sábado, 7 de julho de 2012

Pós quimio - a minha experiência

Recentemente conheci mais 2 guerreiros de Mr. Hodgkin que terminaram os tratamentos há pouco tempo e me fizeram algumas perguntas. Vou tentar responder a tudo. Fico muito contente por poder ajudar de alguma forma. Como sou muito esquecida e desorganizada (até no discurso oral), prefiro escrever (a cabecinha não dá para mais). O meu linfoma era estadion IV (encontrava-se acima e abaixo do diafragma). Fiz 6 ciclos de quimio (12 sessões) ABVD, que terminei em Dezembro de 2009. A minha médica não me recomendou nenhum cuidado especial. Claro que devo ter cuidado com o sol (mas isso todos devemos ter) e procurar ter uma alimentação diversificada e equilibrada (esta é a parte mais complicada para mim e já o tinha sido durante a quimio). Como em tudo, há milhões de teorias distintas, e contraditórias, sobre o que se deve, ou não, comer, algumas das quais envolvem verdadeiras teorias da conspiração. Já contei a triste história do homeopata que disse que eu estava a envenenar-me por beber leite de vaca e fez um discurso sobre o lobbie da indústria de lacticínios. O essencial, a meu ver, é confiar no médico que nos segue. Informação a mais, por vezes, só nos prejudica. Depois de falar com aquele homeopata fiquei de rastos (a parte do leite foi, como sabem, só uma amostra das atrocidades que me disse). A minha querida onco-hematologista marcou-me consulta de nutrição lá no IPO e a resposta da nutricionista foi clara. EQUILÍBRIO E DIVERSIDADE. Evitei certos alimentos durante e algum tempo após a quimio, pelo facto de ter o sistema imunitário enfraquecido e por serem alimentos mais propensos a causar alergias (caso do marisco). E, curiosamente, foram os mesmos alimentos que tive de evitar durante as gravidezes. Quanto às sequelas. Ainda tenho uma ou outra marca na pele, pois a quimio tem um fármaco que escurece a pele e ficaram marcados alguns dos arranhões que fiz à conta da cominhão. As unhas do dedo grande de cada pé, ainda estão esquisitas. Pensava que era um fungo, mas o médico da pele disse-me, ainda na semana passada, que era um descolamento e com o tempo iria resolver-se - ainda só passaram 2 anos e meio :) De resto, nem sei bem. Sempre que alguma coisa corre menos bem, pergunto-me sempre "será efeito da quimio?", mas a verdade é que não sinto nada de especial. Talvez mais dificuldade de concentração (mas lá está, não posso garantir que tenha sido da quimio). A infertilidade era uma possibilidade, mas graças a Deus (e como sabem) não aconteceu. Engravidei (inadvertidamente) 6 meses após a quimio. Claro que fiquei em pânico e corri para os braços da minha onco-hematologista que ficou toda contente, quando lhe contei a notícia ao telefone. Lembro-me de, com o stress, lhe ter dito "está-se a rir?!!!". Quando falei com ela pessoalmente, disse-me que tinha estado a ver alguns estudos e que nada indicava que aquela gravidez me fosse trazer algum problema. Sentir-se-ia era mais segura que eu não teria nenhuma recidiva, se já tivesse passado mais tempo. Mas ainda assim, a hipótese de recidiva (mais ou menos remota) pairará sobre o ar. Depois de a onco-hematologista ter pensado na perspectiva mãe, foi a vez de a obstetra falar na perspectiva Benedita e me dizer, com toda a segurança, que o facto de ter feito quimio não teria qualquer influência no embrião, porque não estaria já exposto a qualquer fármaco. Uns tempos antes tinha lido existirem estudos sobre a possibilidade de a mãe transmitir o cancro ao bebé durante a gestação. Falei nisso à minha médica ( a propósito da Leonor) e a resposta foi esta "isso não é uma dúvida". Queria ela dizer que não tem qualquer fundamento a teoria. E eu acredito, porque tenho outra das melhores médicas do mundoo. Assim, e em resumo, confiem no vosso médico e eventualmente (caso sintam necessidade) procurem uma 2.ª opinião. Cada caso é um caso e o pior que pode acontecer é dar-mos ouvidos aos vizinhos "doutores".

5 comentários:

  1. Ola, eu sou a Cidalia e tive um linfoma de Hogkin ha 14 anos, estadio IV B. Fiz 16 ciclos de quimio e 1 mes de radio, mas fiquei curada e estou optima, nunca mais tive qualquer recidiva.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Cidália. Obrigada pela visita e pelo testemunho, tão importante para nós que ainda não passámos a famosa barreira dos 5 anos.

    Parabéns pela vitória.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  3. ola Susana! O meu nome é Silvia, e estou em remissão fez dia 15 de Junho 5 anos, de um LH estadio IV. Tambem fiz os 6 ciclos de ABVD... Também tento ter algum cuidado... não me esqueço nunca, e primeira regra.. o meu descanso está primeiro!! Também continuo a ter algum cuidado com a aalimentação... é claro que com o tempo há coisas que não comia e agora esporadicamente como... E minhocas de vez em quando aparecem na minha cabeça... e mais quando chega a altura da reavaliação, de resto vidinha normal!! E aproveitar todos os dias da melhor forma!! beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Parabéns Sílvia. Obrigada pela partilha. Qualquer dia temos de organizar uma festarola todos juntos.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  5. Olá, fico muito feliz por ver tantos vencedores.

    Eu sou a Gigi, tive um LH em estadio II A, fiz metado do protocolo Standford V e 9 meses depois recaí.

    Depois fiz 4 ciclos de ESAP, com remissão no final do 1º ciclo, mas com nova recaída entre o 3º e o 4º.

    Assim tive de fazer um Auto-tranplante e há 3 anos que estou toda boa.

    Tenho imensos cuidados.

    Beijos grandes.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.