Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2017

Toda a vida tem dignidade

A eutanásia está na ordem do dia e aguardo com expectativa aquilo que sairá do Parlamento.

A questão é muito delicada e levanta os mais variados problemas éticos.

Pessoalmente, creio que em vez de discutir a possibilidade de se poder decidir o momento em que a vida deve acabar, devíamos era estar todos empenhados em lutar por mais e melhores cuidados paliativos, apoios a idosos e suas famílias etc, etc,etc...

Porque o que retira dignidade à vida é a ausência de condições de conforto e não a impossilidade de lhe pôr termo.

Toda a vida tem dignidade.

Não quero com isto dizer que a questão não deva ser debatida, muito pelo contrário.

Estando longe de ser linear, é essencial que se clarifiquem conceitos e se esclareçam todas as dúvidas para que a decisão seja consciente. E é quanto a esse ponto  que tenho mais receio. A ética não devia ser toldada por inclinações políticas ou (des)crenças, muito menos necessitar de ser legislada.

Onde doar medula óssea ?

Porque doar medula óssea?

Pelo simples motivo de que pode salvar vidas. Confiem em mim. Conheço casos concretos.

Onde se Podem Tornar Dadores se Medula Óssea:CONTINENTE:CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO SULAlameda das Linhas de Torres, 117
1769-001 LISBOA PORTUGAL
(dentro da cerca do Hospital Pulido Valente)http://www.chsul.pt/
Email: chsul@chsul.pt ou cedace@chsul.pt
Telf. +351 217 504 100; Fax. +351 217 504 101
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO CEDACE:
Segunda a quinta-feira das 8 às 16 horas
Sexta-feira das 8 às 15 horas
CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO NORTERua Dr. Roberto Frias
Pav. Maria Fernanda
4200-467 Portohttp://www.chnorte.min-saude.pt/
Telf. +351 225 573 470; fax. +351 225 501 100
de 2ª a 6ª feira das 9h às 17h30 (sem interrupção de hora de almoço)
Nas traseiras do Hospital de São João, junto ao Pavilhão das consultas externas na direcção da Faculdade de Desporto (sempre dentro do recinto do Hospital)
CENTRO DE HISTOCOMPATIBILIDADE DO CENTROPraceta Professor Mota Pinto
Apartado 9041
3…

A Paz (para as minhas patroas)

Hoje, dia em que se assinala mais um aniversário da morte de Ghandi, comemorou-se o dia da não violência e da paz.

Na escolinha das minhas patroas, o tema foi trabalhado de várias formas.

A Leonor fez a descoberta do negro, desde os objectos à cor da pele, e concluiu que "por dentro somos todos iguais, temos é tons diferentes".

Já a Tita, viu um filme sobre o "Gambi" que andava vestido de branco e foi "matado pelos ricos"; para ela, "Paz é relaxar".

No final do dia, quiseram saber qual a definição que os papás fariam da Paz. Claro que não acharam piada ao exemplo mais simples que encontrei - "Paz é quando vocês são amigas e não brigam", mas sentimos que, pelo menos hoje, interiorizaram o conceito. Isto a avaliar pela inacção da Tita ao comentário da Leonor de que "Paz é quando a Tita está bem longe e eu posso ver televisão à vontade", que em qualquer outro dia teria dado direito a guinchos e puxões de cabelos.

O que é a proporcionalidade?

- Mãe, o que é proporcional?

 Haaaa ... proporcional é equivalente, respondi eu arrependendo-me de imediato.

- Também não sabes, pois não?!!!

- Papá, anda cá ajudar-me a explicar o que é proporcional!

Não vendo o pai chegar, a conclusão foi a mais óbvia.

- Vocês também não sabem, pois não?!!!

A notícia que está a deixar os aveirenses loucos

ESTA é a notícia do século e que está a deixar os aveirenses loucos. A croissanteria Oita irá reabrir, no mesmo local e com as mesmas receitas.

