domingo, 8 de julho de 2012

Quimio versus fertilidade

Não tenho estatísticas (nem interessam para o caso), mas parece-me que Mr Hodgkin tem uma tara qualquer por jovens adultos, na casa dos 20, 30 anos. Muitos destes jovens, como eu, acalentam o sonho de ser (ou tornar a ser pais). A quimio, todos sabemos, pode ter como sequela a infertilidade. Mas não tem de o ser. A prova disso é a minha Benedita. Em todo o caso, só se saberá quando se tentar alcançar esse sonho. Por isso, houver aí desse lado quem esteja a iniciar a caminhada (ou conheça quem esteja), o meu conselho é que, antes de iniciar os tratamentos, perguntem ao vosso médico as alternativas para a conservação de esperma e óvulos. Acho que há uma lacuna a este nível e falta informação sobre uma questão tão importante e sensível. Já contei aqui, há muito tempo, que coloquei essa questão antes de começar a quimio pois, por mero e feliz acaso, tinha lido sobre ela num blogue. Coloquei-a, na altura, por curiosidade e por achar que devia fazê-lo já que ter mais do que um filho era um plano conjunto do casal. Quando saí da consulta, perguntei ao meu marido se achava que devíamos acautelar essa questão e respondeu-me que não, que queria era que eu ficasse boa. Imagino que não tenha sequer passado pela cabeça da médica falar disso a uma mulher que tinha tido um bebé há pouco mais de 15 dias, mas pelo que tenho visto não se dá, ainda, muita atenção a esta questão e é pena.

2 comentários:

  1. Eu que ainda não tinha sido mãe, soube num dia ue tinah cancro da mama e no seguinte estava a fazer quimio. Nem tempo tive para nada. Mais tarde, é que fiquei a saber que os tratamentos podiam-me deixar infertil e fiz 8 quimios, e ninguem me tinha alertado para tal fato. Devia haver mais sensibilidade para essas situações. beijinhos Susana.

    ResponderEliminar
  2. Pois concordo com tudo o que escreveram.

    Comigo também não me disseram logo, quando essa situação surgiu já não havia nada a fazer, infelizmente a 1ª ronda de tratamentos não foram suficientes para eu ficar boa e tive de fazer o transplante.

    Hoje passados 3 anos parece que estou bem, mas infelizmente fiquei esteril e não vou poder ter filhos biológicos.

    Quando soube, fiquei um bocadinho triste, mas agora já estou mais conformada.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.