quarta-feira, 20 de julho de 2011

Como nova

Hoje foi dia de consulta de onco-hematologia. Segundo a médica, estou como nova.

Estupidamente, em vez de estar aos pulos de alegria, não esqueço que surgiu em conversa a alusão ao facto de que depois de ter feito quimio existir maior probabilidade de aparecerem neoplasias secundárias.

Enfim, vou ter de me habituar à ideia de ter a tal espada de dâmocles sobre a cabeça e adoptar a máxima do "carpe diem". Já só faltam 3 anos e meio para os famoso cinco que ditarão a minha liberdade.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Diálogos fraternais

1
Benedita - uá, uá,uá = quero comer
Leonor - espera Dita, estou a lavar os minhos dentes. Pronto, pronto, pronto, Ditinha, não há problema

2
Benedita - uá, uá, uá = tenho sonho
Leonor - Dita, então que é isso? Não chores sem parar. Ai a brincadeira.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

E a voar se passaram 4 meses

E a voar, como um sonho dos bons, se passaram 4 meses.

A Benedita está muito crescida, percentil 75.

É uma alegria vê-la tão bem, cheia de paciência para aturar a Leonor que assumiu plenamente o papel de irmã mais velha e se farta de ralhar com ela. O amor que sentem uma pela outra é tão visível que deixa os papás embevecidos.

é caso para dizer "vieste na hora certa" minha querida.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Aos 26 meses

1
"Vamos Leonor, que a mana está a chamar por nós".
"Tem calma mãe, estou a tomar banhinho".

2
"Uau mãe, pareces um palhacinho"

3
"Uau mãe, estás tão gira"

4
"Vem cá mãe, tive uma ideia. Senta-te aqui senão levas uma palmada na mão. Tenho muita coisa para fazer. Vou dar maminha à Dita".

Pontapé nas canelas

Esta mudança de casa tem-nos arredado da net e televisão. Algo que julgava impensável aconteceu. Concluímos que é possível viver ser computadores e televisão.
Até a Leonor tem comido sem se lembrar do youtube. A culpa é das andorinhas e, mais tarde, da lua que gostamos de ver da nossa janela.

Com as andorinhas tem sido uma relação de amor/ódio, sendo que o amor é bem maior e quase me faz esquecer o que aconteceu da 1.ª vez que estendi roupa na janela.

Os dias passam velozes e ando estafada. Levar a Maria maior ao infantário, tratar da exigente, embora cada vez menos, Maria pequena. Tentar arrumar um pouco do caos em que está a casa. E logo chega a hora de ir buscar a Maria grande. Em resumo, não consigo fazer nada em casa. Cheira-me que daqui a um ano ainda vou andar a procurar fronhas desaparecidas.

A partir das 22h esqueçam, é hora de aterrar.

Os dias estão tão preenchidos e os resultados das minhas tarefas são tão pouco visíveis que me apetece dar um pontapé nas canelas de quem se mete comigo por causa das minhas infindáveis "férias".

domingo, 10 de julho de 2011

Parabénssssssssssssssss

Hoje é dia de festa.
Aqui fica um grande beijinho de parabéns para o João Tiago, Dina, Dadinha e Carla Carlota.
Que tenham um dia pleno de alegrias, replicadas todos os restantes dias das suas vidas.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Pitoresco

Morar, rodeada de hortas, a 5 minutos da cidade está a revelar-se uma experiência muito interessante.

O arrendamento do apartamento inclui um condomínio de andorinhas, instalado mesmo em cima da janela da cozinha, o que torna o cenário ainda mais pitoresco.

Gosto muito (e a Leonor ainda mais)de ver a bichinhas. Escusavam era de se aliviar no peitoral da janela e na corda da roupa. Das duas uma, ou espero pelo inverno para esticar ali a roupa ou descubro um método, ecológico, de evitar o cocózinho.

Aceito sugestões.

PS Não vale a ideia de ir lá com um pau, às escondidas

terça-feira, 5 de julho de 2011

Boletim Clínico

Este será um mês de revisão geral.
Comecei hoje com a consulta de medicina interna e as notícias não podiam ser melhores. os valores que estavam alterados desceram mais de metade. pelos vistos era mesmo da gravidez e os meus rns estão ótimos.
Dia 13 tenho consulta rotina de dermatologia no IPO e dia 20 onco-hematologia (esta marcada porque a minha médica queria saber os resultados da consulta de medicina interna.

Conclusão - tudo sob controlo.

PS Um beijinho especial a todos quantos aguardavam este post.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Como explicar?

Como explicar, a uma criança de 2 anos, que o trajeto entre casa e o infantário passou de 50 para 2 Kms e, por isso, não terá tempo de ouvir 20 vezes seguidas a sua música preferida?

domingo, 3 de julho de 2011

Finalmente em Aveiro

3 anos e meio depois, cá estou novamente na cidade dos meus amores.
Enquanto me lembrar, nunca mais mudo de casa e se mudar deixo os móveis todos. Pensava que "dar a ferro", como dizem na terra do meu marido, fosse a coisa mais odiosa do mundo, mas enganei-me. Não há nada pior que o ato, físico, da mudança.
Não deixa, contudo, de ser interessante perceber que não usamos (e provavelmente nunca iremos usar) metade da cangalhada que temos em casa. Ou seja, poderíamos viver com metade, ou menos, daquilo que temos.
Além disso fiquei com a certeza que nesta família não há asmáticos, a avaliar pelo pó descoberto em sítios insupeitos, descobertos depois de desmontar os móveis.
Os próximos tempos adivinham-se animados, a arrumar cacos e cacarecos.