quarta-feira, 23 de abril de 2014

Piada de baixo nível, mas que serve para reflectir

Entre as várias piadas que vi fazerem sobre a conquista do campeonato pelo Benfica retive esta, em particular, por a achar de tão baixo nível quanto importante para reflectir.

"O Benfica é como as mulheres que sofrem de violência doméstica ...
Basta uma festinha para se esquecerem que enfardaram durante anos!!!"

A violência doméstica é um flagelo a que continuamos a assistir e, contrariamente ao que se possa pensar, não se limita às classes mais baixas.

As razões pelas quais as mulheres (na sua grande maioria) mas também alguns homens se sujeitam à mesma são de várias ordens mas acredito que assentem muito em questões culturais e, acima de tudo, na incapacidade que a sociedade demonstra em apoiar e amparar quem tem a coragem de deixar tudo para trás.

Há coisa de 10 anos assisti a um julgamento em que a testemunha da violência doméstica, mãe da vítima" respondeu ao juiz que só dizia à filha para ter calma porque ".... uma mulher divorciada ..." (e estou a falar de uma situação em que esta mãe via o genro enfiar a cabeça da filha na sanita).

Esta passividade (e medo dos julgamento dos outros) será já (espero eu) um caso muito raro, mas a verdade é que continua a existir apesar de todos os progressos.

O legislador lá vai tentando uma mãozinha e aquando de uma das mais recentes alterações ao Código do Trabalho introduziu o direito de o trabalhador vítima de violência doméstica ser transferido, a seu pedido, para outro estabelecimento da empresa, para citar um exemplo.

Mas é uma gotinha de água no oceano e todos nos lembramos da discussão em torno da decisão de qualificar a violência doméstica como crime público.

Enquanto nos regermos (mais ou menos inconscientemente) pelo ditado "entre marido e mulher não metas a colher" pouco mudará.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.