sexta-feira, 28 de abril de 2017

É preciso investir na reabilitação dos cães

Antes de começar a divagar, deixem-me dizer que gosto muito de animais. Tenho um gato e uma porquinha da índia que trato principescamente. O champô da porquinha chega a ser mais caro que o meu e o gato até lava os dentes.

Posto isto, devo dizer que não sei se ria se chore ao ouvir os defensores do investimento na reabilitação de cães perigosos.

Não interessa discutir a perigosidade dos bichos em função da raça porque depende sempre de muitos factores. A minha irmã do meio foi barbaramente atacada na cabeça por um pastor alemão de boas famílias, tratado e educado com o maior dos cuidados. E todos conhecem, provavelmente, pastores alemães dóceis que não fazem mal a uma mosca.

Com os caniches será igual. O meu avô viu-se e desejou-se para sarar uma ferida feita pelo dentinho de um desses bonequinhos com que se cruzou na rua.

Obviamente incumbe aos humanos ter os devidos cuidados para evitar acidentes. E há outros que ocorrem independentemente de todos os cuidados e sem que algum dia se pudesse sequer imaginar a possibilidade de ocorrerem.

Até aqui estaremos certamente de acordo.

Nada contra a reabilitação de cães. Sou, aliás, grande defensora da reabilitação como princípio.

Tudo o que lamento é que não exista o mesmo empenho na defesa da reabilitação de seres humanos sendo certo que, por si, podem ser bem mais perigosos que os cães.

E aqui perdoem-me o paralelismo que faço entre, por exemplo, um cão e um recluso que pode até ter chegado a essa condição por força de comportamentos aditivos/patológicos.

Todos queremos ver os erros humanos punidos severamente e, dificilmente, defendemos a reabilitação. Não nos importamos de ver um ser humano atrás das grades o resto da vida, ignorando a possibilidade de este se redimir e poder reintegrar na sociedade se o sistema funcionar como se pretende, mas damos a vida pela reabilitação de cães.

Pior, em sua defesa, tornamo-nos mais ferozes que eles atacando quem possa ter opinião contrária.

E isto é algo que me causa grande apreensão e receio quanto ao futuro.

NOTA IMPORTANTE - Em momento algum retirem deste texto que quero defender o abate de cães.

O que eu queria era ver o mesmo empenho (para não pedir mais) na defesa dos nossos semelhantes.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.