terça-feira, 25 de outubro de 2016

O Martim podia ser filho de qualquer um de nós

Sempre tive o pressentimento que o desaparecimento do Martim resultava da combinação de um momento de desatenção que o menino aproveitou para explorar o mundo.
Felizmente, parece que não passou disso mesmo e fico imensamente feliz, pelo menino e família cuja aflição não consigo sequer imaginar. Lamento o sofrimento agravado do pai, pelas graves suspeitas que alguns noveleiros inconsequentes levantaram.
Não me venham com conversas. O Martim podia ser filho de qualquer um dr nós
Aqui está quem se perdeu de uma mae e avó extremosas numa feira e tem uma irmã que conseguiu esgueirar-se até se enfiar num prédio das redondezas, as escuras.
Com as crianças mil olhos nem sempre chegam.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.