terça-feira, 31 de maio de 2011

E trabalhar, não?

A menina tornou-se conhecida pela virgindade. Deu entrevistas, fez sessões fotográficas,escreveu um livro, tornou-se cronista. E aquilo que parecia um acto louvável, a afirmação de um princípio e a sua defesa sem vergonha, tornou-se um negócio.

Agora o negócio cresceu. A menina veio anunciar ao mundo que deixou de o ser. Perdeu a virgindade, mas não foi com o amor da sua vida, tal como pretendia. Entretanto aumentou os seios e até agradeceu publicamente ao cirurgião benemérito. E voltaram as entrevistas.

Fico, ansiosa, à espera do próximo capítulo. Provavelmente a cirurugia de reconstrução do hímen.

E trabalhar, não? Ups, ela trabalha e nunca se esquece de dizer publicamente o nome da entidade empregadora. O rendimento é que, pelos vistos, não será suficiente para realizar todos os seus sonhos.

E, assim, aquilo que tinha tudo para ser um grande exemplo de vida, transformou-se num negócio altamente lucrativo. Que pena.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Evidência

Sabemos que nunca ascenderemos na pirâmide social quando chegamos à conclusão que os únicos sapatos com que nos sentimos bem são umas "crocs" de imitação, que custaram menos de 5 euros.

sábado, 28 de maio de 2011

Assustei-te

Em plena A1

- Mãe, vou tirar a cadeira(que é como quem quer dizer, vou desapertar o cinto".

Olhei pelo retrovisor e lá estava ela a tentar cumprir o desígnio anunciado.

Em histeria, comecei a gritar "Leonor, se fazes isso levas a maior coça da tua vida". E ela, continuava.

Lá me acalmei e, calmamente, expliquei os vários perigos de viajar sem o cinto colocado.

Voltei a olhar pelo retrovisor e vi-a, placidamente, a fazer um sorriso que dizia "desta vez assustei-te".

E assustou mesmo, a peste.

Assim não chego a velha.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Fugia

Não fosse a minha consciência matar-me e hoje fugia de casa. Ai fugia, fugia.

A Benedita, hoje, decidiu não dormir durante o dia e dar daqueles concertos, claramente, violadores da lei do ruído. Tudo porque ontem dormiu longas sestas.

Alguém pode explicar à miúda que o facto de dormir num dia não é impeditivo de dormir no dia seguinte? A mim já não me ouve.

Ser altruísta é ...

... carregar o telemóvel de um desconhecido, só porque sim. Já é a terceira vez que o faço.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A aviar os caixotes

Está prestes a concretizar-se um dos meus sonhos de sempre. Finalmente decidimos mudar para Aveiro. Na mesma semana cumulámos a condição de proprietários com a de senhorios e arrendatários.

Devia estar aos pulos de alegria mas, curiosamente, sinto um friozinho na barriga e tenho imensa pena de deixar o meu apartamento. Enfim, nunca estamos bem com o que temos, é o que é.

De maneira que vamos começar a encaixotar os nossos tarecos. Uma vez que sou daquelas que guarda tudo, imagino que vá encontrar as mais variadas inutilidade,s das quais terei dificuldade de me desfazer. Como diria a minha avózinha "podem fazer falta um dia".

Convido-vos, por isso, a partilhar comigo as coleções que fazem. Quem sabe contribuirei para elas.

Que nem um perú

Se há dia em que estou inchada que nem um perú, tanto é o orgulho, é hoje.

As minhas Maria Pinto tiverem consulta de pediatria e estão ótimas. O momento alto da consulta é sempre aquele em que a pediatra anuncia os percentis das cachopas. Ora, a Maria Pinto n.º 2, Benedita para os amigos, está no percentil 90 de peso. Isto significa, mais coisa menos coisa, que em cada 100 crianças da sua idade, só 10 pesam mais que ela. Significa também, e aqui está o motivo do orgulho, que aqui a vaquinha tem feito um bom trabalho.

Como já confessei aqui, não gostei de amamentar, na 1.ª vez que fui mãe. Mas, sabendo o quanto isso seria importante para a Leonor, fi-lo até ao momento em que tive de entrar no ringue para lutar, corpo a corpo, com o senhor Hodgkin.

Apesar de, como é bem visível, o facto de só ter amamentado durante 2 meses e 2 meses, não ter feito mal à Leonor, foi um desgosto ter de deixar de o fazer. Daí que poder amamentar a Benedita era, para mim, um objetivo bem definido. Estive quase para desistir, nos primeiros dias, pois as dores eram muitas. Felizmente, a minha persistência e, como sempre, o apoio do meu marido, que esteve sempre ao meu lado, fizeram com que não desistisse e o resultado está à vista.

E pronto, cá estou eu mais vaidosa que nunca.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Estamos a chegar à América

Estamos mesmo a chegar à América.

Hoje a roupa suja está a ser lavada por um Presidente de Câmara e um delegado sindical. Tudo perante o olhar embevecido da Querida Júlia (Pinheiro).

Direito ao contraditório puro e duro.


