sábado, 20 de fevereiro de 2016

Já não há bolachas no armário

A casa está lá, os móveis são os mesmos, a avó ocupou o sofá do avô.


Falta o avô mas, ainda antes de partir, já não havia bolachas no armário.


Desde que me lembro de ser gente, que o armário da casa dos avós estava cheio de bolachas e outras guloseimas.


Este vazio foi o 1.º indício de todas as mudanças que aí viriam. Agora somos nós a levar bolachas.


Parece coisa pouca, mas simboliza muito.

2 comentários:

  1. Assim foi com minha mãe. A gente passa a ser "pai" deles, e isso foi um experiência muito dolorida pra mim. Não sei pra ti?!
    A gente que sempre teve numa posição de se protegida, ter que agora inverter os papéis. Eu sei, é a lei da vida, mas nunca estamos preparados para vermos nossos pais e avós serem levados pela vida.
    :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito duro sim. O meu medo é não conseguir guardar a imagem anterior à doença (a minha avó tel Alzheimer ). Mas consola me todo o amor que lhe dou

      Eliminar

Obrigada por dar vida a este blog.