segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Viagem ao fim do coração


Conheci a Rita através do seu blogue "Episódios de Radio", onde assinava como Silvina (nome que tanto me diz, por ser o mesmo da minha avó).


A Rita era uma mulher determinada que saía a pedalar Paris fora, mesmo depois de sessões de quimio brutais.

Tive a imensa felicidade de ser sua Amiga, ainda que só a tenha visto uma vez (meses antes de se converter num anjo da guarda).

A sua força e coragem são inexplicáveis à luz da Razão e o seu exemplo marcou-me para todo o sempre.

Fiquei, pois, muito comovida quando recebi um e.mail a dizer que vai ser lançado, dia 10 de Setembro, um romance baseado na história da Rita.

Para mim é quase como ter um bocadinho dela dentro de casa.

O José Rodrigues dos Santos que me perdoe, mas vai ficar de lado por uns tempos (que serão curtos pois, do que já li, este "Viagem ao fim do coração" é apaixonante e vou acabá-lo num ápice)



Aqui fica um breve resumo




Luísa ainda era uma adolescente. Tiago já era um jovem adulto. Conheceram-se na solidão de uma pequena praia, na margem de um rio. Tinham em comum uma relação familiar traumáti-ca. Num caso, o trauma do amor dos pais. No outro, o trauma do ódio dos pais. 
Conheceram-se num dia que pareceu conter uma vida inteira. Mas teriam ficado separados para sempre, se a invisível linha de uma doença que rói o corpo e anuncia a morte não os ti-vesse voltado a ligar, dezasseis anos depois. 
Luísa e Tiago podem até redescobrir o amor, mas apenas se a silenciosa presença das metásta-ses não se alastrar aos seus corações. 
Viagem ao Fim do Coração é mais do que uma comovente história de amor. É a recriação de um admirável mundo de pais e mães, filhos e irmãos, ódios e amores. Revela os pesadelos de um cancro injusto, mas não abdica do que é humano e essencial, o sonho. 

Num romance toda a nossa vida: como a queremos, como às vezes não a queremos. 




Sobre a Autora
Ana Casaca
Tem 39 anos e é natural de Lisboa. Licenciou-se em Direito, mas sempre soube que era na escrita que residia a sua verdadeira vocação. Troca as leis pelas letras e, em 2002, inicia-se no guionismo pela mão de Manuel Arouca, que a convida a integrar a equipa de escrita da teleno-vela Filha do Mar (TVI, 2002). 
Participou na escrita de Baía das Mulheres (TVI, 2005), Tu e Eu (TVI, 2007), Podia Acabar o Mundo (SIC, 2008), Rosa Fogo (SIC, 2011) e Bem-vindos a Beirais (RTP, 2013-2014). Adaptou, com Tomás Múrias, o guião para a série O Regresso a Sizalinda (RTP, 2006). Neste momento, integra a equipa de argumentistas da sequela de Jardins Proibidos (TVI, 2014). 
É autora dos romances A Vontade de Regresso (2002) e Todas as Palavras de Amor (2013).








2 comentários:

  1. Cheguei a ti pela via da Ana do "Vontade de Regresso" e pela Silvina do "Episódios de Rádio".
    Não cheguei a conhecer a Rita, mas li, chorei, sorri, sofri, rezei ao ler todos (mas todos mesmo desde o princípio) do blog dela e fiquei ali suspensa para saber notícias dela até saber o que aconteceu....
    Este livro, já o prometi à Ana Casaca, virá comigo para Luanda no próximo mês, mas.... só de ler esta apresentação já me escorrem lágrimas...
    Agradeço à Silvina por tudo o que me ensinou... agradeço à Ana Casaca as lindas palavras que escreve e que nos emocionam, e agradeço-te a ti Susana por ires dando estas notícias!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falar da Rita é mantê-la viva, minha querida. Para mim, é mesmo imortal e deu-nos um grande exemplo.
      Obrigada pelas tuas visitas e palavras. Um beijinho grande

      Eliminar

Obrigada por dar vida a este blog.