domingo, 31 de julho de 2016

Profeta Gentileza

Gentileza gera Gentileza, já dizia o profeta. Vejam. Não vão arrepender-se.

Profeta Gentileza

Gentileza gera Gentileza, já dizia o profeta. Vejam. Não vão arrepender-se.

Quando a Marisa Monte convida a Carminho

Quando vi a divulgação do concerto que a Marisa Monte daria com a Carminho nos Jardins de Serralves, não resisti.

Gosto imenso de duetos e algo me dizia que este resultaria.

Ontem lá fui, com a mana do meio e duas boas amigas.

Não me enganei. Aquelas duas funcionam bem em conjunto. A Marisa de Monte não será um "animal de palco", parece extremamente tímida, mas tem uma voz e talento que sobram e foi ganhando segurança ao longo do "show".

Gostei particularmente da interacção entre as duas e do enquadramento que fizeram das músicas. Aprendi algumas coisas e cheguei a ficar envergonhada com a minha falta de cultura (ou atenção).

Nunca me tinha apercebido, por exemplo, que o texto que o Arnaldo Antunes recita no "Amor, I love You" é do Eça de Queirós (e já li o Primo Basílio mais do que uma vez).

A aposta foi ganha, sem dúvida.

Deixo-vos o tal (belo) texto do nosso Eça, que os nossos irmãos brasileiros tão bem utilizaram.


Primo Basílio
  • “(...) tinha suspirado, tinha beijado o papel devotamente! Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades, e o seu orgulho dilatava-se ao calor amoroso que saía delas, como um corpo ressequido que se estira num banho tépido; sentia um acréscimo de estima por si mesma, E parecia-lhe que entrava enfim numa existência superiormente interessante, onde cada hora tinha o seu encanto diferente, cada passo conduzia a um êxtase, e a alma se cobria de um luxo radioso de sensações!

Deixo-vos também uma das mais belas músicas/letras que ouvi ontem.


sábado, 30 de julho de 2016

Leituras

Tenho vontade de me enfiar num livro daqueles que me faça embrenhar na história e alhear do que me rodeia.

Já houve alguns que o conseguiram e a sensação é fantástica.

A questão é conseguir encontrar um com essa capacidade o que implica começar a lê-lo (La Palisse diria o mesmo).

Tenho uma séries deles nas prateleiras, por estrear, mas nenhum me está a seduzir de momento.

Acho que tenho de fazer uma visitinha à biblioteca, outra daquelas coisas que me enche as medidas.

Se houver sugestões aí desse lado, agradeço.


sexta-feira, 29 de julho de 2016

(I )lógica

Uma pergunta errada conduz a uma resposta errada.
Se eu pergunto é porque preciso da resposta certa.
Logo, tenho de fazer a pergunta certa.

Parece me tão basilar o raciocínio que até receio estar a escapar me algo.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

No nosso tempo é muito melhor

Passados mais de 7 anos, o avô ainda não atina com o cinto do carro das cadeirinhas auto.

Depois de uma luta para colocar o da cadeirinha da Leonor, a pequena fez a pergunta óbvia "mãe, como é que o avô punha a tua cadeirinha?!".

Lá tive de explicar que, no meu tempo, os carros não tinham cinto nos bancos traseiros.

Dada a explicação a Leonor concluiu que "no nosso tempo é muito melhor. Temos mais segurança, televisão e sanitas".

Posto isto tive de completar a explicação, reforçando que nasci já no final da 2.ª metade do sec. XX e não no tempo dos afonsinhos.

E a conversa deixou-me a pensar sobre quão bom é ver que a Leonor cresce feliz, alheia ao facto de "no nosso tempo" a segurança ser um sentimento que ameaça tornar-se longínquo caso os adultos não ganhem juízo.



terça-feira, 26 de julho de 2016

Pokemóns, maná para ortopedistas

Tenho para mim que esta moda dos Pokemóns há-de, a longo prazo, ser uma mina de ouro para os ortopedistas.


Aquela torção do pescoço não pode ser boa para nenhuma coluna. Digo eu, a que a minha dói só de ver a cena.

Dia dos (meus) avós


Hoje, no dia em que se veneram os avós do Menino Jesus (Santa Ana e São Joaquim), lembro os meus com especial afecto.

Eles, pilares da família, que me acolheram num ninho cheio de Amor e princípios e a quem devo o que sou.

Eles de quem sinto um orgulho tão grande que nem consigo descrever.

Nesta foto, a lembrança de um dos momentos marcantes da vida em que me acompanharam. Aquele em que iniciei a construção da minha própria família.

A quem tem ainda a felicidade de ter avós, um conselho. Corram para lhes ir dar um grande beijo. Assim farei com a minha. Para o avó, o beijo irá direitinho ao céu.



segunda-feira, 25 de julho de 2016

Das mil e uma formas de exteriorizar o Amor

Depois da milésima primeira bulha do dia, a Leonor desabafou dizendo que é horrível ter uma irmã e não a queria ter mais.