A loucura prende-se com o elevado nível de ansiedade criado, não só pela expectativa de nos podermos voltar a lambuzar com aquelas delícias (e que só quem teve a felicidade de as conhecer compreenderá), como pelo suspense que se está a gerar à volta da reabertura do local e que a mim, pessoalmente, já começa a enjoar.

Das duas uma, ou os mentores descobriram a galinha dos ovos de ouro ou vai ser o maior flop cá da terra.

Aguardemos serenamente. Para mim, pode ser um de doce de ovos e ananás.

Já vi negar a fé de forma mais convincente

Diz que não é crente mas se revê nos princípios do cristianismo. Pratica-os mais que alguns dos ditos "praticantes". Já vi negar a fé de forma mais convincente.

Vamos comer a Dragon Force

Era, de facto, uma enorme falha. A viver paredes meias com o pavilhão, a Leonor ainda não foi assistir a nenhum jogo do seu ídolo e colega da equipa sénior, Bolone (escrevo como o pronuncia, sem ter a certeza de estar correcto).
De maneiras que, sendo dia de receber a Dragon Force, comunicou-nos que hoje ia ver o Bolone jogar e não prescindiria de levar o equipamento vestido.
Lá se foi o cineminha dos pais  ( já  lá vão  3 anos após a última sessão ) mas confesso que até eu estou entusiasmada com o programa familiar (por arrasto) desta noite

Se eu fosse de Moreira de Cónegos

Imagem
Nem tenho palavras para descrever esta primeira página do RECORD. Quem estiver desatento, pensará que foi o Sporting que eliminou o Benfica da Taça da Liga. Nada contra o Sporting. Acho é uma falta de respeito pelo trabalho do Moreirense, seu treinador, jogadores e adeptos. Fosse eu de Moreira de Cónegos e dizia-lhes ....

"Fantasia Coral" - Ou melhor dizendo "A aventura em que me meti"

Imagem

Coisas que me dão nos nervos

Se há coisas que me chateiam, são os erros ortográficos dados por quem teve oportunidade de estudar, para além da quarta classe. É certo que todos os damos, por vezes, seja por distração ou branca mas há situações em que os considero indesculpaveis.
Ver um trabalho apresentado por um grupo de alunos universitários, pejado deles é coisa para me deixar louca.
Para já, falo de universitários, depois de um grupo. Seria mau, caso o trabalho tivesse sido manuscrito mas ainda daria o benefício da dúvida. Agora, sendo escrito num computador (e já em desepero) questiono se estes jovens não terão um software básico com corrector ortográfico.
Se calhar é  isso, estou para aqui a rezingar e o que falta aos nossos jovens são condições para estudar. Haja pachorra e perdoem-me eventuais erros ou gralhas mas escrevo num telemóvel com teclas minúsculas e sem corrector ortográfico.

Eu a pensar que tinha descoberto a pólvora

Achei que tinha descoberto a polvora quando percebi que informar um comercial sobre o período de fidelização que temos de cumprir é, quase, meio caminho para nos deixar em paz.
Só me esqueci que o tempo passa, mas as bases de dados ficam e é vê -los  a telefonar e dizer "já sei que está a terminar um período de fidelização". Socorro

Vamos cuidar dos cuidadores

Ser cuidador é uma tarefa tão nobre quanto dolorosa. Numa altura em que as atenções estão (naturalmente) direccionadas para o doente, o cuidador é frequentemente esquecido nas suas dores e medos que, por força das circunstâncias, se sente inibido de partilhar.

Já em tempos tinha partilhado AQUI a minha experiência enquanto familiar.

Falta uma rede de suporte aos cuidadores e, em especial, aos cônjuges.

Daí que me tenha chamado a atenção esta
NOTÍCIA que dá conta de um estudo que alerta para a necessidade de cuidar dos cuidadores, no caso dos cônjuges de pacientes com cancro da mama.
 É certo que existem consultas de psico-oncologia para os familiares mas está longe de ser suficiente.
Seria interessante que se começassem a desenvolver projectos dirigidos aos cuidadores. Aposto que cá em cada haveria quem o integrasse.
É com muito orgulho que vejo o meu marido a dirigir-se a outros maridos e oferecer o seu ombro. AMO- TE rapaz!

