sábado, 28 de novembro de 2009

Lá vou eu, lá vou eu a caminho de Portalegre

Hoje, a seguir ao almoço, lá vou eu, com os meus dois amores, a caminho de Portalegre.

Vamos à festa de anos do Afonso e da Ana Rita e aproveitamos para relaxar ao som dos chocalhos das cabrinhas do Tio António. Não há melhor anti-stress, acreditem.

Isto significa, 1.º, que estarei uns dias sem vir aqui, depois que voltarei doente como de costume.

Doente, mas feliz, depois de me ter lambuzado com uma sopa de cachola daquelas bem potentes, como só no café Leitão sabem fazer (passe a publicidade). E só não ataco uma miolada, por causa dos ovos. Doida, mas nem tanto.

Estou a brincar. Vou tentar controlar a minha boquinha, apesar de saber que vai ser muito difícil.

5 Anos

">

Ai que cabeça a minha. Este post devia ter sido colocado ontem, mas confesso que acabou por me passar.

Mas, como mais vale tarde que nunca, cá vai uma musiquita que o Valter, certamente, te dedicaria Suzzz.

Ele deve amar-te mesmo, para estar casado contigo há 5 anos e ter a coragem de te pôr um carro novo nas mãos.

Brincadeiras à parte, um beijinho de Parabéns ao casalinho e aos seus dois rebentos.

Temos de repetir o cafézinho em breve, Amiga.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Força Beira

Hoje à noite realiza-se uma Assembleia Geral que, certamente, irá ser determinante para o futuro do meu Beira-Mar.

Espero, sinceramente, que sejam encontradas soluções e se criem condições para que o clube encontre o equilíbrio necessário e ultrapasse esta fase complicada.

Sou uma sócia desnaturada, que qualquer dia tem um processo de injunção às costas, mas continuo a sofrer pelo meu Beira.

Às almas mais caridosas, cuja bolsa permita subscrever "Títulos de Salvação" do SCBM , deixo a indicação do link onde encontrarão informação sobre a subsrição.

Já sei que vou ter o meu amado a dar-me tanga o resto da vida, mas o pobre não tem culpa. Não sabe o que é gostar do futebol pelo futebol. Não conhece a alegria de conseguir subir de divisão ou assegurar a manutenção na última jornada.

Teve o azar de nascer em Paranhos, ou seja demasiado perto de um certo e determinado clube que não vou referir. Pois é menino, somos pobres mas honestos.

Bem, vou parar com as provocações, senão esta noite durmo na varanda.

http://www.beiramar.pt/scid/webscbm/defaultArticleViewOne.asp?articleID=401&categoryID=774

Para quem, como eu, gosta da bola e não tem vergonha de se assumir beiramense cá fica o blog que me vai trazendo notícias sempre fresquinhas do clube que já me deu tantas alegrias . http://maisbeira-mar.blogspot.com

Força Beira

Que notícia maravilhosa

Hoje, quando acordei, tinha uma mensagem no telemóvel que me deixou muito feliz.

Como não quero ser desmancha prazeres, não vou contar para já. Deixo essa tarefa aos felizes contemplados.

Um grande beijinho e tudo de bom nesta nova, e fascinante, fase.

Vocês sabem quem são.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Simply The Best

">

Faz hoje 70 anos esta força da natureza. Deixo-vos uma música de uma das minhas cantoras favoritas. Só tenho pena de nunca ter ido a nenhum concerto dela. Tenho de me contentar a ouvir, vezes sem conta, o "Tina live in Europe". Simply the best

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Stress

Estive a ler uma entrevista de um psiquiatra e professor alemão que diz que "A epidemia da gripe A é um efeito da crise económica".

Dos muitos argumentos apresentados, alguns dos quais parecem um pouco exagerados a uma leiga como eu, retive esta frase "O aumento dos níveis de stress está relacionado com uma redução da capacidade de defesa do sistema imunológico".

Ora, sendo eu uma imuno-deprimida, fiquei a pensar nisto.

Cada vez mais evito stressar, o problema é que stresso quando vejo alguém stressar. Especialmente quando quem stressa, stressa com miudezas que nem ao diabo interessam.

A minha grande dúvida agora é, então, como evitar o stress. Será uma utopia? É que não posso deixar nenhuma brecha que permita o regresso do Sr. Hodgkin.

Vou continuar aqui a meditar nesta dúvida existencial e agradeço a quem tiver respostas que as partilhe aqui com a stressada.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

PRÓXIMAS COLHEITAS DE MEDULA ÓSSEA



Esta é a Cá, a linda menina, de 4 anos, de que já vos falei. Precisa, com urgência, de um transplante de medula óssea e os seus familiares não são compatíveis.

Segundo informação disponível no blog da Cá, estes são os locais e datas das próximas colheitas de medula.

É importante que todos aqueles que cumpram os requisitos (que já referi em posts anteriores) e tenham a saúde que a Cá não tem, colaborem. Como se costuma dizer, hoje pela Cá, amanhã (quem sabe) por nós.

