sábado, 28 de julho de 2012

1.ª grande decisão

A Maria grande já andava há dias com ela metida na cabeça. "pai, mãe, quando é que eu começo a dormir sem fralda?", perguntava constantemente.

Na 3.ª feira, à noite, levantou-se para ir fazer xi xi e quando voltou ao quarto, perguntou "mãe, posso dormir sem fralda? Gosto tanto de dormir sem fralda".

Perante um apelo tão sentido, e uma ainda maior convicção, não tive como me opor.

Dormiu sem fralda e correu tudo lindamente.

Na noite seguinte, nem hesitei. A Maria grande deitou-se, de camisa de dormir e sem fralda. E a mamã, deitou-se com ela, para contar a história da cabra cabrês. Finda a história, a mamã aterrou como uma pedra até começar a sentir algo quente a tocar-lhe na pele.

Dispensando-me de pormenores, confesso só que, presentemente, um dos meus maiores anseios é que a urina de criança tenha efeitos terapêuticos ou cosméticos. Pronto, que pelo menos não cause alergias.

1 comentário:

Obrigada por dar vida a este blog.