Na brincadeira, expliquei-lhe que provavelmente a cegonha não aceitaria devoluções após terem passado 5 anos e meio de entrega.

A resposta foi pronta. "Mas o caixote do lixo, sim!".

Das duas umas, ou a Tita corre o risco de ir conhecer um contentor por dentro numa das próximas contendas ou então esta foi só umas das 1001 formas de exteriorizar o Amor entre irmãs.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Pais em férias (o vazio)

A casa continua silenciosa, com as patroas de férias com os avós.
Dentro de mim, existe um misto de sentimentos.
Não nego que me faziam falta amanheceres mais calmos mas, ao mesmo tempo, vivo uma esquisita sensação de vazio. Falta qualquer coisa. Os temas de conversa com o papá vão, invariavelmente, dar ao mesmo.
Ontem foi dia de visita e tive direito às habituais disputas do lugar mais perto de mim à mesa, do colo e atenção.
Está tudo igual afinal e daqui a uns dias estarão cá. Vou aproveitar para descansar o corpo, já que a mente não tem parança.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Estaria eu pronta para partir?

Ontem vivi um dos momentos interiores mais angustiantes de que me lembro.

Depois de um dia muito quente, cheio de viagens de comboio e táxi, cheguei à estação do Oriente e não havia circulação.

Segundo ouvi, terão encontrado um objecto estranho da linha e teve de para tudo para perceber o que seria.

Provavelmente não passaria de lixo (acho que nunca saberei), mas parou tudo e as filas acumularam-se na estação.

Tudo muito calmo, nenhum stress aparente a não ser o meu que tentei, desesperadamente, esconder para não incomodar as colegas que me acompanhavam.

Naquela hora e meia de espera, passou-me muita coisa pela cabeça. Paris, Nice, o maluquinho da esquina ....

A minha cabeça andou a mil, com a questão que me atormentava. Estaria eu pronta para partir, se fosse o caso? E os meus, como ficariam?

Foi uma tontice, eu sei. Como disse, esteve sempre tudo muito calmo e nem sei ao certo o que terá impedido a circulação.

Mas a verdade é que senti medo e não me reconheci. Sempre fui medricas, mas não com coisas deste género. Nunca fui de minhocas na cabeça.

E não consigo explicar esta angústia. Será próprio da idade adulta, do ser mãe, do ter experiência próxima com a fugacidade da vida?

Não sei, Sei só que fiquei danada comigo mesmo. E não, não estaria pronta para partir.

PS Desculpem o desabafo, em tempo veranil



domingo, 17 de julho de 2016

Que silêncio

- Que silêncio!
- Faltam cá elas.
- Pois!
- Conheces esta música
- Sim, mas não cantes que me fazes lembrar delas.
- Os vizinhos vão estranhar este silêncio.
- Pois.


Raio das gaiatas. 6 horas passadas e já morro de saudades.

sábado, 16 de julho de 2016

De barriguinha cheia

Depois do futebol, eis que somos campeões da Europa em Hóquei em Patins. Juntando a estas todas as outras vitórias desportivas ocorridas nos últimos tempos, andamos de barriguinha cheia.

Não podia ser melhor esta silly season. Acho que o Costa podia anunciar a reposição das 40  horas de trabalho (na função pública) que ninguém notava.

Maravilha.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Apanhar pokémons

Digam-me que não sou a única pessoa que, até ontem, não sabia o que é apanhar pokémons (a grande moda do momento).

Não conhecia o conceito, acho-o parvo quanto baste mas fiquei muito tentada a experimentar (ou isso ou apanhar gambozinos).

quarta-feira, 13 de julho de 2016

E Portugal segue vitorioso, agora no Mundial de Futebol de Rua


E Portugal segue vitorioso, agora no Mundial de Futebol de Rua.

"Após 5 jogos, 5 vitórias deram a Portugal o primeiro lugar do Grupo F da fase inicial da competição. Ditou o sorteio, da noite passada, que na segunda fase do Homeless World Cup, Portugal, ficasse no Grupo C com as seleções da Roménia, Indonésia, Costa Rica, Dinamarca e a Seleção anfitriã, a Escócia.

Os primeiros jogos, deste grupo, decorrem já durante o dia de hoje, nos seguintes horários: Portugal - Costa Rica (11h 50m) Portugal - Roménia (15h 50m) Portugal - Dinamarca (19h 50m) Cada vez mais unidos, cada vez mais fortes rumo ao objetivo que nos trouxe a Glasgow."

Força Rapazes!. São o nosso orgulho.
 
 

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Somos capazes

Somos campeões da Europa à custa de muito suor, lágrimas e, acima de tudo, uma enorme capacidade de trabalho e espírito de equipa.

O nosso capitão foi saco de pancada ao longo de todo o campeonato e, no sentido literal, neste último jogo mas mostrou ao mundo (e em especial aos portugueses, assim espero) que todos somos parte de um todo e podemos fazer a nossa parte independentemente do contexto.