Taxa ou imposto?

Por estes dias, anda um monte de juristas a queimar pestanas para saber se a tsu a cargo dos empregadores tem a natureza de taxa ou imposto. A discussão pode parecer estéril mas a verdade é que está em causa nada mais nada menos do que a (in) constitucionalidade de um diploma que é tudo menos fonte de estabilidade política. E o que nós precisamos dela.
Abstraindo da importante consequência prática  de uma ou outra teoria, a mim dá -me um gozo tremendo este tipo de discussões jurídicas. Acresce o facto de, no caso concreto e cerca de 20 anos depois, ter a mais valia de me fazer perceber o porquê de ter passado um semestre a ouvir falar sobre a diferença entre taxa e imposto na disciplina de Finanças Públicas.
Mais vale tarde que nunca.

A sensibilidade da solução - óu o chamado busílis da questão

Dizia o Professor Oliveira Ascensão, e eu não podia deixar de subscrever ‘Aquele que não tem a sensibilidade da solução poderá ser um grande teórico do Direito….mas não é seguramente um verdadeiro Jurista’.

Sim, porque apesar da fama, os juristas têm sentimentos.

Acabar com o fora de jogo. Sim, não, talvez?

Imagem
Enquanto Director de Desenvolvimento Técnico da FIFA, o Marco Van Basten anda com umas teorias que, diria, ousadas no sentido de mudar o futebol (falo do jogo em si mesmo e não do contexto ou arbitragem. Entre as possíveis 8 medidas sobre as  quais falou está a de eliminar o fora de jogo. Eu que, como sabem, sou pouco dada a mudanças tenho algumas dúvidas sobre a mais valia que a regra traria ao jogo. Não sei se não o aproximaria muito do rugby, com charutadas de campo a campo e calmeirões encostados aos posts. Em todo o caso, nada como experimentar ainda que subscreva a opinião do ex-árbitro Pedro Henriques de que se deve manter o fora de jogo dentro da pequena área. PS. Até parece que percebo muito disto Ass. A treinadora de bancada que há dentro de mim.

Coisas que uma mãe ouve de manhã

- Isto está a enervar-me! Incomoda-me!
- Qualquer dia mando-te para a China!
- E tu não te preocupas!
- Tu enlouqueceste, mãe?! O que é enlouquecer?

Jardim mais bonito

Imagem

É na crise que se aflora o melhor de cada um, terá dito Einstein

Deparei-me com este excerto de texto que me tinha chamado  a atenção há tempos e chego à conclusão que ao partilhar o meu testemunho de vida acabo por dizer, ainda que por palavras diferentes, o mesmo que o Einstein disse em tempos.

Não sei se isso diz algo sobre o meu QI, mas gosto de acreditar que sim.

Fora de brincadeiras, vale a pena ler, pensar nisto e tentar transpor para a  realidade de cada um de nós.



“Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor bênção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera-se a si mesmo sem ficar “superado”. Quem atribui à crise os seus fracassos e penúrias, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e …

Crianças portam-se 800% pior quando as mães estão presentes - TODA A VERDADE

Quando vi o título deste ESTUDO , qualquer coisa como "As Crianças portam-se 800% pior quando as mães estão presentes ", fiquei super curiosa.

Não que esta conclusão me tenha surpreendido, já que sinto os efeitos diariamente no lombo, pele e neurónios, mas por querer saber qual a explicação científica da coisa.

Pode parecer coisa de somenos importância mas, no dia a dia, esta realidade causa inúmeros constrangimentos e é um sério obstáculo à paz familiar.

Pois o texto a que tive acesso pouco diz mas, se o meu inglês miserável me permitiu perceber alguma coisa, parece que a questão é mesmo física e terá a ver com as feromonas. Será que sim? Será que não?

