sábado, 26 de fevereiro de 2011

Há doidos para tudo

E eu, claro, também tenho as minhas pancas que tento serem o mais inofensivas possíveis.

E cá estou eu, às 07h00 de um sábado (que o meu relógio biológico não distingue dias úteis de dias de descanso) a dobrar roupa e navegar na net.

Isto, depois de a minha bexiga me ter acordado, tal como tem feito sempre nos últimos tempos, por volta das 05h45, e de o peso estimado de 3, 369 Kgs da minha Benedita fazer com que não tenha posição na cama e acorde toda partidinha.

Desconfio que este novo horário, aliado ao ritmo louco dos meus dias úteis está directamente relacionado ao facto de ao fim da tarde/início de noite, e depois de fazer o jantar, não consiga mexer mais um dedinho que seja.

A única coisa que me faz acreditar não ter perdido, ainda, toda a minha sanidade mental é o facto de me conseguir controlar e não fazer todas as chamadas telefónicas que ando para fazer há séculos e vou adiando por só ter oportunidade de as efectuar a horas impróprias para as pessoas normais.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

37 semanas

E cá estamos nós, chegadas às 37 semanas. A partir de hoje, caso decida nascer, a Benedita já não será considerada prematura e, como diz a médica, ninguém fará nada para a deter.

Considerando o nosso contexto familiar, estou na fase em que tenho de confiar na assertividade da minha filha mais nova.

Passo a explicar, o papá tem ma viagem de trabalho inadiável e parte para Moçambique (aqui ao lado, como toda a gente sabe) no dia 5, regressando dia 11.

Isto significa que a miúda só tem "ordem" para nascer na próxima semana (o que não me dá jeito nenhum, pois ainda tenho uma resma de trabalho para despachar) ou a partir de dia 11 pois, além de não me ver a dar à luz sem a presença do papá, ando ansiosa por poder acompanhar a Leonor vestida de sevilhana (com direito a sapato de tacão e tudo).

De modos que é este o ponto de situação

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Foi no dia de aniversário da Suzzzz

E, de repente, lembrei-me que faz hoje um ano que regressei ao trabalho, depois de uma paragem de 9 meses na qual me dediquei a tratar da Leonor e a matar o sr. Hodgkin.

E falta menos de um mês para me retirar outra vez.

Eu bem digo, por causa de pessoas como eu é que nossa Segurança Social está à beira da bancarrota.

PS Parabéns Suzzz, que tenhas um dia muito feliz e mantenhas sempre essa espontaneidade que faz de ti uma pessoa tão especial.

36 semanas e uns dias

Já passámos as 36 semanas e os dias passam cada vez mais velozes.
Entre trabalho (muito) e idas ao hospital (esta semana foram 3 e para a semana outras tantas), chego ao fim do dia incapaz de mexer um dedo que seja.

A Benedita continua toda mexida, e, certamente, a lamentar o espaço exíguo onde mora.

Eu lá fui à tal consulta de medicina interna. A médica pareceu-me ter tanto de competência técnica como de bruta. Considerando que, neste momento, já estou por tudo não me incomoda a parte humana da senhora. O importante mesmo é que, na opinião dela, parece haver excesso de zelo da obstetra, pois o resultado das minhas análises não será assim tão alarmante para uma grávida. Apesar disso, e apesar de bufar por todos os lados, vai acompanhar-me e a pedir exames.

A parte boa de nos descobrirem (ou desconfiarem) de maleitas durante a gravidez é sermos tratadas nas palminhas e termos via verde nos hospitais. No Hospital de S. Sebastião, St.ª Maria da Feira, tal como no IPO do Porto, tenho sido muito bem atendida (apesar de, por vezes, me cruzar com pessoas desprovidas de qualquer vocação para a função que exercem).

Já aqui tinha escrito há muitos meses, mas sou das poucas que não se pode queixar do Sistema Nacional de Saúde, do qual tenho usado e abusado desde Janeiro de 2008. Tendo uma carreira contributiva que não chega a 7 anos, desconfio bem que os meus descontos estão muito aquém daquilo que já gastei.Prometo que tudo farei para inverter esta situação.

