quinta-feira, 29 de abril de 2010

Balançar

">

Ouçam a letra. Linda

Obrigada Aninhas



Há posts inevitáveis e este é um deles.
Não sei bem como começar, talvez pelo início. Já conhecia vagamente a Ana Gonçalves, mas nunca tinha convivido com ela, até ao momento em que foi seleccionada para me substituir durante a licença parental.

Eu devia ter desconfiado do que se ia passar a seguir, pois assim que saiu da entrevista começou a tratar-me por tu. E o que se passou foi uma empatia imediata e uma Amizade que vem a crescer desde esse dia.

Pela tua total disponibilidade para me apoiar, compreender os meus silêncios, a minha falta de paciência, os meus medos e inseguranças; pela tua alegria e simplicidade; pelo teu espírito lutador, que tanto me tem ensinado - OBRIGADA AMIGA

Um grande beijinho

Nevinhas

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Mais um stress

Hoje foi dia de consulta dermatologia no IPO.
A consulta, supostamente de rotina, estava marcada há meses.
Quando a consulta começou, avisei logo o médico que hoje não era para me descobrir mais nada.
Lá nos rimos das minhas parvoíces, até que começou a fazer uma cara feia.
Tenho duas pequenas borbulhas (para variar não fixei o nome técnico) que deixaram o médico de pulga atrás da orelha.
Conclusão, tratamento com corticóides durante um mês e nova consulta para ver a evolução. Se continuarem cá, biópsia excisional para análise da origem.
Provavelmente será só mais um susto, mas não deixa de ser um susto.
É uma gaita isto de tentar não stressar com tudo de diferente que surge no nosso corpo, qual hipocondríaca em último grau, mas a verdade é que se torna quase impossível.
Especialmente, quando o médico que nos diz "quero vê-la daqui a um mês", e coloca na requisição da consulta a anotação "extra, se não houver vagas", é o mesmo que há ano meio nos disse "minha querida, vai ter de vir comigo".

sábado, 24 de abril de 2010

Castigos Corporais

Estamos na iminência de uma nova fase, a dos castigos corporais.
Recuso-me a ficar, novamente, sózinha em casa com esta pequena delinquente à solta.
É incrível a rapidez com que arrasta o rabo para chegar onde quer e, mais incrível ainda, a sua apetência para ir e mexer onde não deve.
Próximo passo, compra de um parque e de uma trela.

PS. Não se assustem que quem vai infligir os castigos corporais vai ser a delinquente ... aos pobres pais.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A minha Minnie



Mesmo correndo o risco de me tornar chata (os temas de conversa andam pouco variados), não resisto a mostrar-vos a minha Minnie.

A boneca que, neste preciso momento está a tentar enfiar os dedos nos buracos de uma tomada, está a iniciar uma nova e excitante (pelo menos para a mãe) fase da vida, a da introdução do 2.º prato.

Ou seja, já pode comer da nossa comida. Ora, isto traz-me vários problemas. Desde logo porque tenho sérias dificuldades em cozinhar algo que não inclua natas, queijo ralado e outras coisas saudáveis. Depois porque temo que, depois de conhecer outros sabores, comece a mandar-me comer a sopa a mim.

Vamos ver o que isto dá.

PS A tomada já está protegida, claro

quarta-feira, 21 de abril de 2010

(In) capacidade de concentração

Não sei se é da trovoada (de hoje e dos meses que antecederam o dia de hoje), mas a minha (in) capacidade de concentração atingiu níveis históricos. Pena que sejam negativos, muito negativos.

A coisa não está fácil.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Aliança

Faço parte daquelas mentes suficientemente abertas e modernas para perceber e sentir que não é uma aliança que fortalece o Amor ou diz algo sobre a relação.

Apesar disso, faz-me falta a anilha e hoje senti essa falta de forma particular.

No meio da minha habitual desorganização, não encontrei a aliança, de manhã, e tive de sair sem ela. Por estranho que pareça, senti-me incompleta e desconfortável.

