segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Quem ajuda os sem-abrigo e pobres em Portugal?


A reacção negativa (chamemos-lhes desmesurada para utilizar um eufemismo) de muitas pessoas à intenção de acolher a apoiar refugiados anda a incomodar-me e são muitos os pensamentos que me assolam.

Andava caladinha, porque achava que podia ser eu que estava a complicar a coisa, mas hoje deparei-me com uma resposta da Plataforma de Apoio aos Refugiados que reflecte muito do que me vai na alma e não resisto a partilhar.

Mas não resisto a umas palavrinhas minhas.

Não faltam causas a apoiar. Podemos ajudar pessoas (crianças, adultos, idosos, doentes ou saudáveis); podemos ajudar animais (cães, gatos, golfinhos ...); podemos ajudar colectividades (desportivas, artísticas ...), podemos ajudar ..., podemos ajudar ...

Então ajudemos a causa que escolhermos. Façamos algo construtivo, nem que seja calar-nos (perdemos tantas boas oportunidades de o fazer) e deixar os outros ajudar a causa que escolheram.


Resposta da Plataforma de Apoio aos Refugiados

"Quem ajuda os sem-abrigo e os pobres em Portugal são as mesmas organizações que estão a organizar o acolhimento dos refugiados. Infelizmente, os que tradicionalmente fazem esta pergunta, encontram-se pouco entre os que ajudam os pobres e os sem-abrigo

O apoio aos mais pobres é assegurado, para além da Segurança social, com as várias prestações sociais, por uma rede de instituições de particulares de solidariedade social, espalhadas pelo país (representadas pela CNIS na Plataforma de Apoio aos Refugiados) e por instituições religiosas (como os membros da Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal ou a Comunidade Islâmica, também membros da PAR). Acresce que, no que toca às pessoas sem-abrigo, duas das principais organizações que apoiam estas pessoas, como a Comunidade Vida e Paz ou a CAIS, estão também presentes na Plataforma. Assim é evidente que, não só há muito trabalho já feito no apoio às pessoas mais pobres em Portugal, como este vai continuar, sem ser prejudicado pelo acolhimento aos refugiados. São estas mesmas organizações, sempre disponíveis para servir os que mais precisam, que estarão disponíveis para uns e para outros. 

Também importa que quem faz esta pergunta, caso não esteja empenhado no apoio concreto aos mais pobres, se mobilize para fazer alguma coisa por eles em Portugal pois, caso contrário, a pergunta feita é só uma desculpa para não fazer nada...por ninguém. Haverá sempre muito trabalho a fazer, quer pelos pobres em Portugal, quer pelos refugiados em qualquer parte do mundo. 
Felizmente o que temos encontrado por estes dias é que quem ajuda os mais pobres portugueses, há muito tempo, e são muitos, foram os primeiros a voluntariar-se para ajudar também os que precisam hoje de refúgio por o seu país estar em ruínas".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.