Ah, e a Cá é só um rosto. Há muitos mais, de todas as idades. Se a vossa medula não for compatível com a da Cá, será certamente compatível com a de outra pessoa. Em Portugal ou na China.

Segundo informação disponível no blog da Cá (http://carmenpine.blogspot.com), estes são os locais e datas das próximas colheitas de medula.


SANTA MARIA DA FEIRA 25 de Novembro (10h30 às 17h) - Centro Hospitalar de Santa Maria da Feira, Rua Dr. Cândido Pinho / http:hospitalfeira.min-saude.pt

LEÇA DA PALMEIRA 27 De Novembro (15h às 19h) - Agrupamento de Escolas da Amorosa

MAIA 28 De Novembro (10h-13h;14h-17h) - Salão Paroquial de Santa Maria de Avioso, Castelo da Maia

SETÚBAL 24 de Novembro (10h às 16h) - Cruz Vermelha Portuguesa, Largo da Misericórdia

LISBOA 26 e 27 De Novembro (9h às 19h) - Escola Superior de Enfermagem (No Hospital de Sta. Maria)

PONTE DE LIMA 27 de Novembro - Associação Empresarial de Ponte de Lima/ Largo da Associação Empresarial / http://www.aepontedelima.pt

MAIA 28 De Novembro (10h-13h;14h-17h) - Salão Paroquial de Santa Maria de Avioso, Castelo da Maia

Caso necessitem de questionar algo mais, enviem um email para:
carmenzitapine@hotmail.com

Já só faltam 2 sessões

Está quase, quase a acabar este filme.

Fiz hoje a antepenúltima sessão de quimio. Daqui a 1 mês estarei livre, mesmo a tempo de comer o bacalhau.

Estou cheia de pica para a recta final e, queira Deus, definitiva.

Anseio por um 2010 mais suave em termos de emoções, que este foi radical demais.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Feliz Aniversário





Como estou em maré de aniversários, não podia deixar de postar aqui umas fotos do dia em que o Adoramus Te comemorou 15 anos de existência.

Este grupo de jovens ou, se quiserem, de oração jovem, pois o tempo passa e grande parte dos seus membros, como é o meu caso, já não tem direito ao cartão jovem, foi sonhado pela, já falecida, D.ª Lourdes do Valle.

O seu propósito inicial era o de criar uma estrutura na qual os jovens pudessem integrar-se após receberem o Crisma, pois, em regra, recebido esse Sacramento a Igreja deixa de ter soluções que os cativem e acabam por se dispersar.

Assim nasceu o Adoramus Te que se distingue, em minha opinião, pela Alegria que transmite a quem está ao seu redor. Uma forma diferente de viver a Fé e estar em Igreja que, apesar de ainda chocar muita gente, não deixa ninguém indiferente.

Este ano, resolvemos comemorar o 15.º aniversário do grupo no encerramento de um fim de semana de retiro. Só pude estar presente no domingo, mas foi o suficiente para receber mais um "Sopro de Vida".

Por mais que queira, nunca conseguirei transmitir na plenitude tudo aquilo que me têm dado. O mimo tem sido mais do que muito.

Ontem fizeram-me mais uma grande surpresa, que me levou às lágrimas, quando, no final da Eucaristia, leram um poema que meu. Lá tive de morder os lábios e fincar os dedos da mão direita no braço esquerdo para tentar controlar a emoção

A força da vossa Amizade e da vossa Oração tem sido determinante na minha luta.

Perante a grandiosidade dos vossos actos, que me fazem sentir muito pequenina, todas as palavras que escreva parecerão insignificantes. Como tenho horror de "lugares comuns", mas não consigo fugir-lhes, garanto-vos só que estão no meu coração e, sei que posso falar por ele, no do "Nelsu" (um dia hei-de tentar postar aqui aquele inspirado ppt).

Sei que estou em falha, pois pediram-me umas letras para musicar, mas tenho alguma dificuldade em escrever poemas. Prometo que vou continuar a tentar, o CD há-de sair e os fãs continuarão a levantar-se para aplaudir no meio da Missa (sim, porque já aconteceu).

Deixo aqui algumas fotos de um dia memorável. As fotos que escolhi aparecem na ordem inversa pela qual foram anexadas (para a próxima já sei).

O moçoilo de rosa é o tal, muito prendado, que está disponível. O telemóvel é o 9..... Eh, eh, queriam... Está disponível para ajudar a melhorar este blog, por exemplo.

A moçoila cor de burro quando foge, com cara de desterrada, sou eu. Apesar do mau aspecto, penso que a foto mostra a felicidade que senti ontem. Isto apesar de estar a morrer de saudades da minha pequena, de quem nunca tinha estado tanto tempo distanciada.

Bem, o texto não está nada de jeito. Hoje não me sinto inspirada. Pode ser que amanhã, depois da dose quinzenal, volte mais iluminada.