Espero que a experiência sirva para me disciplinar e começar a por as coisas sempre no mesmo sítio.

Serviu, pelo menos, para me recordar uma cena deliciosa que aconteceu dois dias antes da Leonor nascer, num dia em que, como hoje, me esqueci da aliança e um velhote me abordou na rua para perguntar "se o pai tinha assumido o bebé".

segunda-feira, 19 de abril de 2010

CONSULTA

Hoje fui à revisão. As análises e o TAC estão bem. O gânglio no pulmão pode ter sido uma infecção respiratória. A tosse e secura da garganta estarão relacionadas com congestão nasal. Vou fazer um tratamento e se daqui a 3/5 dias não estiver melhor, telefono à médica.

Para já, ainda não vou tirar o cateter. A médica está a ponderar pedir novo PET na próxima consulta.

Segue-se a consulta de dermatologia no IPO(próxima 2.ª feira),limpeza do cateter (final de Maio) e consulta de onco-hematologia (final de Junho)

Uma animação, a minha vida.

Com isto tudo, e apesar das boas notícias, sinto-me derreada como se tivesse levado uma carga de pancada. Isto de ser uma gaja "valente" é cansativo.

Estou farta disto tudo.

domingo, 18 de abril de 2010

As aparências iludem




Ontem de manhã, fomos laurear para a Baixa do Porto, com a madrinha Dina.

Para almoçar, não encontrámos lugar mais saudável que o restaurante de uma famosíssima cadeia de fast food.

Estava eu a dar a sopa à Leonor, quando a Dina me diz "já viste o que o pessoal há-de estar a pensar"?

É que nas cadeias de fast food não se usa louça de porcelana e a sopa da Leonor (CASEIRINHA), de dourada e bróculos, foi aquecida no recipiente que aparece na foto.

Lá tirámos a foto, para a posteridade, e continuámos a comer, sempre com medo que a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco aparecesse.

É parecida ou não é?




Tentei colocar esta foto no post de ontem, mas um qualquer problema técnico não mo permitiu.

Digam lá se a miúda não é a cara do avô (comparem com a foto de ontem).

Obrigada tias Eva e Suzzz, pelos vossos comentários que foram a melhor prenda que o avô, babadíssimo recebeu.

sábado, 17 de abril de 2010

Parabéns




Há 56 anos, lá na longínqua aldeia da Marmeleira, nasceu um lindo rapaz a quem foi dado o nome de Fernando.

Criado com os ares puros e frescos da cidade que dizem Farta,Forte, Fiel, Fria e Formosa, depressa se tornou jovem promessa do futebol nacional. Afastado do futebol por lesão, quis o destino que se cruzasse, em Coimbra, com aquela que se tornaria a mulher da sua vida.

E foi em Aveiro (sempre Aveiro) que vieram a nascer as suas descendentes, Susana, Ana e Joana.

É difícil falar do meu pai, sem que me venha a lagrimita ao olho, tanta é a admiração e tão grande o Amor.

Por isso e para não tornar este post numa dedicatória lamechas, limito-me a deixar aqui um grande beijinho de Parabéns e o meu agradecimento por tudo aquilo que fez, faz e fará por mim.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sorriso dos médicos ajuda a melhorar saúde dos doentes

Segundo uma notícia que li hoje, o sorriso dos médicos ajuda a melhorar a saúde dos doentes.

Não fiz parte desse estudo, que aconteceu no âmbito de uma tese de mestrado, mas podia ter sido, pois a minha experiência pessoal é prova dos seus resultados.

A comunicação não verbal é essencial para o sucesso de qualquer relação e a relação médico-paciente não é excepção.

Por isso é que me farto de rir nas consultas de onco-hematologia, excepto quando as notícias são más, claro. Brincamos tanto que a consulta acaba por ser uma espécie de terapia do riso. Tem é o inconveniente de me esquecer sempre de parte das perguntas que queria fazer.

