Palavras

Saem, atropelando-se, umas empurradas outras puxadas por coisas e sons que (nos) tocam.
Dizem tanto em pequenos nadas.
Ora discretas ora diletantes geram e matam amores, outrotanto mil e uma dores.
E voam, ou não, quando se crivam no coração.
São palavras, por uns temidas por muitos outros amadas e bem, que nos revelam e ao mundo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Este é para quem gosta de hamburguer´s e culpa sempre a vontade

12 anos, bodas de seda

Irrita-me a estupidez humana