Parabéns Ritinha



Hoje faz anos a Ritinha, irmã do príncipe do Alto Alentejo e, por inerência, também ela uma princesa.

Já lá vão 7 aninhos e parece que foi ontem que fui, em pulgas, até Portalegre para conhecer a 1.ª filha de uma prima que é muito mais do que isso.

No fim de semana lá estaremos a celebrar mais um ano de vida dos nossos queridos alentejanitos.

Mais longe, em terras nórdicas, está a minha primaça Sandra (verdadeira "cacinhota") que fez anos ontem. Como não pude postar no dia, fica aqui a lembrança e um grande beijinho para toda a família, em especial para o príncipe luso-sueco Alexandre e seu/sua mano(a) que vem a caminho.

Outro beijinho de parabéns, ainda mais atrasados pois fez anos no dia 21, para a minha grande amiga Sílvia. Amiga que, para quem não sabe, está em 1.º lugar na lista de candidatas a sogra da princesa rainha. A decisão final será, claro, da noiva.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

É isso aí

Estava aqui a fazer experiências e finalmente consegui colocar um vídeo.

Para que a experiência não seja vã, deixo-vos uma música que quase me comove (nunca fui de me comover com estas coisas), pois marcou um dos dias mais felizes da minha vida - 06.10.2007.

Espero que gostem.



">

Decisão tomada

Pronto,

está tomada uma das decisões mais complicada da minha vida.

A Princesa Rainha não vai ser vacinada contra o H1N1.

A pediatra considera, pesados os prós e os contras, que a vacina é desnecessária neste caso concreto.

Em sua opinião, o que nos poderia balançar um pouco era que, ao não ser vacinada e contraindo o vírus, seria grande o risco de contágio aqui para a mãe imuno-deprimida.

Confesso que nem me tinha passado pela cabeça que esse fosse um aspecto a ponderar. Desde que soube que estava grávida, a preocupação que sinto com o meu bem estar é sempre na perspectiva deste ser essencial ao bem estar da Leonor. Não sei se me fiz entender.

É quando ouço este tipo de comentários que tenho noção do que, desde Dezembro passado, se tem passado comigo.

Já assim foi quando, às 21 semanas de gravidez, tive de explicar a minha situação clínica à médica que me estava a fazer a ecografia morfológica. Quando me respondeu "ah, então tem de fazer a criopreservação das células estaminais", o meu 1.º pensamento foi de que o caso era sério. Nem em sonhos me tinha passado pela cabeça que poderia ser eu a precisar das células.

Não consigo explicar o sentimento mas ainda hoje me custa a acreditar que esteja a viver isto tudo.

Em todo o caso, e voltando ao que interessa, esta decisão foi complicada e, apesar de convicta que foi a melhor, não consigo sentir-me confortável com ela.

Não deixa, no entanto, de ser um óptimo sinal pois o facto pelo qual a médica considera desnecessária a vacina é o de a Princesa Rainha ser uma menina forte e saudável. Circunstância essa que tem, certamente, o efeito reflexo de reforçar o sistema imunitário aqui do empecilho. Sim, que que a felicidade dá saúde.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Assim nascem os boatos

Foram, essencialmente, dois os motivos que me levaram a escolher o curso de Direito.

Em 1.º lugar, a "admiração" pelo grande advogado Perry Mason, descoberto através dos livros de bolso da colecção Vampiro, iniciada pela minha mãe e tios e continuada por mim e pela mana Dulce.


Este motivo parece pouco racional, admito, mas perdi a vergonha de o revelar, no dia em que vi uma entrevista da Maria José Nogueira Pinto (se não estou em erro) que dizia o mesmo. Vá lá, não sou a única.

O 2.º motivo é o fascínio que sempre tive pelas palavras e pelo uso que delas podemos fazer. Encanta-me o facto de podermos fazer 1001 interpretações diferentes da mesma frase.

Claro que tudo tem o seu quê e este fascínio traz-me, muitas vezes, algumas dificuldades. É terrível estar a fazer uma formação daquelas "light", com colegas de outras áreas, todos perceberem a 1.ª o que se pretende e eu estar uns tempitos a tentar descodificar. Pois, vocês dizem que se pretende x, mas também pode ser y, z, w.....

É engraçado ver como a formação de base de uma pessoa molda e orienta a sua forma de raciocínio. Eu, por exemplo, nunca serei capaz de entender os T dos contabilistas. O que me vai valendo é saber que tenho a Dr.ª Eugénia, à distância de um telefonema.

E ontem mesmo tive um exemplo de como uma frase menos fiel à realidade pode induzir em erro quem a ouve.

A minha mãe chegou a casa e diz a Sr.ª Laurinda "D.ª Libânia, a menina Leonor deu um murro e partiu o biberão".