Parece que os utilizadores do facebook dão vitória ao presidente.

E ainda se admiram de eu ver estes programas. Há lá experiência sociológica mais rica.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Uma mulherzinha



Está uma mulherzinha, a minha Maria mais pequena que faz hoje 2 mesinhos.
Esta noite só acordou para mamar às 06h30m. Claro que o facto de não ter dormido nadinha durante o dia ajudou. Espero que seja o início de uma mudança de hábitos, agora que nos entendemos cada vez melhor.

domingo, 15 de maio de 2011

Castings

Se Deus e o meu metabolismo deixarem de colaborar comigo (o que era muito merecido), nem precisarei de ir aos castings do Peso Pesado II. Vou directinha para a final.

Como como uma loba, e não é sopa.

Às vezes esqueço-me que já não tenho 20 anos.

Acho que estou a precisar de ir trabalhar.

sábado, 14 de maio de 2011

Quem é que faz 2 aninhos?


Começaram as festividades do 2.º aniversário da princesa rainha Leonor e só terminarão na próxima 2.ª feira. Afinal só faz 2 anos uma vez na vida.
O momento alto do dia foi o do corte deste lindo e valioso bolinho, feito pela madrinha.

Os papás andam eufóricos. A aniversariante é que já não acha muita piada à pergunta, repetida até à exaustão, "quem é que faz 2 aninhos?".

quinta-feira, 12 de maio de 2011

O meu aniversário



Sou um pouco avessa a utilizar os advérbios melhor e pior mas este ano arrisco a dizer que tive um dos melhores dias de aniversário da minha vida.

De facto, vivo uma fase muito feliz, ainda que cansativa, e na qual me sinto muito realizada. Isto de ter duas filhas é algo que me preenche muito, e não falo só do tempo. Falo, essencialmente, do alcançar de um sonho. Segundo diz o meu marido, num dos nossos primeiros encontros, eu disse-lhe que o meu sonho era casar e ter filhos. Não me lembro de o ter dito mas acredito, pois só uma mulher meia tola diria uma coisas destas a um homem. O que é certo é que não o afugentei e cá estamos.

Acho mesmo que, para a realização ser total, só me falta ter uma empregada 24 horas por dia. Enquanto esse dia não chega, vou vivendo e sentido a unicidade de cada momento.

Este ano até o tempo ajudou. O dia estava esplêndido, o meu amor não trabalhou (coisa raramente vista por estes lados), a Leonor fez gazeta ao infantário, consegui juntar "cães e gatos", que é como quem diz eu e as minhas manas e a Benedita dormiu a manhã toda. Quem disse que a perfeição não existe?

Para tornar o dia mais perfeito tive uma pequena festa em casa dos "culpados" da minha vinda ao mundo.

Os telefonemas e mensagens de parabéns foram mais que muitos, o que tornou impossível dar uma resposta individualizada. Ou seja, mais um dia em que fiquei estragada de mimo.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pelos cabelos

Desta vez as criancinhas estão inocentes. Quem anda a tirar-me do sério é um profissional (pouco) de quem ando atrás há dois meses.

Se há coisa que me chateia é ter de pedir, "por amor de Deus", a alguém que cumpra a sua obrigação e este homem está a passar das marcas. Que a crise era selectiva já eu sabia e agora mais convicta fico. Há quem se possa dar ao luxo de gozar, literalmente, com os outros e não trabalhar. A melhor resposta que o estafermo me deu hoje (semelhante à que me deu há um mês) foi "é a D.ª Catarina, não é?" e eu, a bufar, "não, chamo-me Susana". Ao que ele me responde "ou isso".

Juro que hoje lhe apertava o pescoço. O que ele não sabe é que demoro a encher, mas encho.

Mas se calhar sou eu que estou a exagerar, afinal só durmo com as belas das persianas eléctricas, e inutilizadas, abertas há dois meses.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Greve

Chamem-me o que quiserem, mas tenho para mim que fazer greve à 6.ª feira é coisa para retirar alguma credibilidade ao protesto.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

A prova




Para os mais cépticos, cá está a prova que a minha B. também sabe sorrir. Estas fotos foram tiradas 5 minutos antes do papá entrar em casa, altura em que a pequena já berrava a plenos pulmões.

A miúda não dá muita confiança ao pessoal. Deve ser por isso que o seu sorriso me levou às lágrimas, de emoção. Sou uma privilegiada.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

A isto chama-se segurança

"Estou cansada. Qualquer dia, deixo-vos aqui aos três e vou para as termas".

"Não te dava um dia para estares de volta a casa".

Toma e embrulha

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Lição do dia da mãe

Lição do dia da mãe - jamais baixar a guarda e deixar uma criança, de quase dois anos, sem fralda em cima da cama.

Mesmo que essa criança já saiba pedir para ir ao penico e tenha acabado de sair do WC, com o rabinho lavado e perfumado.

E muito menos se o motivo da ausência for ir buscar a "pê" que a pequena vigarista pede a chorar como se estivesse em sofrimento profundo.