quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Quanto vale saber escarrar

Em 1.º lugar peço desculpa pelo título pouco simpático, e até nojento, mas preciso mesmo de desabafar.

A Leonor não sabe escarrar (verbo utilizado pela pediatra) e recusa-se, terminantemente, a tentar fungar.

Como resultado destas suas características, encharca os pulmões e daí até à febre é um instantinho.

À conta disto já lá vão cerca de 200 euritos este mês, entre consultas, medicamentos e sessões de cineseterapia.

O que custa não é propriamente o dinheiro, apesar de conseguir imaginar 1001 maneiras de o empregar melhor, mas aturar uma menina que, já em condições normais, é temperamental (como gosta de dizer a avó Lili).

A Benedita consegue escarrar e já funga muito bem. As proezas não são, porém, suficientes e a rapariga tem tendência a entupir os canais auditivos e, consequentemente, fazer febre.

Este mês não me posso queixar dos custos, pois foi à pediatra na onda da irmã.

Agora imaginem estas duas enfiadas em casa, doentes. E imaginem a Leonor a acordar da sesta e ir directamente para o colo da fisioterapeuta para fazer a sua ginástica respiratória.

A Leonor berrou durante uma hora. A Benedita, que nem é muito de colo, aproveitou todos os segundinhos de distracção para se aninhar no colo da fisioterapeuta que devia estar a maldizer a sorte que lhe calhou hoje na rifa.

Como se não bastasse, o papá telefonou a dizer que ia a caminho do médico. Mais uma amigdalite ou não me chame eu Susana Alice.

Tem sido um circo o dia todo e a palhaça sou eu, naturalmente, que só me apetece fugir de casa.

Ainda se segue o banho e as nebulizações.

Socorroooooooooooooo, tirem-me deste filme.


1 comentário:

  1. As melhoras da família. Este tempo não está a ajudar.

    beijitos.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.