Eu, que assisti à cena do passamento do biberão, rebolei a rir. Imaginei logo a minha pequena "Rambo", de camisola caveada e fita na cabeça, a partir o biberão de vidro à murraça. Físico para isso tem ela.

Mas não, o que aconteceu foi que a delicada Princesa Rainha deu em encontrão no biberão, que caiu e se desfez em pedaços.

Muito menos emocionante, mas em todo caso encantador (como tudo o que ela faz).

Foi a sua 1.ª asneira. O castigo, já prometido, é que será ela a pagar o biberão novo. O dinheiro virá directamente do seu porquinho,eh, eh.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A primeira grande (in)decisão

Que o dinheiro não traz felicidade é um facto que todos estamos cansados de saber. Mas lá que ajuda, ajuda, disso não tenhamos dúvidas.

Temos a felicidade (porque a bolsa assim nos permite) de poder dar à nossa Princesa Rainha, duas vacinas que não fazem parte do Plano Nacional de Vacinação. "Brincadeira" que ficará acima de 400 Euros.

Até há pouco tempo, desconhecia o facto (e pelo que tenho visto muita gente desconhece) de o Estado nos reembolsar desta despesa. Não sei em que termos nem quando, mas o que interessa é que algum "pilim" virá.

Mete-me é muita confusão, saber que há tantos pais que não podem sequer pensar em avançar com esta quantia. Que tremenda injustiça e desigualdade num direito que a nossa Constituição consagra e, como tal, deveria ser para todos.

O mesmo acontece com a criopreservação das células estaminais. Lá foram outros 1200 Euros, só dedutíveis no IRS de quem se pode dar a esse "luxo". Estamos a falar na preservação de células que podem vir a dar vida, seja à Princesa Rainha (Deus me livre), à sua mãe imuno-deprimida ou a qualquer outra pessoa compatível.

Como é evidente, ninguém sabe o futuro e a minha maior felicidade seria vir a "chorar", daqui a 20 anos, aqueles 1200 Euros, mas ninguém sabe.

Aqueles 800 Euros que gastei (entre consultas, medicamentos e biópsia) em Dezembro passado podem ter sido decisivos no combate ao Sr. Hodgkin. Se tivesse feito o mesmo percurso no Sistema Nacional de Saúde tudo teria sido muito mais moroso, certamente.

E atenção que, como sabem, não tenho razões de queixa. Sou muito bem atendida no IPO, tal como fui no Hospital S.Sebastião, tenho a melhor médica de família que alguém pode desejar ( a quem, um dia destes, dedicarei um post inteirinho), o dermatologista, do sector privado, que me detectou o bicharoco ( e que eu "idolatro") é o mesmo que me segue no IPO.

Mas, de facto, há muitas assimetrias ao nível do acesso aos cuidados de saúde e eliminá-las devia ser uma das prioridades dos nossos políticos. Lamentavelmente, muitos preferem lançar outros temas quentes para discussão pública. Não vou criticar os temas em si, que eu até gosto de casamentos. Parece-me é que não deviam estar no topo das prioridades.

Voltando ao tema. Esta semana estamos a deparar-nos com a necessidade de tomar a primeira grande decisão, no que à Princesa Rainha se refere.

Vacinar, ou não, contra o H1N1. Logo esta que é de borla. Com opiniões tão divergentes, vamos esperar até 5.ª feira para saber a opinião da pediatra. Decidimos, desde o início que se depositamos confiança na pediatra que acompanha o crescimento da Princesa Rainha, é a ela que temos de ouvir neste tipo de situações.

Mas a sensação é um pouco estranha, até para mim que lido, diariamente, com diferentes interpretações sustentadas em abundante doutrina e jurisprudência. Com a diferença que estamos a falar de leis e não da vida da minha filha.

Devo dizer-vos que não estou a gostar nada de estar do outro lado. É que normalmente sou eu a dizer "a decisão final é sua".

Coisas da vida.

sábado, 14 de novembro de 2009

6 meses que parecem Sempre



6 Meses que parecem Sempre, foi desta forma romântica e sentida que o papá descreveu os 6 meses de vida extra-uterina da Princesa Rainha.

E, de facto, já não me lembro de como era a minha vida, antes da pimpolha ser concebida. O que é que eu fazia antes de ter montes de fraldas para mudar e biberões para preparar?

Não sei. É uma sensação do género onde é que as pessoas iam nos domingos à tarde, antes de haver shoppings.

O amor da nossa vida continua uma paz, sempre sorridente. A novidade da semana é o rompimento do 3.º dentinho, devidamente alinhado com os outros dois.

Faltam-me palavras para a descrever. É linda a minha filha, não é? Ou são os meus olhos?

Consultas de Psico-Oncologia Gratuitas



Receber a notícia de que se tem um cancro é algo que vira toda a nossa vida do avesso. E quando digo toda é mesmo toda. Mexe com tudo e com todos os que nos rodeiam. Quem nos rodeia sofre muito e, muitas vezes, em silêncio.