Descida das temperatura - a importância da Linha de Saúde 24

Recebi há dias um email com conselhos sobre as medidas a adoptar nestes dias em que a temperatura tem vindo a descer e retive o apelo para que, em caso de sintomas de gripe, o primeiro contacto seja com a Linha de Saúde 24.
Tendo em contas as minhas excelentes experiências com esta Linha que já evitou umas 3 idas ao hospital, que se teria verificado serem desnecessarias, só posso subscrever o conselho e lamentar a falta de informação e sensibilização sobre as mais valias deste recurso.
E como é triste vermos recursos desperdiçados, especialmente em tempos de escassez.

"Em baixo, transcrevo o comunicado.





Tendo presente a informação recentemente divulgada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) que, tal como se está a verificar em praticamente todos os países da Europa, prevê para todas as regiões de Portugal, nos próximos dias, uma descida dos valores das temperaturas, o Conselho Diretivo da ARS Norte, na posse desta informação, reforça os conselhos que nos últimos d…

Ai, são tão sossegadinhas e tal!

A vizinha cumprimentou-as e, como de costume, cerraram os dentes e baixaram a cabeça.
O comentário da senhora, que se seguiu, não podia ser mais ilustrativo do comportamento das minhas patroas.
"Vocês são tão caladinhas na rua, mas quando entram em casa ouvem-se no prédio todo. Parece que a vossa mãe tem de sair mais vezes convosco, para ver se consegue descansar!".
Ouvem-se elas e eu, diria. Dentro de portas, transfiguram-se e transfiguram-me. Mas lá  no fundinho são boas cachopas.

Sobre dar e receber

Ontem tive a felicidade de passar o final de tarde a partilhar a minha história de vida com um grupo de jovens que frequentam o 10. ano de catequese em Santo António de Vagos (obrigada catequistas Paulo e Virgínia pelo desafio lançado).
Não me canso dizer que poder partilhar a minha história me ajuda a dar sentido à doença pois acredito que poderá ajudar quem a ouve, tal como a história de outros me tem ajudado a mim.
E a verdade é que a partilha é, por natureza, bilateral. Acabo sempre por receber algo.
Ontem foi um desses momentos em que recebi muito  mais do que um lindo ramo de tulipas (é inacreditável a beleza de um flor tão frágil) e um lanchinho.
Começou logo à  saída do carro. Não houve uma única pessoa que tenha passado por nós sem desejar boa noite. Assim, sem nos conhecer de lado nenhum. Fiquei apaixonada com a simpatia daquelas pessoas.
Ia com algum receio de ser uma seca para aquela malta cheia de sangue na guelra. Não sei se fui ou não. Sei que a conversa foi longa e enr…

O que eu faria AGORA se ganhasse o Euromilhoes

E se, de repente, ganhasse o Euromilhoes enfiava-se numa banheira com água quente a ler um romance de cordel. É  que era já.

No dia internacional do obrigado

Consta que hoje é o dia internacional do obrigado e parece-me da maior justeza a distinção. Por norma, termino o dia com as meninas a agradecer a Jesus, na simplicidade das suas palavras, aquilo que o dia teve de melhor. E quase morro de emoção quando, depois de horas a fazer de mim gato e sapato, as ouço agradecer por a mamã estar ali com elas. É como um bálsamo que me inebria os sentidos e mostra que tudo vale a pena.
Hoje, como sempre, tinha muito para agradecer a Jesus e muitas pessoas a quem o fazer mas, vão -me perdoar, o meu grande obrigado é pela vidas das minhas meninas.

Fina ironia

-Mãe, posso levar um sumo para a escola?
- Despacha-te mas é, a tomar o pequeno-almoço!
- Não percebi essa resposta!

A aprendizagem da leitura e a perda de privacidade de uma mãe

Esta fase em que a Leonor está a aprender a ler e a aumentar o vocabulario é uma doçura.  Vê -la a ler o seu livro todas as noites antes de dormir e ouvi-la a perguntar quem é  que mora no condomínio, ao ver a palavra na caixa do correio, é qualquer coisa indescritível. Tem, contudo e como quase tudo, um senão. A privacidade daquilo que escrevo foi-se à  vida. Nada escapa à minha pequena leitora.

