Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2019

Preconceituosa, eu?

Andava eu a navegar na NET, quando descubro que uma das minhas médicas é blogger e youtuber. Tudo normal para mim, não fosse dedicar-se a conteúdos, para mim, bué fúteis como saldos e maquilhagem e utilizando muitos "tipo" e afins.
Acho que não teria ficado mais chocada se fosse stripper, admito.
Passado o choque inicial, fiquei com vontade de me ajoelhar em cima de grão de bico para me penitenciar pelo facto de ser tão preconceituosa. Quem disse que um médico tem de ser erudito? Porquê está
esta mania de criar estereótipos? Porquê?
Fica a questão no ar?

O Filho Pródigo

Não deve haver família em que nunca ninguém se tenha queixado de se dar mais atenção ao filho distante do que àquele que está presente em todas as horas. Tenho um exemplo paradigmático bem perto.
Em conversa com uma amiga sobre a Parábola do Filho Pródigo, finalmente percebi a razão. O cuidado é especialmente devido a quem deles precisa e não a quem merece.
Para além de que amar é também sinónimo de perdoar.
Logo, faz todo o sentido a reacção daquele pai. E, sendo legítimas as dúvidas do irmão sempre presente, perceber o porquê de se cuidar daquele que mais precisa é algo que faz falta e certamente apaziguaria muitos corações. Gostei e vou tentar transpor para o dia a dia.

Parabéns Engenheiro

Caríssimo Engenheiro
Ando aqui perdida nos tempos verbais a utilizar.
Hoje é o teu dia de anos. Não os comemoras aqui na terra mas farás festa aí em cima, certo?
Fazes, portanto, anos.
Não gosto do "farias", ainda que lhe reconheça o significado.
A dificuldade em acreditar é um grande entrave a esta minha necessidade de me situar no tempo.
Já perdi a conta às vezes em que julguei ver-te neste último mês.
E o nó que se me forma na garganta, sempre que percebo o engano, só é desfeito pela eterna imagem do enorme sorriso que tão bem te caracterizava, imagem que ficou marcada de forma indelével na minha memória e coração.
É esse sorriso (que conheci "há menos 15 kgs"), juntamente com a felicidade que  percebi tão forte em ti nas última palavras que trocamos, que ajuda a  seguir em frente.
Até um dia, aí no céu.
Parabéns

Felicidade

Imagem
Consta que hoje é o Dia Mundial da Felicidade. Há séculos que filósofos e teólogos andam a teorizar sobre o conceito.
Pessoalmente, resumo-a nesta imagem. Simples, subjectivas, intangível. Acima de tudo, compatível (se o quisermos) com a felicidade alheia. Afinal, como diria Santo Agostinho, todos queremos ser felizes. E não interessa defini-la. Importa é perceber onde a encontrar.

Quem pode censurar as bichanas?

Imagem
Liberdade e presunto. Quem pode censurar as bichanas?

As prometidas notícias

Tal como prometido, cá vai o resumo da consulta de onco-hematologia.
- Como se sente, alguma queixa?
- Não, sinto -me bem!
- E as meninas?
- Estão óptimas!
- Gosto tanto de a ver!
- Eu também!

(Sorrisos)

- É sinal que as coisas funcionam!

(Mais sorrisos)

E, pronto, médica e pacientes felizes.

Até para o ano!

8 anos de Tita!

Imagem
8 anos de Tita! Por muito que recue não consigo lembrar a vida sem a tua energia e alegria, minha bebé.
Que navegues sempre em águas firmes, vivendo entre doces nuvens de algodão e desbravando os túneis que fores encontrando pela frente. E, com a bravura que te conhecemos, faças xeque mate a cada imprevisto, procurando ver sempre mais além.
Os pais e a mana acompanharão cada passo teu e jamais estarão longe porque vives bem cá dentro, aninhada no coração, nosso pequeno furacão.
Parabéns.








Enfrentar os cornos do touro

Imagem
É por elas, como diria o Fausto.
Por elas enfrento os cornos de qualquer touro. Eu, que também o sou, ainda que isso nada me diga. Não acredito em signos, só na força do Amor.

Caminhos

Imagem
Que é isto de viver, senão percorrer vários caminhos a ritmos nem sempre coincidentes com o nosso querer. À rola muitas vezes, outras impelidos por forças em nós desconhecidas quando as circunstâncias o impõem. Ultrapassar momentos sombrios, procurando-lhes a beleza. Aproveitar o que a luz nos traz ao clarear ideias, razões ou falta delas. Sempre na incessante procura de um sentido para o nosso eu.






Começo a sentir-me compreendida!

Imagem
Não é fácil para uma beiramarense de coração, agora também esgueirense, explicar à sua cara metade portista, demasiado mal habituada a vitórias diga-se de passagem, o que é vibrar com um jogo entre aflitos.

Percebo que, a quem está habituado a lutar por títulos, pareça completamente impensável existir quem chore de alegria por não descer de divisão e saboreie cada pontinho como se significasse a vitória na Liga dos Campeões.

Muitas têm sido as, por vezes acesas, trocas de argumentos para fazer ver ao meu mais que tudo a emoção de ir ao futebol ou ao basket só por ir, sem expectativas de ver algo que não a nossa equipa a dar o (por vezes muito pouco) que tem.

Não posso pois deixar passar o dia de hoje em branco. O dia em que, em vésperas de comemorarmos 15 anos de namoro, recebi uma mensagem "acho que vais gostar, acompanhada de um smile e da partilha de uma crónica, ESTA , que me fez recuar a alguns dos melhores tempos que passei com o meu pai, no velhinho Mário Duarte e antigo …

Quer queira, quer não queira, o burro há-de ir à feira!

