sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Petição contra o abate do cão Zico


Na sequência dos comentários ao meu post de ontem, fui ler o teor da Petição contra o abate do cão Zico, que passo a transcrever:

"Esta petição tem como objectivo lutar contra o abate do cão "Zico" que atacou uma criança em Beja e de todos os outros "Zicos" espalhados pelo país...
Um cão que nunca fez mal durante 8 anos e atacou é porque teve algum motivo.

O abate não é solução! Nestes casos há que investigar o que causou a reacção do cão (foi provocado/não está a ser bem tratado/etc) e pode optar-se pela reabilitação/treino do cão!

Se não se abatem pessoas por cometerem erros, por roubarem, por matarem...então também não o façam com os animais! Eles também merecem uma segunda oportunidade!

POR CADA VIDA PERDIDA DEVIDO AO ATAQUE DE UM ANIMAL, VÁRIAS VIDAS SÃO SALVAS POR ANIMAIS!!!

Os signatários"

A conclusão a que chego é a de que mantenho tudo o que escrevi ontem.

Para evitar mal entendidos, vou resumir a minha ideia.

1.Gosto de Animais
2.Tem de se investigar a causa do ataque
3. Os donos devem ser punidos, se se confirmarem os maus tratos
4. Não concordo é que se arrisque a reabilitação do cão, comprovando-se que realmente atacou, havendo a possibilidade de que ataque novamente

Ou seja, em momento algum, defendi o abate (cego) de animais.

O que acho é que o risco de tentar reabilitar um animal perigoso é desproporcional face aos danos físicos e morais que pode causar aos seres humanos.

Sei que a capaz é delicada e provocadora de algumas reacções mais impulsivas. Quero, por isso, agradecer os comentários serenos e lúcidos que fizeram ao meu último post e dar os parabéns, em especial, à Sara Costa pelo seu trabalho em defesa dos animais.

Ao anónimo das 20:42 nem sei que dizer. Talvez que me faz acreditar na teoria de que não existem cães maus, só maus donos porque revela uma agressividade equiparável à de quem maltrata animais (irónico este mundo).

Para terminar, a certeza que, apesar de gostar de animais, continuo a gostar mais de seres humanos (sem prejuízo de pensar que existem alguns que deviam passar algum tempo dentro de uma sala cheia de Zicos).

6 comentários:

  1. N li o post de ontem.. Quero apenas sublinhar q um acto isolado n implica necessariamente reabilitação.
    E se vamos falar de recursos, comecemos por trabalhar mentalidades e criar leis q defendam os direitos dos animais em vez de os deixar em situações limite. Se assim fosse, n haveriam pessoas atacadas, animais abandonados e maltratados.
    N se trata de gostar mais de pessoas ou animais. Trata-se de respeitar td as formas de vida. E esse é só a maior prova dw humanidade.. Chega de, como seres racionais, continuarmos a sacudir as responsabilidades para os desgraçados dos irracionais q vivem à
    nossa disposição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto, Sílvia.

      Obrigada por contribuir para esta troca de ideias

      Eliminar
  2. Olá Susana,

    Li atentamente os seus dois posts e vejo que está preocupada com uma reabilitação ineficaz.
    Infelizmente, os rumores na internet são coisas que se espalham como fogos em dias de Agosto. O Dinis pereceu, infelizmente, devido aos ferimentos provocados pelo Zico.http://www.publico.pt/sociedade/noticia/mais-de-11-mil-pessoas-contra-abate-do-cao-que-matou-crianca-em-beja-1580190 O avô do Dinis diz que a criança terá entrado na cozinha às escuras e saltado para cima do cão, o que desencadeou uma reação de defesa por parte de um animal que não foi treinado e que sofria maus tratos e que tem muita força.

    Estou, eu também, profundamente chocada com a morte do Dinis.

    No entanto e apesar de saber disto (e atenção que não estou a desvalorizar a morte da criança!), continuo a achar que a culpa não é do Zico, mas dos donos. Por maltratarem o animal e por o terem em condições precárias.

    Compreendo o que diz do potencial perigo e nada indica que o Zico não o fará outra vez sem reabilitação. Por isso acho que há reabilitação possível e já foi feito, como pode confirmar aqui. http://www.telegraph.co.uk/news/newsvideo/7593222/Dangerous-dog-rehabilitation.html#

    Gostaria também de dizer que esta causa não é meramente a favor do Zico mas também um pedido de revisão da legislação. O Zico foi mandado imediatamente para abater por causa da lei e, mesmo com diversas pessoas a manifestarem o interesse na adopção, o Zico não é libertado.

    Não quero cnvencer ninguém com o meu comentário, mas peço a todas as partes das opiniões deste assunto, que documentem os seus argumentos e, acima de tudo que respeitem a opinião de todos.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Ana Baião. O seu comentário veio enriquecer muito este debate. Tem toda a razão no que diz. É urgente que se altere a legislação e que todos procuremos informação sobre esta quetsão.

    Vou ver o link que me indicou.

    Volte sempre. Bom domingo

    ResponderEliminar
  4. Olá
    com todo o respeito pela sua opinião, até porque fala por experiencia própria que eu felizmente não consigo avaliar, só não percebo porque é que existe pena de morte para animais que não conserguem defender-se quando para o ser humano, e há tantos assassinos que matam das maneiras mais crueis possiveis e imaginárias ,quantas vezes nem sequer na cadeia pagam pelo que fazem. Não sou a favor da pena de morte até porque cabe a Deus decidir o nosso fim mas pos favor que assim seja tambem com os animais... Natalia Neves

    ResponderEliminar
  5. Não concordo com o abate o «Zico», ele deve ser ajuado a ser integrado na sociedade, visto que era um cão que passava os dias fechado numa cozinha sem ver a luz do dia e quem sabe sem comia e sem água. Deixem viver o «Zico» , se existe um culpado pela morte do menino que só tinha 18 meses e não era para estar sozinho no escuro são os seus próprios pais.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.