terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Na minha cama com outra

É uma pouca vergonha.

Fica uma mulher a trabalhar até tarde e quando chega à cama vê o seu lugar ocupado por outra.

A mesma que, dias antes e à falsa fé, lhe espetou uma dentada na coxa cuja marca comprova a selvajaria da agressão (perpetrada, refira-se por cima de umpar de calças de ganga e collants).

Não fosse a traidora tão fofinha, apesar da forma musculada como se manifesta, e teria sido expulsa`de imediato.

Como tenho coração mole, deitei-me na pontinha da cama, deixada livre por D.ª Maria Benedita e seu papá.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.