Com as atenções centradas no doente, os familiares ficam, por vezes, quase esquecidos e, com eles, também os seus medos e angústias.

Ciente desta problemática, a LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO criou um SERVIÇO DE PSICO-ONCOLOGIA GRATUITO (constituído por técnicos altamente especializados), objectivando a realização do acompanhamento psicológico dos doentes oncológicos e dos seus familiares ao longo das diferentes fases da doença.

Este serviço, que me parece muito importante, engloba consulta individual; consulta conjugal; consulta de grupo e contempla a existência de grupos de auto-ajuda devidamente treinados.

Há tempos tive consulta com a assistente social do IPO, para ficar a conhecer os "benefícios" existentes para os doentes oncológicos, e saí de lá determinada a mandar a família toda a esta consulta. É que nós estamos muito mais protegidos e, em caso de necessidade, podemos ser consultados pelos psicólogos do IPO. Já a família, não.

Felizmente, as coisas acalmaram (que é como quem diz, a malta viu que eu estava a reagir bem à quimio) e não foi necessário.

Para os interessados, cá vão os contactos.


Liga Portuguesa Contra o Cancro

Estrada Interior da Circunvalação nº 6657
4200-177 Porto
Telefone: 22 542 06 89 - Fax: 22 542 06 89
Psico-oncologia@ligacontracancro.pt
www.ligacontracancro.pt
LINHA CANCRO 808 255 255

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Vidas em Jogo

Hoje ia escrever sobre os 6 meses de vida da Leonor. Só que, entretanto, abri o meu e.mail e lá estava mais um apelo para doacção de medula óssea.

Desta vez, é a Cá (Carmen) de 4 anos que precisa de ajuda. Leram bem só tem 4 anos e foi-lhe diagnosticada leucemia. Não posso imaginar o sofrimento dos seus pais. Todas as vezes que vou ao IPO, passo pela sala de estar da Pediatria e lá estão aqueles meninos que nos ensinam tanto.

Parte-se-me o coração e só penso, que tudo me aconteça a mim e nunca à minha filha.

Já antes divulguei um apelo semelhante, que podem reler aqui http://hodgkin-logoexisto.blogspot.com/2009/09/vossa-atencao-todos-podemos-salvar.html

Doar medula é muito simples.

Não argumentemos com o medo da dor. É só uma picada, ou seja nada para quem tem coragem para se submeter a depilações e afins. Nem procuremos desculpa na falta de tempo. Arranjamo-lo para ir ao cabeleireiro, ginásio ....

Deixo-vos o blog da Cá, onde a poderão conhecer melhor, assim como a história de outras crianças.

http://carmenpine.blogspot.com

É tão fácil ser herói de verdade.

Pensem nisto.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Nostalgia

No meu tempo é que os desenhos animados eram bons. É tramado quando começamos a falar como os nossos pais e avós, mas é a lei da vida - "filho és, pai serás".

Tenho constatado isso, agora que começo a ver a bonecada com a Leonor. Indicação da pediatra, claro está. Uns minutinhos de televisão por dia, para começar a adquirir capacidade de concentração.

Para quem, como eu, tem saudades do "nosso tempo", cá vai um blog muito giro que me foi enviado pelo eng.º Kinas.

http://desenhosanimadospt.blogspot.com/

Divirtam-se

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Mais uma Amiga de Parabéns


Hoje é mesmo dia de festa.

Um grande beijinho de parabéns para a Amiga mais frontal e racional que tenho. A Carla (Carlota,como tenho a mania de lhe chamar).

Como não posso ser muito simpática, ou começas logo a chamar-me lamechas (o que eu detesto), digo só que coninuo a ter "inveja" da tua capacidade de organização e concentração. Muitas vezes (melhor dizendo, sempre) copiei os teus trabalhos de casa de latim.

Sempre fui mais baldas, por isso é que de vez em quando lá estava eu, em pleno Verão, a estudar para os exames e aparecias tu, aborrecida por não ter nada para fazer.

Lembro-me com muito carinho da nossa ida à Expo 98, do passeio pelo Alentejo (só tu para descobrires o maior menir da Península Ibérica quase no fim do mundo), dos aniversários da Salomézinha (quase descobríamos outra vocação, depois do bolo da Minnie), a viagem de finalistas a S. Salvador da Baía, and so on, and so on.

E, a brincar, a brincar, já lá vão 15 anos de uma Amizade que, mesmo à distãncia, não acaba e será agora continuada pelos nossos pequenos.

Ass.Uma amiga, quase, lamechas

MUITAS FELICIDADES NESTA DATA QUERIDA



Não há como fugir ao "lugar comum", estou mesmo a ficar velha.

Faz hoje 22 anos, estava eu ansiosa que o meu pai me levasse a Aveiro para ir conhecer a nossa benjamim.

A menina que, quando tinha cerca de 3 anos, me agarrava as mãos quando me ia dar um beijo de boas noites, para que eu não a abraçasse. Tantos eram os abraços que lhe dava, que a pequena enjoou.