E por falar em consulta, neste momento estou ansiosa que chegua 2.ª feira. Nada me alegrava mais do que ouvir que tenho uma laringite ou faringite ou uma gaita do género. Tudo é preferível à hipótese que esta cabecinha pensadora já colocou e me dispenso de explicar.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Maldita rinite

A Leonor continua acometida de uma maldita rinite, que faz com que expulse ranhoca pelos ouvidos e olhos. Sei que a imagem é nojenta, mas é realidade e, o mais curioso, é que o facto de o fazer ajuda-a a desobstruir as vias respiratórias.

À conta disso vai começar agora a tomar antibiótico pela 1.ª vez.

Apesar disso, tem ido ao infantário e gosta muito. Hoje perguntei à educadora se notava alguma coisa nela que denunciasse a agitação que foi a gestação e os primeiros meses de vida. Respondeu-me que não, que a Leonor é uma bebé feliz e com uma personalidade forte. Foi o que bastou para me dar ânimo para enfrentar o longo dia que tinha pela frente e ainda não acabou.

O receio das implicações que o meu estado de saúde pudesse ter na vida da minha filha, reapareceu esta semana quando a directora do infantário disse à Leonor "és muito faltista". Ora, parte das faltas deve-se às minhas idas a consultas e exames médicos. E os seus primeiros 6 meses de vida foram passados a mudar, semanalmente, de casa por causa da quimio. Isto para não falar da gestação atribulada.


É, por isso, um alívio ouvir que está bem e se percebe ser feliz.

terça-feira, 13 de abril de 2010

11 meses da princesa rainha



A Leonor fez hoje 11 meses. Escusado será dizer que está cada dia mais linda. Já começa a mostrar a sua personalidade, reclamando quando a coisa não lhe agrada. Ainda não gatinha, mas vai-se safando a arrastar o rabo e lá consegue chegar onde pretende.

É uma maravilha assistir à evolução deste tesouro. Adora dar abracinhos e fazer adeus e fica toda orgulhosa por nos surpreender com as suas façanhas.

O nosso Amor, esse, não pára de crescer.

domingo, 11 de abril de 2010

Tarde atribulada

E depois de ontem termos passado uma tarde relaxante, eis que hoje a coisa foi mais atribulada.

Estávamos de saída para um lanche com umas amigas, quando diz o papá "tens as minhas chaves"? Não. "Então não vamos a lado nenhum".

Pois é, o meu maridão fechou a garagem, com as chaves (da mesma) lá dentro. Por, triste, coincidência, a 2.ª chave da garagem estava junto do comando da porta (do prédio) que, por sua vez, estava dentro do carro, que estava fechado na garagem.

Em resumo, o carro das saídas a 3, estava trancado. O outro é só de 2 lugares.

Inspirei e expirei, enquanto o Nelson deitava fumo pelas narinas. Lé tivemos de chamar um senhor, que, por 50€, fez o favor de arrombar a fechadura e substitui-la por outra.

Com isto tudo, a tarde foi passando e o lanche teve de ficar sem efeito. Com muita pena minha, não pude ver a barriguinha da Luísa.

Se tivesse sido eu a causadora desta aventura, ninguém estranharia. Sou perita em confusões. Tendo sido o Nelson, é que a coisa fica mais estranha.

Cá para mim foi da droga que inalou das vezes que me acompanhou à quimio.

sábado, 10 de abril de 2010

Tarde primaveril



Esta tarde, para aproveitar o sol, fomos dar um passeio até ao parque urbano do rio Ul, em S. João da Madeira.

A tarde estava esplêndida e divertimo-nos à brava os três.

Aqui fica uma foto de um dia muito feliz.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Rinite

Pois é, as viroses têm costas largas. Depois de litros e litros de ranho, viemos a descobrir que a princesa rainha tem uma rinite e não a tal virose. Não sabemos se é de origem alérgica ou infecciosa, mas será facilmente tratável.

