sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Gestão de emoções - desejo para 2013


Há dias falava com alguém, que me dizia que o cansativo não é trabalhar (e é alguém que trabalha muiiiito), mas gerir as emoções.

Aquilo que esperam e exigem de nós. Os julgamentos sumários quando não damos resposta no mesmo segundo.

Percebi bem o que me estava a dizer. Sinto exactamente o mesmo.

Gerir emoções e feitios, e andar com paninhos quentes de um lado para o outro, é das coisas mais esgotantes que pode haver. Viver em sociedade é difícil.

Todos somos e sentimos de forma diferente, mas poucos se preocupam em perceber porque é que o outro é ou sente daquela forma.

Poucos tentam ir além das aparências e procurar saber porque é que aquela pessoa não atendeu o telefone na hora em que precisámos, porque é que falou de forma menos simpática (...).

A tendência imediata é criticar e elaborar teorias da conspiração absurdas. E vamos vivendo num clima de constantes guerrilhas que vai minando tudo à volta.

Falta muita  tolerância neste mundo em que vivemos e é no sentido de inverter esta situação que vão os meus desejos para 2013.

Olhemos menos para o nosso umbigo e mais para o daqueles que nos ladeiam.

A vida tornar-se-á, certamente, mais leve.


4 comentários:

  1. E não te esqueças, que as pessoas com o feitio um pouco pior, que não gastam tantas energias a gerir as emoções, parece que vivem mais 2,5 anos que os outros.

    beijocas.

    ResponderEliminar
  2. Pois, já tinha ouvido essa teoria.

    Eu preferia paz de espírito, Gigi

    Uma beijoca grande

    ResponderEliminar
  3. é tudo muito lindo, mas, a quem se concede mais tolerância, é, por norma, quem não merece nenhuma, quando muito uma trolitada na cabeça com um bastão de basebol; mas, já que vamos mudar de ano, vou esquecer o bastão e tentar ser generosa para quem não o é!

    ResponderEliminar
  4. Esquece lá o bastão Lili, não me apetece ir visitar-te à pildra

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.