sexta-feira, 29 de junho de 2012

Devoção versus fanatismo

"Anjo da Guarda, minha companhia, guardai a minha alma de noite e de dia" Começa assim a nossa (minha e da Maria grande) oração antes de dormir. Segue-se a oração espontânea "Obrigada Jesus, por seres meu amigo; obrigada pelas minhas tias; obrigada por (...) Eu digo uma palavra, ela diz outra e assim terminamos o dia, sem esquecer de agradecer todas as coisas boas recebidas. Até aqui tudo muito bem. Ontem, eram 05h45, fui arrancada dos braços de Morfeu, com os gritos da Maria grande "quero dizer o anjo da guarda". Queres o quê?!!! "QUERO DIZER O ANJO DA GUARDA" Lá comecei a oração, e a tontinha (que eu pensava estar a sonhar alto) conseguiu dizê-la, direitinha, até ao fim. Depois de acabar, virou-se para o lado e continuou o seu soninho retemperador. Já eu fiquei com uma daquelas dores de cabeça que nem vos conto. Mais tarde consegui voltar a adormecer e, claro, deixei passar a hora. Asseguro-vos que ser acordada de um sono profundo duas vezes é coisa para nos deixar abananados o dia todo. Resultado, estou agora com receio que a moça vire fanática e me obrigue a jejuar e usar um cilício à cintura (sim, que ela é mais do género de fazer propmessas para os outros cumprirem.

2 comentários:

  1. As "Leonorices", por vezes, deixam-nos abananadas!

    ResponderEliminar
  2. Vai comprando o cilício e o chicote. No futuro farão passeios matinais de auto-flagelação pelas ruas de Aveiro, todos os domingos.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.