sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Carago não, carago

Há dias, a Tita estava a resmungar comigo (coisa que faz frequentemente, aliás) e terminou com qualquer coisa semelhante a "carago, mãe".


Atónita, mas ao mesmo tempo com vontade de rir, quis certificar-me se tinha ouvido bem.

- Disseste carago, Tita ?

E ela, nada.

- Mas tu disseste carago?

À vigésima vez que fiz a pergunta, a tia Dulce não se conteve e chamou-me à razão. " Se não disse, vai dizer agora, não achas?".

É verdade, vá-se lá perceber este gozo que paizinhos e restante família sentem ao ouvir as criancinhas dizerem os primeiros palavrões.

É assim um misto entre "isso não se diz" e o "é tão giro".

Mas sim, a minha Tita diz carago e porra. A Leonor prefere dizer, 1000 vezes ao dia, cócó e xi xi, que acredita ser o pior insulto que se pode fazer a alguém.

Espero que se vão ficando por aí, as minhas ladies.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.