Alfie - e se fosse connosco?

Creio que ninguém esperaria que o tratamento que o hospital italiano se propunha fazer ao bebé Alfie o fosse transformar num menino perfeito. Mas podia, eventualmente, mantê -lo vivo. O Alfie tinha esse direito. Tal como a senhora que, com 50 anos, teve um avc ao qual sobreviveu com graves sequelas e que a família não se cansa de amar. Assim como cada um de nós. Quem é  o Estado para se substituir a pais e médicos e decidir que o superior interesse do Alfie era morrer? Não compreendo e, muito menos, consigo aceitar esta completa falta de respeito pela vida humana.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Hoje dei os meus impostos por bem empregues

Entre altos e baixos

Só Deus tem os que mais ama