quinta-feira, 26 de março de 2015

Querido Diário

Querido diário


Não escrevia há seculos. Sinto-me a explodir. Preciso tanto de desabafar. As minhas irmãs estão comigo, mas é como se estivesse sózinha.

 A do meio ia logo a correr contar tudo ao papá, ou aproveitava para me chantagear como daquela vez em que comecei a recitar de cor uma das tuas páginas (ainda gostava de saber como conseguiu abrir-te).  E a mais nova ainda é muito infantil, nunca ia perceber-me.

Esperei tanto pelas férias de Verão e agora que chegaram parecem-me um pesadelo.

Lembras-te de te falar no Vicente? Aquele, que mora em frente a mim?

Pediu-me em namoro na semana passada e eu aceitei, claro. Passei horas à janela, só para o ver e pensava que nunca tinha reparado em mim.


Fiquei tão feliz ....

Logo por azar, vim de férias para a casa da minha avó no dia seguinte.  E os meus pais querem que fique por cá até ao final de Agosto.


Acreditas?


Mas há pior.  2.ª feira resolvi mandar-lhe um postal  (acho tão romântico), mas enganei-me na morada e  escrevi a minha morada no destinatário.

O meu pai está fulo.

Estou farta de ouvir a mesma conversa. "Confio em ti, não confio é nos outros!"; "filho és, pai serás!";

O meu pai não percebe que cresci e trata-me como uma criança. Ao mesmo tempo exige-me que escolha uma área na escola (basicamente o meu futuro).

Estou a contar os dias para fazer 18 anos, arranjar trabalho, tirar a carta de condução e decidir a minha vida.

Ainda faltam 112 dias. Nem de propósito. Socorroooooooooooo!!! Preciso de chamar o 112 para me ajudar a aguentar até ao final das férias.
Será que o Vicente ainda vai gostar de mim? E o meu pai, vai proibir-me de ir à janela?


  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.