Quanto à parte psicológica, já esteve melhor. Há dias em que me canso de ser forte, ou lá o que é que eu sou. Por vários motivos, os últimos dias têm sido complicados. Só não sei se é mimo (que, porventura, tenha tido em excesso, desde o tal famoso mês de Dezembro de 2008) ou se, finalmente, me estou a permitir ter uma daquelas crises hormonais que dizem ser comuns e normais numa gravidez. Nada preocupante, portanto, seja qual for a resposta.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

21 Meses



Faz hoje 21 meses que tive a suprema alegria de pegar na minha princesa rainha ao colo, pela primeira vez.

A miúda está "espetacuiar", e cada dia que passa nos faz ficar mais babados. Repete tudo o que dizemos, o que começa a tornar-se perigoso e nos faz repensar as conversas tidas na sua presença ,e vive a fase do "que é ito?", pergunta que faz 20 vezes por minuto.

É indescritível a sensação de ouvir, a cada minuto, "anda cá Lhice" ( e eu que nunca achei muita piada ao meu segundo nome -Alice) e a ouvi-la pedir o meu "cabeio" (adora fazer-me cafoné).

Um amor sem limites é o que é. Tão bom, tão bom que daqui a um mês o irei multiplicar.

A Benedita, cujo T0 está a ficar pequenito, está quase a chegar ao mundo, para nossa alegria e da mana que adora fazer festinhas na barriga e obrigar todos os que estão à volta a faze

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A pergunta que queria evitar

Durante muito tempo (concretamente 13 meses) evitei fazer uma pergunta, provavelmente por medo da resposta.

Mas esta semana teve de ser. A empresa que irá fazer a criopreservação das células estaminais do cordão umbilical da Benedita exige o preenchimento de um questionário sobre questões de saúde da mãe e lá vinha a pergunta - A mãe é portadora de alguma doença crónica, nomeadamente cancro?

A obstetra disse-me que deveria falar com a minha oncologista para que ela respondesse. E assim fiz. Tecnicamente a resposta é Sim. Portadora de Doença de Hodgkin em resposta completa há mais de 12 meses. Como me disse a médica, eu já sabia que só teria alta após 5 anos. Só aí poderei dizer que estou curada.

Quem convive comigo, sabe que não vivo obcecada com esta questão. Mas não posso esconder que me chateia e muito. Gostava de poder responder Não.

Enfim, é o que temos.

Em relação aos rins, já comecei o tal estudo. Fiz hoje uma ecografia renal e, aparentemente, está tudo bem.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

DPP - 14 de Março

Só um pequeno esclarecimento pois, inadvertidamente, tenho induzido algumas pessoas em erro.

A Benedita ainda não nasceu. Entro amanhã nas 35 semanas e a data prevista do parto é 14 de Março

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A sombra de Mr Hodgkin

Muito rapidinho, antes de ir a correr fazer umas análises, venho dar notícias.
A semana que passou foi de alucinar, ainda não percebi como é que a Bendedita não caiu de cabeça nos corredores do edifício onde trabalho.
Mas o que me perturbou mesmo foi o que ouvi da obstetra.

Vamos por pontos, que também não é nada de alarmar.

A BENEDITA ESTÁ ÓPTIMA.

A mãe da Benedita, o verdadeiro fenómeno do Entroncamento, é que vai ser estudada (mais particularmente os seus rins) na consulta de Medicina Interna (faltava-me esta no CV).

Como já aqui contei, as análises mostram que perco proteína na urina o que será sinal (à partida) de algum mau funcionamento renal.

Desta vez, a médica achou que devia pedir a colaboração da Medicina interna para saber a origem do problema. Até aí tudo bem. Vim de lá muito chateada. Não por causa de um eventual mau funcionamento renal, até porque sei que pode não ser nada. O que me chateou foi o facto de a médica dizer que o problema pode ser sequela da quimio.

Isso é que me deixou possessa. Será que vou ter de viver sempre a ouvir falar de Mr Hodgkin? Irra..............

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

86 Anos de Vida

Hoje é o dia em que o meu avô materno completa 86 anos de vida.

Uma vida cheia de peripécias e que merecia um livro, até porque a personagem principal é muito sui generis.

Sou uma privilegiada, porque continuo a ter a sua companhia diariamente e a receber grandes banhos de cultura geral (da clássica, aprendida nos seus livros da era dos afonsinhos) que tornam cada almoço inesquecível, não só pelos novos conhecimentos apreendidos, como pelas discussões hilariantes entre o avô e a avó.

E agora uma private para as minhas manas, mas que pode ser respondida por quem saiba "Alegrete é uma vila ou uma aldeia"?


Parabéns avô