domingo, 12 de agosto de 2012

Eu e o fumo, o fumo e eu

Tenho, com o acto de fumar, uma relação de tolerância/ódio.

Lembro-me de um dia, em que estava a passear à beira do mar, e o meu pai me disse "se eu sei que tu andas a fumar dou-te uma coça". Assim mesmo, curto e grosso, utilizando um método pedagogicamente duvidoso que Piaget dificilmente apoiaria.

Não sei se a culpa foi do medo de levar uma coça, só sei que, até à data, nunca toquei num cigarro. E não foi por dificuldade de acesso (a prestimosa D.ª Esmeralda encarregava-se de os vender avulso, mesmo em frente à escola).

Quando o meu padrinho morreu, com cancro, fiquei com um ódio de morte ao tabaco que, com grande probabilidade, contribuiu para todo o sofrimento que passou.

Quando via alguém a fumar apetecia-me ir em direcção à pessoa, abaná-la, insultá-la (de burra para cima) e, no final, espetar-lhe um murro em cheio no nariz.

Continua a fazer-me muita confusão que as pessoas continuem a fumar, sabendo todos os perigos que correm, especialmente quando essas pessoas (e não são assim tão poucas) estão em frente ao IPO.

 Actualmente ninguém pode alegar desconhecimento quanto aos riscos que incorre ao fumar. Os próprios maços, numa medida que considero de extremo mau gosto, enunciam todos os perigos.

Por outro lado, quando páro para pensar, percebo que não sou ninguém para criticar. É certo que nunca fumei e detesto bebidas alcoólicas, mas a minha alimentação está longe de ser saudável e assumo que não faço muito para inverter o cenário.

E das piores coisas que pode acontecer a quem está doente (pelo menos para mim foi) é alguém insinuar que a culpa é sua.

Daí que não tenha qualquer legitimidade para censurar seja quem for, mas lá que me mete confusão isso mete.

1 comentário:

  1. com os conhecimentos que fui adquirindo ao longo do tempo, aconselho vivamente os fumadores, a passarem uma semana das suas férias, como voluntários num hospital de oncologia, numa parte onde as doenças sejam, em parte, derivadas do tabagismo! Penso que passaria a haver muito menos maços de tabaco vendidos...

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.