terça-feira, 19 de julho de 2016

Estaria eu pronta para partir?

Ontem vivi um dos momentos interiores mais angustiantes de que me lembro.

Depois de um dia muito quente, cheio de viagens de comboio e táxi, cheguei à estação do Oriente e não havia circulação.

Segundo ouvi, terão encontrado um objecto estranho da linha e teve de para tudo para perceber o que seria.

Provavelmente não passaria de lixo (acho que nunca saberei), mas parou tudo e as filas acumularam-se na estação.

Tudo muito calmo, nenhum stress aparente a não ser o meu que tentei, desesperadamente, esconder para não incomodar as colegas que me acompanhavam.

Naquela hora e meia de espera, passou-me muita coisa pela cabeça. Paris, Nice, o maluquinho da esquina ....

A minha cabeça andou a mil, com a questão que me atormentava. Estaria eu pronta para partir, se fosse o caso? E os meus, como ficariam?

Foi uma tontice, eu sei. Como disse, esteve sempre tudo muito calmo e nem sei ao certo o que terá impedido a circulação.

Mas a verdade é que senti medo e não me reconheci. Sempre fui medricas, mas não com coisas deste género. Nunca fui de minhocas na cabeça.

E não consigo explicar esta angústia. Será próprio da idade adulta, do ser mãe, do ter experiência próxima com a fugacidade da vida?

Não sei, Sei só que fiquei danada comigo mesmo. E não, não estaria pronta para partir.

PS Desculpem o desabafo, em tempo veranil



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.