domingo, 25 de maio de 2014

Decisão difícil





A 1.ª grande decisão que tivemos de tomar quanto à Leonor relacionou-se com a vacina contra a gripe A, que acabou por não tomar.


Agora, a 1 ano de entrar na escola primária, o papá é da opinião que a pequena vá para a pré- primária para que se comece a adaptar ao novo ambiente.


O meu coração de mãe anda apertadinho com esta ideia. Sinceramente não vejo grande vantagem na mudança, embora reconheça a vantagem de a Leonor se integrar em  grupos diferentes e conviver com outros meninos que não aqueles que conhece desde bebé.


Aquilo que me deixa mesmo angustiada (acho que é mesmo esse o sentimento) é o facto de sair de um sítio onde sei que é muito bem tratada e onde eu própria fui sempre muito acarinhada.


Tenho uma forte ligação sentimental à escolinha das minhas meninas e às suas funcionárias.


Não consigo esquecer as circunstâncias em que lá entrei, que me impediram de estar na 1.ª reunião de pais por coincidir com uma sessão de quimioterapia e todo o cuidado tido comigo e com a situação.


Não há nada que pague poder ir trabalhar descansada, por saber que as nossas crias ficam bem entregues (tal como comprova o facto de haver dias em que choram por não querer vir embora).


O que me faz ficar renitente quanto a esta troca não é, nem de longe nem de perto, o facto de a pré ser uma escola pública. Há bons e maus profissionais em todo o lado.


O que me prende são os afectos. Sei que mais um ano e a Leonor terá, necessariamente, de mudar. Mas sempre seria mais um ano de aconchego.



1 comentário:

  1. É um caso cabeludo... Por um lado teria mais um ano de aconchego. Por outro lado será que não será ainda mais difícil para ela mudar de escolinha daqui a um ano? Eu não tenho memórias do meu infantário (e a mudança para o colégio não me custou nada), talvez por ter saído tão novinha...

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.