quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Antecipo morte por arrependimento

Como amante da época natalícia, em todo o seu significado e símbolos, não resisto a fazer o presépio e montar a árvore de Natal.

Toda a vida tive esse ritual. A minha avó fazia um presépio enorme por cima de uma fofa camada de musgo, com figurinhas de barro, com direito a lago e tudo (um espelho no qual pousava dois patinhos de plástico).

Na árvore de Natal pendurava chocolates que resistiam até ao dia de Natal (como diz a minha mãe, eu era mesmo totó).

As minhas filhas saem a mim em muitas coisas, menos na pacatez.

E é por isso que antecipo a minha morte por arrependimento. Sei que vou arranjar lenha para me queimar, mas não me importo.

Este fim de semana faremos um lindo presépio e penduraremos chocolates na árvore.

Tão certo como dois e dois serem quatro, vou ter ovelhas tresmalhadas, misturadas com chocolate esmigalhado, pela casa toda.

Mas pensando bem, não será muito diferente do que já acontece. Há que ter fé.

2 comentários:

  1. A esperança é a última coisa a morrer!
    Eu também vou fazer cá em casa...

    ResponderEliminar
  2. Se há coisa boa nesta vida é que o arrependimento não mata :) Fazes bem em criar tradições destas na tua própria família, mais tarde as meninas vão agradecer pelas memórias. Eu já não sou da altura do presépio nem da árvore de Natal, graças à Migalha. Além de me roer as Barbies fez com que a avó desistisse das decorações, mas eu continuava a a gostar dela :)

    P.S. Estou ansiosa por ver as vossas criações!

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.