sábado, 11 de agosto de 2012

Enjoadinha de férias

A dois dias (úteis) de  entrar em férias, posso dizer que já estou enjoadinha da palavra férias.

Há algo contraditório no conceito que, supostamente, devia ser sinónimo de tranquilidade.

A malta anda o ano todo ansiosa pelo momento e, quando ele se aproxima, a histeria começa a instalar-se. É o stress de ter de deixar uma série de coisas orientadas (multiplicado quando tal depende do trabalho de colegas que, por suas vez, também têm de o fazer para outros), o aumento do trabalho pela necessidade  de substituir colegas já em férias e, cereja em topo do bolo, o berbicacho que teima em surgir em vésperas daqueles dias que, sonhamos, relaxantes.

Depois é o regresso à pilha de papéis que se foi acumulando na secretária e o aumento de trabalho ... pela necessidade de substituir colegas que estão de férias.

Cansativo só de pensar.

Felizmente a Troika percebeu o quanto esta situação pode  perturbar,  não só a economia mas também a estabilidade emocional, e resolveu dar uma ajudinha, sensibilizando os responsáveis políticos para a necessidade de a minimizar. Para o ano o stress, e o número de dias de  férias, serão menor.

Ainda assim, tenho saudades do tempo em que ficava enjoadinha ao fim do 2.º mês de férias ( e ainda tinha de suportar o suplício de mais um mesinho longe da escola e dos meus amigos).

Vá-se lá compreender a mente humana.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.