segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pelos cabelos

Desta vez as criancinhas estão inocentes. Quem anda a tirar-me do sério é um profissional (pouco) de quem ando atrás há dois meses.

Se há coisa que me chateia é ter de pedir, "por amor de Deus", a alguém que cumpra a sua obrigação e este homem está a passar das marcas. Que a crise era selectiva já eu sabia e agora mais convicta fico. Há quem se possa dar ao luxo de gozar, literalmente, com os outros e não trabalhar. A melhor resposta que o estafermo me deu hoje (semelhante à que me deu há um mês) foi "é a D.ª Catarina, não é?" e eu, a bufar, "não, chamo-me Susana". Ao que ele me responde "ou isso".

Juro que hoje lhe apertava o pescoço. O que ele não sabe é que demoro a encher, mas encho.

Mas se calhar sou eu que estou a exagerar, afinal só durmo com as belas das persianas eléctricas, e inutilizadas, abertas há dois meses.

3 comentários:

  1. Visite o blogue do projecto Diário de Coragem, e junte-se a nós na luta contra o Cancro da Mama.

    http://diariodecoragem.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Calma Amiga.

    Hoje não é dia para nervos.

    Muitos parabéns.
    Desejo-te um dia muito feliz.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. brio profissional é uma espécie em vias de extinção...

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.