Na impossibilidade de lhe dar um grande abraço hoje, aqui fica este post de uma irmã apaixonada.

PARABÉNS TIA XU. A Leonor está aqui a mandar um beijo

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Já só faltam três sessões

Lá foi mais uma. Desta vez tive a companhia da minha mana do meio. Bela manhã de férias, hem?

O tratamento correu bem. Já só faltam 3 sessões.

Estou bem disposta, tenho só um pouco de anemia mas o médico não considerou relevante.

Por falar em prendas de Natal, já comprei algumas. Entre elas a da minha princesa rainha. Aproveitando que, apesar de precoce, ainda não sabe ler, vou revelar que é um presépio em pano, muiiiiiiiiiiiiito giro. O primeiro da colecção que quero fazer-lhe. Mais tarde decidirá se a continua, ou não.

A minha menina há-de conhecer o Menino Jesus antes do Pai Natal e saber que este não é mais de que um responsável de logística contratado para tratar da cadeia de distribuição dos presentes.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Uma aventura na ponte do Freixo

Hoje fiquei, novamente, parada na ponte do Freixo.

Começa a ser recorrente, só que desta vez foi por causa do trânsito. Motivo bem diferente daquele que se tornou motivo de chacota para toda a vida de duas Susanas.

Um belo dia, lá iam a Susaninha e a Suzzzz (assim baptizadas pela nossa amiga V) para o Porto, no carro da Suzzz. À saída de Aveiro, o carro começa a tremer e diz a Suzzz "Este carro está mesmo velho. Olha para as minhas mãos". E lá estavam as mãos da Suzzz a tremer no volante, por efeito dos tremeliques do carro.

E diz a Susaninha, "já ontem senti qualquer coisa".

E ríamos, ríamos.

Fomos indo, até que, em plena ponte do Freixo, os tremeliques passam a solavancos e a Suzzz só teve tempo de encostar à direita.

Saímos do carro e lá estava a origem da "velhice" do carro. Um pneu completamente desfeito (fiquei a saber que os pneus têm uma malha metálica no interior).

Como é fácil de imaginar, nenhuma das duas sabia mudar pneus. A mim, o meu pai sempre disse que não valia a pena ensinar porque não iria ter força para desapertar os parafusos. Como ainda é do bom tempo, o meu pai acreditava que, em caso de necessidade, bastaria pedir ajuda a quem passasse.

Pois, pois. Não faltavam carros a passar. Alguns cheios de gajos. O problema é que se limitavam a mandar umas bocas e nem abrandavam, os camelos.

E lá estávamos nós, em plena ponte do Freixo, mortinhas de riso mas, desta vez, por causa dos nervos.

Como ninguém fazia o favor de parar, ligamos para a assistência em viagem. "Desculpe, tive um furo num pneu...". Resposta do outro lado. "E?".

Resultado, tivemos mesmo de esperar que uma alma caridosa parasse. Claro que havia de tudo naquela mala do carro, menos o macaco. Também, para quê se não o sabíamos usar.

Uma risota.

Confirmei, naquela tarde, uma das dúvidas que tinha que era a de saber se seria capaz de identificar um furo no pneu. Não sabia.

Felizmente não aconteceu o mesmo com uma dúvida "similar", a de identificar as primeiras contracções. Essas identifiquei-as e bem. Foi uma sorte, senão era ver o Nelson, atarantado, no meio da casa à procura de uma tesoura para cortar o cordão umbilical da Leonor.

Havia de ser bonito.

Um beijinho minha querida Suzzz e rápidas melhoras para esse "santo" que te atura.

PARABÉNS AFONSO




Faz hoje 4 aninhos, um dos afilhados mais bonitos do mundo. Só não digo que é o mais bonito, porque tenho 3.

"Madrinha, preciso da tua ajuda. Vem cá abaixo, trazer-me os brinquedos". Foi esta a frase que me faz derreter e correr escada abaixo, com os brinquedos do príncipe do Alto Alentejo na mão.

Pensar que dantes tinha de o ameaçar para conseguir tirar uma foto (vê-se a sua cara de satisfação nesta que coloco no post) e agora já me dá "ordens" com aquele sotaque delicioso.

Está um homem, o meu menino.

Só "queria ter um avião, para te ver mais amiúde".

Parabéns Afonso.



PS. Estava a brincar. Nunca o ameacei para tirar fotos, tinha era de o agarrar, com alguma determinação, para que não fugisse.

Ass. Uma madrinha babada

sábado, 7 de novembro de 2009

Está tudo ao contrário

Razão tinha aquela velhinha que dizia que desde que o Homem foi à lua, está tudo de pernas para o ar.

Então não é que eu e a Leonor, que fazemos parte daquilo que os cânones consideram "grupo de risco, estamos "finas como um alho" e a família à volta está, ou já esteve, toda constipada.

