Terrible two



Sou grande defensora da língua portuguesa, mas não descobri expressão que, em poucas palavras, melhor descreva a fase que a minha mais nova está a atravessar "terrible two".

Pois é, a rapariga está na terrível fase dos dois anos ou adolescência dos bebés, aquela na qual, segundo os estudiosos, os bebés descobrem que são um indivíduo e resolvem começar a afirmar a sua personalidade deixando de acatar as orientações dos adultos.

Recuando dois anos, lembro-me que foi aos dois que a, até aí doce, Leonor mudou muito.

Posso, por isso, confirmar com dois exemplos concretos que é aos dois anos que "a porca começa a torcer o rabo".

Vendo a definição desta etapa do desenvolvimento, o que me preocupa é que as minhas filhas, em especial esta mais pequena, nunca acataram as ordens dos adultos.

As pequena têm pêlo na venta e se a Leonor tem dado que fazer, com a sua forte personalidade, a Tita parece querer ultrapassá-la.

A nossa "macaquinha de imitação rafeira" (como a apelidou a mana) tem um feitiozinho refinado. NÃO (dito por ela) é NÃO e qualquer tentativa de a demover implica riscos físicos. Ele é pratos pelo ar, mergulhos para o chão, unhas espetadas e dentes cravados na pele. Vale tudo para que percebamos o seu ponto de vista.

Só se acalma com uma boa morcela, um queijinho curado ou um pedaço de redanho (fico enjoada só de pensar).

Diz que os "terrible two" passam lá por volta dos tês anos. Não quero assustar ninguém, mas a Leonor já tem quatro.

Medoooooooo

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Um queixo suturado e um coração rachado

Hoje dei os meus impostos por bem empregues

Só Deus tem os que mais ama