segunda-feira, 26 de novembro de 2012

É bom voltar a casa, mas custa



Ao que parece, já não são só os papás que estão rendidos ao Alentejo. As crias também.

Contrariamente às nossas previsões, portaram-se lindamente. Fartaram-se de brincar com os primos, viram um bezerrinho acabado de nascer, fizeram festinhas aos coelhinhos, andaram de carro de mão...

Foi uma festança pegada.

Portaram-se mesmo bem até (tinha de haver um até) ao momento de entrar no carro para regressar a casa.

A Benedita berrou a viagem toda (são só 300 e tal quilómetros). Ora porque tinha sono, mas não adormecia. Ora porque queria a chupeta, atirada para longe, nos nos momentos de fúria (só parámos o carro 3 vezes à conta da chupeta), ora porque a Leonor lhe estava a tirar as meias.

Foi por um triz que o papá (que já deitava fumo pelas orelhas) não as deixou na berma da autoestrada.

Bem tentava aplicar a minha diplomacia e distraí-las, mas não tive grande sucesso. As minhas cantorias funcionaram pouco tempo (não sei porquê, mas acabavam por as enervar).

Quase me desfiz na viagem. Com um braço a fazer festas no pé de uma e outro a fazer festas na perna da outra (não experimentem), estou toda partidinha. Não sei se amanhã me conseguirei mexer.

Mas lá chegámos, sãos e salvos, cheios de histórias para contar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.