S. Gonçalinho. Acho que a tradição se instalou de vez na família

Imagem
Todos os anos vamos dar a nossa voltinha ao S. Gonçalinho, mas este foi o 1.º ano que as meninas subiram à capela para atirar cavacas (obrigada querida Mónica).  Gostaram tanto que me parece que a tradição se instalou de vez na família.

S. Goncalinho. Antes da devoção, a razão

Tita, queres subir ao topo da capela para atirar cavacas?
Quero, mas primeiro vou comer uma!

Parabéns papá

Imagem
Querido papá.Sabes que somos crianças e é muito violento ter de acordar às 8 da matina sem ser para ver desenhos animados. Se calhar não percebeste, mas os grunhidos que soltamos esta manha eram a nossa tentativa de te dar os parabéns e desejar um dia muito feliz. Desculpa qualquer coisinha (sabes que a culpa é sempre da mamã que nos arranjaste). Para ti, com Amor, uma pequena prendinha. Leonor e Tita (a rogo)

Segredos, a quem contar?

O meu pai sempre disse que se algo é segredo não o devemos contar a ninguém. O ensinamento baseava-se na constatação empírica de cada um dos nossos bons amigos tem pelo menos um outro bom amigo. Isto para não falar dos mal intencionados. Assim, contar um segredo é como lume em palha seca. Vem esta divagação a propósito de uma conversa que ouvi hoje em pleno shopping  (esqueci-me de referir os segredos contados a plenos pulmões em praça pública) na qual um jovem imberbe trocava impressões, via telemóvel, sobre quem de um grupo, que julgava pequeno, teria contado um segredo.
Conclusão, se se conta deixa de ser segredo.
NOTA: Os meus amigos que descansem, que este post tem um quê de caricatura. Se confiam, podem contar-me tudo. Serei um tumulo. Escusam é de me pedir segredo porque vou entender a advertência como falta de confiança e, consequentemente, assumir que a coisa não será assim tão secreta.

Nem sempre Tita, nem sempre

-Sabes o que é o cérebro, Tita?

-É  aquilo que manda!



Podia chamar-lhe Tita, a racional, não fosse a pequena um poço de emoções .
.

Desculpem-me os lugares comuns

Desculpem-me os lugares comuns e o facto deste blogue já ter tido dias mais interessantes mas o tempo voa e limita uma série de coisas, entre elas a criatividade.
Há dias perguntaram-me se a Tita ia fazer 6 anos. Ri-me e disse que não. Depois caí em mim. A minha bebé mais pequena vai mesmo fazer 6 anos. A maior, está a caminho dos 8. Cada vez mais perspicazes e espevitadas, com elas ninguém faz farinha. Ao vê -las crescer a cada segundo, fico maravilhada e, simultaneamente ciente da rapidez dos dias. É certo que serão sempre as minhas bebes, mas não precisavam de crescer tão depressa. Alguém sabe como tirar a pilha ao relógio?

Os meus votos para 2017

Ando aqui às voltas sem saber quais os votos para 2017.  Na verdade o que desejo para a humanidade não varia muito de ano para ano. São coisas aparentemente básicas e que não passam de moda. Saúde, Paz, Amor. Pouco mais será necessário para que a vida seja boa.  Esta manhã, enquanto caminhava, passei os olhos pela capa da agenda que levava na mão. (va-se lá saber porquê recebi duas este Natal). Era a agenda solidária do IPO e,  ao vê -la, fez-se luz. Os meus votos para o mundo em 2017 são de que a solidariedade seja o elo de ligação entre a Saúde, o Amor e a Paz e os outros pois de nada vale ter estas bênçãos se não as colocarmos ao serviço dos outros. Ninguém é uma ilha de si próprio. Que em 2017 todos sejamos capazes de nos dar um pouco aos demais.
Feliz 2017 a todos quantos me vão acompanhando por aqui.