As minhas desculpas ao infantário que, pelos vistos, está inocente desta vez.

Já comprámos a máquina das nebulizações e hoje começámos o tratamento.

Descoberta que está a origem da ranhoca, sua Alteza Real deixou de ter argumento para faltar ao infantário.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Bem-vinda Carolina

Estou radiante. Nasceu hoje o membro mais novo da família. A prnicesinha luso-sueca Carolina.

A minha vontade era voar para a Suécia para estar junto da minha primaça Sandra. Quem sabe ainda o faço este ano. Vamos ver se é possível.

Um beijinho aos papás babados, Sandra e Henrik e ao mano giraço, Alexandre.

O nascimento de um bebé é sempre uma benção, é símbolo de vida renovada. Tem de ser festejado.

Fico a aguardar fotos deste tesourinho que chegou hoje ao mundo.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Alguém me anda a mentir

Depois de uma noite mal dormida, à conta da princesa rainha que está novamente de baixa, levantei-me feita zombie e meia de mal com o mundo.

Valeu-me o maridão que, espontaneamente, e de forma que quero acreditar gratuita, me disse "estás tão gira hoje".

Tendo em conta que o espelho, de há uns meses para cá, me diz exactamente o contrário, só posso concluir que um dos dois me anda a mentir.

Seja como for, o piropo soube bem, claro.

domingo, 4 de abril de 2010

Votos de Santa e Doce Páscoa




A todos quantos seguem este blog, e em especial aos que os seguem por afinidade relativa à circunstância que me levou a criá-lo, os meus desejos de uma Santa e Doce Páscoa. Que vivam sempre com um sorriso no rosto.

Beijinhos

Boa Páscoa Padrinhos



A pedido de Sua Alteza Real, Princesa Rainha Maria Leonor, deixo aqui os desejos de Boa Páscoa para os padrinhos Dina e Rui.

Não percebo bem o significado do que está a palrar, mas tenho a certeza que deve ser qualquer coisa do género "os meus papás fizeram a melhor escolha".

Beijinhos do tamanho do mundo

PS Já ando a treiná-la para pedir a benção à madrinha :)

sábado, 3 de abril de 2010

O significado do Coelho da Páscoa



Os coelhos são dos primeiros animais a sair da toca, quando chega a Primavera e reproduzem-se em grande quantidade. São, por isso, símbolo de fertilidade e de renovação de vida.

Fonte: site Educação de infância

6 Anos

Faz hoje 6 anos que, sem saber, iniciámos este projecto de vida em comum.

Depois de umas quantas noitadas no messenger, após as quais ia trabalhar com palitos nos olhos, uns lanchinhos e passeios, eis que combinamos um encontro em Aveiro.

E prontos, como acontece a todos os que passam por Aveiro, eis que o menino ficou rendido (à cidade e à menina) e lá deixou o seu coração.

O resto já sabem, tornámo-nos inseparáveis e, tempos mais tarde, arranjámos uma compincha à altura, que veio completar este importante projecto vitalício e torná-lo, cada vez mais, perfeito.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

A origem do dia das mentiras

Podem existir várias explicações para o dia 1 de Abril se ter transformado no Dia das Mentiras.

A maior parte dessas explicações apontam para a França. Desde o inicio do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da Primavera.

As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de Abril.

Em 1564, depois da adopção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de Janeiro.

Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de Abril.

Alguns franceses mais brincalhões passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes estranhos e convites para festas que não existiam.

Por exemplo, na época, uma das brincadeiras mais populares era o envio de cartas e convites a amigos para assistirem a o casamento de pessoas que nem sequer se conheciam, mencionando a igreja, o dia e a hora em que seria celebrado o suposto matrimónio.

Tudo faz crer que as "brincadeiras" francesas, continuem a existir, graças à eternidade das manifestações folclóricas no mundo inteiro.