Avançar para o conteúdo principal

Mimar não é estragar

Sou seguidora do blogue familiar do João Miguel Tavares, o Pais de Quatro.

Neste post (ou melhor no post que o originou), e  posteriores comentários, levantou-se uma questão importante relacionada com a aquilo que considero a diferença entre mimar e estragar.

Acho que, com frequência, se confundem estes dois conceitos para mim totalmente diferentes.

Mimar, enquanto acto de dar Amor e transmitir segurança nunca será demais. Estes gestos, de que fala a mamã Teresa Mendonça, criarão memórias que o tempo nunca apagará e acredito que contribuirão para que os filhotes sejam adultos felizes e realizados.

Não estou a falar de encher as crianças de prendas só porque sim. É extremamente importante que tenham noção de que não podemos ter tudo na vida (e aqui faço sempre analogia entre os presentes e outro tipo de ambições pessoais).

Mimar só será estragar se esquecermos os limites e tornarmos aquilo que era um gesto de Amor numa forma de satisfazer caprichos.

Eu cá acho linda esta tradição criada pela Teresa Mendonça, que me faz lembrar a minha avó materna (com quem vivi muitos anos), que nunca saía sem me perguntar se eu queria alguma coisa da rua.

Sinceramente não acho que me tenha estragado pois, juntamente com o mimo, transmitiu-me os princípios que tanto prezo e quero passar às minhas filhas.

Há lá algo melhor que sentirmo-nos amados!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Este é para quem gosta de hamburguer´s e culpa sempre a vontade

Antes de mais devo dizer que ninguém me encomendou o sermão, juro.
Há poucos meses uma jovem (empreendedora e altruísta) que me dá a honra de ser minha amiga, resolveu por-se ao caminho e reabrir a Culpa da Vontade, uma hamburgueria 5 *.
Com esta decisão criou o seu emprego e deu emprego a outros. Ajudou outros negócios na freguesia (lembro-me do talho, por exemplo) e alegrou muitas almas (toda a gente sabe que um bom hamburguer é algo faz ressuscitar mortos).
Passados poucos meses, o negócio (recém nascido) apanhou com este tsunami que nos está a abalar.
Em vez de se deixar abater, aquela jovem empreendedora e altruísta reinventou o modelo de negócio e voltou (agora) com serviço de take away e entregas ao domicílio.
Fiz questão de dizer "presente" no primeiro dia e posso assegurar que a qualidade é a mesma de sempre e as medidas de higiene das melhores e mais rigorosas que tenho visto por aí.
Por isso malta que gosta de hamburguer´s é correr e fazer a encomenda. Não se arr…

12 anos, bodas de seda

Há 12 anos, quando dissemos o sim, estávamos longe de imaginar mais de 99% daquilo que o caminho a dois nos iria trazer.
Não nos passava, certamente, pela cabeça vir a celebrar as bodas de seda separados por milhares de kms.
Aconteceu, e acredito não ter sido por acaso. Tal como acredito que estás aí, do outro lado, a pegar num dos copos para brindar.
Parabéns a nós, que entre altos e baixos temos seguido sempre em frente. Unidos, apesar da geografia parecer querer dizer o contrário.

Irrita-me a estupidez humana

Ao sair do carro deparei-me com este lindo cenário. Por mera casualidade não pisei as luvas de alguém muito preocupado em proteger-se a si próprio esquecendo-se que isso de nada adiantará se não se lembrar dos outros e do meio ambiente em que vive.
Estamos todos no mesmo barco ou não?
Irrita-me a estupidez humana!