quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mau feitio

Andava eu toda preocupada com as dores, provocadas pelas cólicas, que fazem com que a B. grite como uma possessa, e afinal o problema da rapariga é ter "pelo na venta".

"Isso é choro de mau feitio. A Benedita é uma bebé muito exigente, que quer que adivinhem as necessidades dela" Provavelmente já houve outros bebés assim na família".

E foi este o diagnóstico da pediatra que prescreveu, como forma de tratamento, aquilo que se resume em fazer-lhe as vontades. Ou seja, se ela acalma a andar de carro, pois andemos de carro. Se quiser colo, que seja colo. A teoria vai contra tudo aquilo em que sempre acreditei, mas a verdade é que ouvi-la chorar ,e ficar vermelha como um tomate, durante muito tempo, derrete o meu coração.

Em resumo, a parte boa é que não serão só (digo eu) dores. A parte má é que não passará aos 3 meses.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Um dia em grande




Fotos de um dia em grande, que terminou de forma memorável (para mim, que deliro sempre que a Leonor me adormece nos braços)

sábado, 23 de abril de 2011

Nevoeiro

Nevoeiro é o que tenho dentro da cabeça depois de ter ficado sózinha, com as duas piolhas, durante toda a manhã e parte da tarde.

Passei a manhã a correr entre o quarto (onde a Benedita berrava a plenos pulmões no intervalo dos seus sonos de 2 minutos), a sala onde a Leonor se divertia a atirar tudo pelos ares (o que incluiu o prato) e a cozinha (o coelho foi o que deu menos trabalho).

Uma animação.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Desilusão

Hoje tive uma desilusão daquelas bem grandes.

Chegou o relatório da criopreservação das células estaminais da Benedita. A empresa aconselha a não criopreservar as células pois, segundo os actuais conhecimentos científicos, será muito pouco provável que um dia possam ser utilizadas. A culpa é, claro está, do terrível Mr. Hodgkin. De qualquer forma, deixam a decisão aos pais.

Não posso dizer que tenha sido uma completa surpresa, pois, quando vi no questionário de saúde a pergunta sobre a existência de doenças crónicas, desconfiei logo. Mas há sempre a esperança que tudo não passe de um sonho mau.

Volta e meia Mr Hodgkin resolve dar o ar da sua graça, assim como quem não quer ser esquecido. Como se eu algum dia o esquecesse...

Desilusão à parte, a parte boa é a que a empresa está a ser extremamente correta e, caso optemos pela não criopreservação, devolverá o dinheiro. Pode ser que este exemplo sirva para quem ainda tem reservas quanto à criopreservação e pense que a criopreservação não passa de um negócio (como ainda esta semana li num blog).

Resultado, já terei tema de conversa com a minha oncologista na próxima consulta.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Subtileza

O que ele disse:

"Temos de falar sobre o teu blog"; acho que o devias dinamizar.
O Hodgkin já lá vai, as meninas nasceram e estão bem".

O que ele queria dizer:

"Esrás um bocado chata".

segunda-feira, 18 de abril de 2011

1 mesinho de Benedita


Parece mentira, mas já passou um mês.

A pequena Benedita cresce a olhos vistos e parece apostada em dar comigo em doida. Gostava de ter um aparelho para medir os decibéis da sua maviosa voz que é qualquer coisa de inacreditável. Tirando as malditas cólicas, que devem dar dores horríveis mas fazem parte do processo, está ótima.

E a mamã, apesar de já nem saber de que terra é, sente-se a mais feliz do mundo.

Parabéns Avô Fernando



Ontem foi o aniversário de um avô babado.
A festa foi tão completa que deu direito a música ao vivo. A Leonor cantou e a Benedita reolveu acompanhar com uma música estranha que, aos mais desatentos, parecia um grito lancinante que se prolongou durante horas.

Só faltou mesmo o toque pessoal que a filha mais velha gosta de dar todos os anos, mas que desta vez foi impossível de fazer já que a pobre está á beira da loucura.



Parabéns pai.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

23 meses

Faz hoje 23 meses a minha princesa rainha mais velha, que se está a portar lindamente com a mana. Apesar de ser completamente estouvada, está a reagir muito bem e muito meiga para a Benedita.

Aqui fica uma das pouquíssimas fotos em que estão as duas, que tem quase um mês. O tempo voa.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Decisão

Tardou, mas chegou o dia em que tomámos uma grande decisão.

Vamos mudar-nos para Aveiro. Tenho muita pena de deixar o nosso apartamento, mas valores muito mais altos se levantam e isto de ter um dormitório que fica a 50 Kms do sítio onde a nossa vida se centra começa a ficar complicado de gerir.

Para isso, precisamos de dar destino ao nosso ninho, que já está à venda ou disponível para arrendar.

Se conhecerem alguém interessado em vir para Santa Maria da Feira, e morar numa casa na qual os atuais proprietários têm sido muito felizes, digam.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Conversa de gajas

Gaja 1 - Vou às compras, queres ir comigo?
Gaja 2 - Desculpa, o que disseste?
Gaja 1 - Vou às compras, queres ir comigo?
Gaja 2 - Vamos amanhã, já é tarde e está tudo fechado.
Gaja 1 - Não, amanhã é piscina.

O que tem este diálogo, fútil, de especial? Nada, á excepção de a gaja 1 ser a minha Leonor (do alto dos seus quase 23 meses) e a gaja 2, esta mãe pateta que achou que estava com delírios maternais a ouvir frases, completas e bem estruturadas, ditas por uma pirralha de 22 meses.


Muitaaaaaaaaaaa baba

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Como irei sobreviver?

Ontem o dia foi duro. A menina Benedita teve muitas cólicas, fruto do seu sistema intestinal imaturo, e fartou-se de chorar.

Na farmácia disseram que a vaca Mimosa deve evitar laticínios e farináceos.

Agora, pergunto eu, como é que conseguirei sobreviver sem o meu pãozinho e o meu leitinho? Nada, mas nada, me sabe tão bem como um copinho de leite. Tenho lido pela blogosfera que o leite é para os bezerros, mas não me importo que me incluam nessa raça.

Estou, realmente, sem saber o que fazer. É que a juntar a esta restrição, que inclui basicamente tudo aquilo de que gosto e faz parte dos meus habitos alimentares, existem ainda as leguminosas, montes de vegetais, uma série de frutas (...).

E assim, eu, que tenho uma relação irracional, já aqui confessada, com a comida e uma verdadeira fobia a dietas, vejo-me perante este dilema e a possibilidade (ainda mais dolorosa) de ser a "culpada" pelas dores da minha filha.

Ninguém merece.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Afinal a culpa foi do fusível

Ignorante me confesso. Desconhecia, erm absoluto, que problemas num só fusível pudessem causar tão grande apagão. E mais, conseguissem ligar automaticamente o sistema de rega.

Anda tudo louco, é o que é.

sábado, 2 de abril de 2011

A festa continua

às 05 h 00 da manhã, a pequena mamava, o papá media a temperatura à mais velha, os passarinhos chilreavam lá fora.