, passados que estão 10 anos) necessidade de ouvir a minha mãe dizer "tenho/tive cancro". Seria, certamente, menos duro do que ir percebendo a situação através de comentários inocentes, mas infelizes, das pessoas que me rodeavam (e às minhas irmãs).

Mas passado é passado e tudo correu pelo melhor, que é o que interessa. Lembrei-me disto só por causa de um episódio que vivi esta semana. Estava eu a almoçar com os meus avós, quando o meu avô pergunta "correu bem, ontem?", referindo-se à retirada do cateter. Respondi que sim e lá veio a pergunta difícil "afinal porque é que te puseram isso?"

Como sabem, tentei proteger os meus avós e evitei ao máximo que soubessem pormenores sobre a minha doença. Mas antes de começar a quimio, tive o cuidado de lhes dizer o que iria fazer. Pensava eu que dizer que iria fazer quimio equivalia a dizer, de forma eufemística, tenho cancro. Pelos vistos, enganei-me redondamente. O meu avô (muito velhinho, muito surdo, mas completamente lúcido) não o percebeu. Na verdade, acho que não quis perceber. Provavelmente terá sido mais uma daquelas situações em que a mente bloqueou a informação, para minimizar o seu impacto.

Desta vez, e estando já em fase de manutenção, senti que tinha de dar nome às coisas, mas nem assim o consegui. Como neta, fui incapaz de dizer "tive cancro" e lá expliquei "tive um linfoma".

É curioso como é difícil chamar os bois pelos nomes. Não tenho a certeza de ter agido bem, em todos este processo. Fiz o que me pareceu correcto, tal como a minha mãe, certamente

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Correu tudo bem

Cá estou eu, mais levezita uns graminhas.
Como diz a Nela, vou deixar de apitar ao sair das lojas.
Correu tudo bem, o processo foi muito rápido e a equipa era impecável, especialmente o médico.

Estava bastante tensa. Apesar de ser indolor não consigo abstrair-me do facto de ter alguém a cortar e coser-me.

Quando me chamaram, perguntaram-me onde era o gânglio que ia tirar. Felizmente acreditaram na minha palavra, quando disse que não tinha nenhum para tirar, e só tiraram o cateter. Bolas, era mesmo só o que me faltava.

No final, pedi para ver o meu amiguinho. O médico mostrou-mo e disse para não pedir para o levar num frasco, porque não podia dar-mo. Tinha de o lavar para servir para o próximo paciente. E assim, em tom de risota, me vim embora.

Obrigada a todas as meninas, pelos comentários de apoio.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

É já amanhã

É já amanhã o dia pelo qual esperei 8 meses. Vou tirar o cateter (ou chip, como alguém já lhe chamou).

Confesso que estou um bocadinho ansiosa, afinal vão andar a escarafunchar-me a jugular, mas também muito feliz.

Retirado o apêndice, estarei pronta para a nova fase da minha vida.

Pr´a frente é o caminho

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Boa Sorte Tia Eva

Neste momento o meu coração está dividido entre a alegria de ver uma grande Amiga alcançar um dos seus objectivos e a tristeza de deixar de a ter, diariamente, na porta ao lado.

Para dizer a verdade, acho que ainda não caí bem na realidade e, durante uns bons tempos, vou continuar a entrar disparada pelo Gabinete para uns dedos de conversa.

A tia Eva chegou e conquistou todos os colegas de trabalho, alguns dos quais, como eu, tiveram o privilégio de passar a fazer parte da sua roda de Amigos.

Agora chegou o momento de partir para outros vôos. Bem merecidos, por sinal, pois além de excelente Amiga é uma óptima profissional.

Bem ponderadas as coisas, e deixando o meu egoísmo de lado, posso dizer que a parte de mim que está feliz é infinitamente maior do que a que está triste. Até porque esta "separação" não vai, sequer, beliscar a nossa Amizade.

Não vou alongar-me muito mais, pois não quero que este post soe às despedidas que detestas, minha Amiga. Para além disso, sabes bem o que penso desta nova fase da tua vida. Tenho muito orgulho em ti.

Boa sorte Tia Eva