Quer queira, quer não queira, o burro há-de ir à feira!

Regra geral, os meus dias ficam marcados por frases, imagens ou músicas. Coisas que me impressionam os sentidos ou a memória.

A frase do dia de hoje, que tantas vezes ouvi à minha avó, é sem dúvida esta.

Haja pachorra.

3.000 abdominais diários?!!!

Como assim, 3.000 abdominais diários?!!! Fiquei exausta só de pensar.
Caso para dizer, o CR7 é uma máquina de fazer dinheiro mas sai-lhe, literalmente, do corpinho.

De que me queixo?

Desde segunda-feira, dia de IPO, que esta pergunta não me sai da cabeça. De que me queixo? Lá fui fazer os meus exames de rotina, empunhando o cartão que já só têm os da velha guarda. O dia estava soalheiro. Entrei, tomei o café da praxe devidamente acompanhado do belo bolinho, revi um grande Amigo, fiz o que tinha a fazer e vim a minha vida.
Porquê, então, o peso sentido nos ombros? De que me queixo? Segunda-feira voltarei, para mais análises e consulta. Lá ouvirei a velha história sobre o facto das minhas veias já terem tido melhores dias e virei embora, até 2020, assim acredito.
De que me queixo, então?

Memória dos afectos

Imagem
Olhas para mim e sorris sempre.
Não sei se me conheces mas estou certa que me queres com a força de sempre e devolvo-te o olhar, cheio do mesmo querer  A memória dos afectos não se perde.



"A mana é uma destravada!"

Algo me diz que vou ter saudades de ter o meu duche relaxante interrompido por uma criaturinha desdentada, de metro e pouco, que irrompe pela casa de banho a gritar que "a mana  é uma destravada!" e a desfiar um rol de queixinhas mais ou menos fundadas.

Neste dia de luto pelas Vítimas da Violência Doméstica

“Com base nos dados disponíveis, incluindo do Relatório GREVIO (grupo de peritos responsáveis pela monitorização da implementação da Convenção de Istambul), da Equipa de Análise Retrospetiva de Homicídio em Violência Doméstica e do Observatório de Mulheres Assassinadas, são, de fato, identificadas falhas no sistema de apoio e proteção às vítimas e na penalização de agressores: défice de comunicação entre os serviços; bloqueios associados, como por exemplo o “sigilo profissional”; escassez de equipas especializadas e permanentes; insuficiente capacidade de avaliação e gestão do risco; omissão de ação da justiça em tempo útil; modo adequado e em articulação entre os tribunais criminais e de família e menores; escassez da implementação de medidas efetivas de proteção da vítima”, lê-se no texto - excerto de noticia do EXPRESSO.

Esta é a nossa realidade e é por ela, devidamente identificada e inalterada até ver, que este Dia Nacional de Luto pelas vítimas da Violência Doméstica me sabe a …

Mas a Quaresma não começa só amanhã?!

Imagem
-Espera só um bocafo, que tenho uma coisinha no forno para levares!
- O que é?
- Já vês, como andas sempre a perguntar se tenho chocolate...
- Oh mãe, logo hoje que começa a Quaresma!
- Então não é só amanhã?!
- Não mãe, hoje e quarta-feira de cinzas!
- Ah! Fiz confusão!

E assim começa a Quaresma, com o tentador a encarnar na minha própria mãe.

Incompreensível

Imagem
A capa do Diário de Aveiro de hoje tem esta parangona "Dadores recusam doar medula e jovem morre com leucemia".

A noticia corre à boca cheia na cidade desde o dia do falecimento deste jovem.

Escaldada que estou relativamente a notícias falsas/distorcidas, especialmente envolvendo factos que mexem com as emoções mais profundas, não quis sequer aprofundar o tema.

Não me interessa quantos "dadores" recusaram sê-lo na hora h; basta que exista 1 no mundo para ser mau demais.

No caso concreto não me interessa até o sensacionalismo do título (que, por norma, me irrita).

Sei bem que o transplante de medula não garantiria a sobrevivência do Fábio mas seria, certamente, uma possibilidade ímpar de sobreviver.

Infelizmente este(s) não foi/foram caso(s) único(s). É uma realidade da qual a minha onco-hematologista me tinha falado há anos e que achei impossível de acontecer.

Afinal aconteceu, mais uma vez.

E, desta vez, não me importo com o sensacionalismo do título. Que sirv…

Revisão a chegar

Depois de um aninho sem lhe pisar o chao, eis que este mês irei três vezes(!) ao IPO fazer revisão a este corpo esbelto.
Mês de 1001 sentimentos contraditorios. Tal como os outros, de resto!
Depois dou notícias.

O Justiceiro

Como ponto prévio deixo claro que , para mim, o único justiceiro ao cimo da terra foi o Michael Night. Talvez seja por isso que embirro tanto com o pirralho que está em Budapeste a fazer-se de vítima do sistema português, aquele que está podre e que o menino quer salvar mas somente se for por cor controlo remoto. Sendo uma feroz defensora do princípio da presunção da inocência, defenderei com unhas e dentes as garantia de defesa do nosso auto-intitulado salvador. Mas que seja homenzinho e venha para cá provar a sua inocência. Ou será que se segura melhor noutras bandas?

Do que me preenche

Imagem
Vê- las a pôr a mão na massa, dar forma, ver crescer. Uma atrás da outra, entre risadas e gritos. Chegar ao final do dia estafada, mas poder encher de beijos aquelas bochechas adormecidas.

É tudo o que me preenche.