Seja a dar força ao Moutinho, seja a incentivar os colegas durante o jogo.

Não há insubstituíveis, há membros da equipa. Ponto. E o Ronaldo soube sê-lo. Deu tudo, dentro e fora do campo.

Estou feliz, muito. E com uma enorme esperança que retenhamos algumas lições. Somos capazes. Tão bons, ou melhores, quanto os adversários.

É preciso acreditar e trabalhar para colher os frutos. Vamos esquecer a mentalidade pequenina, que nos tolhe os movimentos, de achar que somos menos do que outros.

Vamos aproveitar esta vitória também para mostrar Portugal ao mundo. Aquilo que somos, temos e sabemos fazer.

Somos grandes, com ou seu torre Eiffel de vermelho e verde.

Só é pena que hoje não seja feriado, mas não há países perfeitos :)



domingo, 10 de julho de 2016

Antevisão da final, por Leonor

- Mãe, acho que Portugal não vai ter hipóteses!
- Porquê?
- Porque a França é bué da forte!
- Achas mesmo?
- Sim, só vamos ter 5 hipóteses.
- Quais?!
- Cristiano, Pepe, Nani, Renato ... ah e o Rui Patrício.


Uma vez que o comentário foi exactamente igual ao que fez antes dos outros jogos, estou muito esperançosa, ainda que algo preocupada com esta costela de "Velho do Restelo" a qual não engana quanto à sua alma lusa.


Vamos a eles, carago!

sábado, 9 de julho de 2016

Portugal no Mundial de Futebol de Rua que começa a 10 de Julho


No meio da euforia do Europeu, recebi o e.mail que não resisto a partilhar e passo a transcrever

"finalizado o estágio, a nossa Seleção de Futebol de Rua já se encontra em viagem rumo a Glasgow, onde tem início o Mundial no próximo dia 10 de julho.


O sorteio de equipas ditou que Portugal iniciará no Grupo F, juntamente com as seleções da Hungria, Namíbia, Zimbabué, Bélgica e Coreia do Sul.



Os jogos têm transmissão online através do site do Homeless World Cup www.homelessworldcup.org/tournament/watch-online


Divulguem e deixem as vossas mensagens de apoio na página do projeto https://www.facebook.com/projectofutebolderua".



Força rapazes. Estou convosco!



sexta-feira, 8 de julho de 2016

Roam-se de inveja da minha sorte!

Amanhã é dia de Festival Panda e as portas do estádio do Mar abrem às 09h da matina!

Roam-se de inveja da minha sorte. Acho que à tarde estarei a soro.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Coisas que o Europeu 2016 ensinou às minhas patroas

1- A cantar o Hino de Portugal, numa versão comovedoramente aproximada da original

2 - Termos futebolísticos como "meio campo" e "recuperação de bola", que usam com uma convicção que ninguém diria estarem a leste do seu significado

3 - Que a estrela portuguesa do momento se chama Renato (não fazem ideia quem seja mas enchem a boca para elogiar as suas qualidades)


Não sou vingativa mas ...

Agora era a França levar na boquinha, da Alemanha, aos 119 minutos  (para cansar o nosso adversário ).
A teoria é da minha cara metade, mas achei tão boa que comprei.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Perda gestacional

A perda gestacional é um drama cuja dimensão desconhecia até bater à porta de uma das minhas melhores Amigas.

Não posso dizer que sei a dor de quem a vive (só quem passa por isso saberá), mas consigo pelo menos imaginar só ao recordar o momento em que fiz as 1.ªs ecografias e reviver o som do coração de  pequenos seres de 8 mm.

Há ali vida, desde o 1.º segundo.

Apoio pois todas as iniciativas, como a que podem ver AQUI, que visem dar mais atenção à dor de quem passa por este drama cuja dimensão é inimaginável.

Com humildade podemos chegar a Paris

Com humildade podemos chegar a Paris, diz o nosso engenheiro.
Eu acredito e, simbolicamente, partilho a 1.ª coisa que me veio à cabeça ao ler este título.

Para vocês - Mala de Cartão (Linda de Suza) .

Coucou Paris



segunda-feira, 4 de julho de 2016

Preciso de me regenerar

Nunca tinha pensado nisto, até terem removido 2/3 do estômago à minha mãe, mas há órgãos e tecidos do nosso corpo que se regeneram.

Se  pensarmos no cabelo e no sangue diremos que esta minha constação é básica mas se formos mais além, a órgão tão vitais quanto o estômago e o fígado, percebemos que é algo maravilhoso.

A vida vai-se regenerando a cada momento.

É certo que essa regeneração não significa necessariamente a substituição completa de estruturas e funções, muito menos de pessoas, mas é a ela que hoje num dia particularmente doloroso me agarro.

sábado, 2 de julho de 2016

sexta-feira, 1 de julho de 2016

12 anos de casa!

E já se passaram 12 anos desde que entrei na casa!

Já faço parte da mobília (o verdadeiro mono), como se costuma dizer.