sábado, 7 de fevereiro de 2015

Chamem-me inculta, insensível, o que quiserem

Chamem-me inculta, insensível o que quiserem mas há coisas que não entendo.


E uma delas é esta notícia.


Sem querer ofender o Paul Gauguin,lá onde estiver.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.