É a vida.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Marinheira Geriátrica




Irra que as miúdas são iguaizinhas ao pai.

Pronto, cá vai um aditamento ao último post.

No "bando" que foi ao aeroporto, incluía-se a minha doce irmã do meio. A marinheira geriátrica, eh,eh,eh, que vive em casa de vez em quando e, a maioria do tempo, em pleno rio Douro. Poderia por aqui o nome da empresa para a qual trabalha, mas só me lembro do nome da empresa rival.

Quanto a bocas, não mandei nenhuma, minha querida, e sempre segura, irmã mais nova.

E agora o recadinho para a Íris, não comeste a sopa que te pusemos. Deixa de ser aldrabona, sua pulguenta.

Bem, ciumeiras à parte, valeu pelos comentários da tia ursinha. Já só falta adicionar-se aos seguidores. Boa?

A minha semana



Esta tem sido uma semana em cheio.

A Leonor continua a sua adaptação às sopinhas. Como é bom de adivinhar, está a correr muito bem. Depois de uma experiência menos conseguida com a couve flor, viemos a descobrir que a danadinha gosta muito de nabo. NABO!!!!!!!!!!!!!! E eu nem o cheiro suporto.

Parece que, neste aspecto, sai ao pai. Agora está no feijão verde (muito mais suportável, na minha óptica), e parece que também aprecia. A seguir vai passar para os bróculos (quase tão mau como os nabos) e quase aposto que vai lamber os beicitos.

Como é que ela consegue comer aquilo é que não sei. Sem sal, nem a Íris (a cadela da minha mãe) lhe toca. E olhem que estou habituada a comer com pouco sal. Mas o que interessa é que a boneca gosta.

Na 3.ª feira fomos fazer baby-sitting do avô Matos. A Leonor engraçou mesmo com o bisavô. Olha para ele e começa a gargalhar, sem mais nem menos.

Mas o dia mais ansiado era 4.ª feira. Chegou o meu "calcanhar de Aquiles", a minha mana mais nova. A "aeromoça" da Ryanair que vive na Suécia e por quem estou sempre a "morrer" de saudades.

Lá fomos nós, em bando, para o aeroporto. A Leonor com um cartaz de boas vindas ao peito. Uma animação.

Veio por 4 dias e diz que eu e a Leonor fomos a razão de ter vindo. Assim se enganam os tolos. E nós ficamos todas felizes, pois acreditamos piamente, claro.

5.ª feira tive "consulta" com a Delegada de Saúde. Há benefícios fiscais para os doentes oncológicos. E se há benefícios, a malta vai tentar usufruir deles que isto não pode ser só malefícios.

Se alguém me conseguir explicar a razão de ser desta "consulta", agradecia que me dissesse. A dita, resumiu-se em assistir à médica a fazer um resumo dos relatórios médicos do IPO e depois comunicar-me que me iriam notificar para ir a uma Junta Médica. Podia pensar-se que o objectivo da "consulta" era o de entregar os relatórios médicos pessoalmente, mas nem isso. Entreguei os relatórios a uma funcionária administrativa que fez o favor de os entregar à médica.

Ou seja, eu náo fiz nada lá. Nem me perguntaram como me sentia, apesar de a médica ser extremamente simpática. Mas não faz sentido. Por acaso estou de baixa e não me fez grande diferença ir lá, pois a tia Xuaninha fez-me o favor de dedicar um dos seus dias de férias à Leonor. E se estivesse a trabalhar? Enfim, burocracias inexplicáveis.

Hoje estou em minha casa, depois deste corropio, que para mim é cansativo (já nasci cansada, como diz o meu pai), devidamente equipada de pantufas e sem a mínima intenção de por o nariz fora de portas.

RETIRO E 15.º ANIVERSÁRIO DO GRUPO DE ORAÇÃO JOVEM ADORAMUS TE

O Adoramus Te faz 15 anos.

15 anos de muita Amizade e, acima de tudo, de um grande crescimento espiritual e humano. Não somos diferentes dos outros jovens mas, por tudo o que temos tido o privilégio de experienciar ao longo destes anos, temos responsabilidades acrescidas.

Temos a obrigação de mostrar ao mundo uma Igreja Alegre e sempre em Movimento, muito diferente Daquela que quem procura polémicas e publicidade barata pensa conhecer.

Para comemorar o aniversário do Adoramus Te, vai realizar-se, nos dias 21 e 22 de Novembro, na Casa José Engling – Santuário de Schoenstatt (Gaf. da Nazaré), um Retiro cujo Tema será "Como o barro em Tuas mãos, Transforma-me, modela-me como Tu!". O Retiro tem como destinatários jovens entre os 16 e os 35 anos.

Contrariamente ao que possam imaginar, não vai haver jejum. Aliás, são famosas as ceias no sábado à noite. Sempre com o chouriço do Luís, a broa de Fermentelos e o que mais nos lembramos de levar.

Também não haverá sacrifícios corporais e nem seremos despojados do telemóvel ou outros meios de comunicação com o mundo exterior, apesar de o objectivo ser, claro, parar um pouco e afastarmo-nos do frenesim do dia-a-dia.

Acreditem que vale a pena. É sempre uma Festa. Penso que alguns dos Amigos que costumam passar por este blog, poderão testemunhar isso mesmo.

Foi num destes retiros que conheci o Adoramus Te (já lá vão quase 9 anos) e, como já viram por tudo o que tenho relatado em posts anteriores, foi Amor para a vida.

Este ano não poderei, por questões de logística familiar, participar em todo o Retiro, mas domingo (dia 22) lá estarei.

Para quem quiser viver um fim de semana diferente e especial, de encontro consigo e com Deus, cá vão os horários:

Inicio - sábado 14h (casa José Engling)

Encerramento - Domingo, Igreja do Carmo com jantar/lanche convívio após Eucaristia 18:30h.

Só é preciso um coração aberto e disponibilidade para abrandar o ritmo intenso em que vivemos.

Convém levar a Bíblia, e um caderno para o caso de quererem apontar algo. Se levarem saco-cama, a estadia ficará mais barata (cama há sempre, não haverá é lençóis, neste caso). Mas estas informações deixarei para a organização.

Inscrições: 965849506

Espero que aceitem o Convite.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sanidade Mental

Tenho pensado muito sobre o que será a sanidade mental. Vejo tanta atrocidade e estupidez à minha volta que não consigo chegar a nenhuma conclusão. Ou melhor, aquilo que mais se pode aproximar de uma conclusão é a sensação de que não podem exigir que tenha muita.

Se calhar nem tenho nenhuma. É o mais provável, depois de ter recusado ser curada por alguém que só com uma peça de roupa minha faria o trabalhinho.

É verdade, dias antes de começar a quimio recebi o telefonema que poderia ter mudado tudo.

"Olha, vou dizer-te uma coisa......não sei se acreditas nestas coisas".

Alto que vem lá bomba, pensei eu. Diz.

"Falei com o meu irmão sobre a tua situaçáo e ele conhece um senhor que também já só tinha 3 meses de vida".

Também já só tinha 3 meses de vida?!!! Porreiro, está a começar melhor do que eu imaginava. Também, não é uma palavra utilizada para fazer comparações? Quer dizer que já fui sentenciada à morte e não sei?

Bem, acho que nunca raciocinei tanto, em tão poucos segundos.

Sim, continua. "Se quiseres, é só levar uma peça de roupa tua a um senhor que vê logo o que tens. Esse senhor que o meu irmão conhece, ainda anda por aí".

Uau. Melhor que o Euromilhões. Tenho é um pequeno defeito ou feitio que é o de desconfiar de tudo o que não seja amplamente divulgado pela imprensa.

Além disso, acredito piamente que se já tivesse o destino traçado, os meus médicos não iam andar a esquartejar-me e injectar drogas. Se não fosse pelo lado humano da questão, que aquilo doi à brava, seria pelo lado económico (aqueles procedimentos médicos custam balúrdios).

Ainda meia atordoada com a sorte que me estava a bater à porta, agradeci a atenção, expliquei que não acreditava em "galinha gorda por pouco dinheiro" (não por estas, mas por poucas palavras) mas que se mudasse de ideias iria pedir o contacto de tão "iluminado" santo na terra.

Sei que devemos respeitar crenças diferentes das nossas e procuro ser cada dia menos intolerante. Também sei que a intenção foi das melhores e não queria ser injusta.

Mas, sinceramente, às vezes perco a pachorra. Já basta o que basta.

Assim não dá para ser sãzinha da cabeça.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Teria sido hoje

Teria sido hoje o meu regresso à vida activa, caso não me tivesse metido na droga.

Quem ficou a lucrar foi a minha Princesa Rainha, que se safou de ir já para o berçário e tem a mãe 100% disponível durante mais uns tempitos.

Assim, enquanto estiver refém do meu sistema imunitário, cá continuarei no meu papel de mãe e dona de casa e a cumprir o ritual de ler, diarimente, os sumários do Diário da República, que uma mulher tem de estar sempre actualizada.

É da maneira que vou entrar em 2010 cheia de força e com o Código Contributivo lido, sublinhado e cheio de post it.

Me aguardem.

domingo, 1 de novembro de 2009

Gira e "boa", como um helicóptero

Faz hoje anos, a nossa loira. A miúda que está a arruinar o negócio das manicures de Aveiro e arredores.

Sim, que a ragazza é tão perfeita que há muito mulherio que rói os dedos (onde é que já vão as unhas).

"Toca piano e fala francês"? Muito banal. A chicca fala chinês. Palavra de honra. E tem sentido de humor, tempo para mim (sabem que valorizo)...

Preciosa, como diriam nuestros hermanos

PARABÉNS MADALENA