segunda-feira, 29 de julho de 2013

Uma aventura na esteticista - triste sina a minha

Se querem ver-me com uma grande neura, é marcarem-me uma ida à esteticista.

Vou muito contrariada e a chorar todos os minutos que lá passo, que até a passar roupa a ferro seriam mais agradáveis.

Gosto do resultado final, mas os meios são demasiado dolorosos para meu gosto.

 E eu só faço lá as sobrancelhas ... pelo menos até sábado, altura em que fui apanhada à traição.

Por uma questão de proximidade, resolvi marcar hora  numa esteticista onde nunca tinha ido.

Logo eu, que sou tão sensível e já devia saber que esteticistas são como o Amor. Só há um na vida, no qual devemos investir e atrás do qual devemos correr até ao fim do mundo.

Pois bem, arrisquei ir a uma esteticista desconhecida e com a qual não sentia (mesmo sem conhecer o trabalho) grande empatia. O que se lá passou veio a dar-me razão, infelizmente.

Quando me apanhou de olhos fechados, a senhora resolveu espetar-me com um cataplasma de cera de um dos lados do buço. Ainda pensei gritar e avisá-la que só tinha marcado sobrancelhas, mas lembrei-me que seria inútil, pois a cera já estava agarrada.

Fiquei para morrer, como diria a minha avózinha. Naquele instante, entre outras coisas, percebi porque é que todas as esteticistas me perguntam se vou fazer o buço. Pelo que senti ao arrancar aquela porcaria, tenho mais pêlos do que supunha.

As sobrancelhas foram feitas "às três pancadas", mas só queria sair dali pelo que nem lhe disse nada.

Certo, certo é que a mim não me arranca nem mais um pelinho.

3 comentários:

  1. Será a mesma esteticista a que eu fui durante a minha última visita a Portugal? Eu levei um ralhete por não ter feito a depilação nas pernas a cera durante o inverno...

    ResponderEliminar
  2. Pois deve ser mal da profissão.

    Nunca tinha feito nem o buço, nem as sobrancelhas, sou do tipo loiro e acho que não se nota os pelinhos no buço e as sobrancelhas sou como a Malu mader, adoro sobrancelhas groças.

    Cero dia, entro numa esteticista que adoro, que é uma querida para tirar pelos das pernas e venho de lá nua e com um ralhete:

    Eu não a posso deixar sair com esse bigode e pimba tirou; Já agora vamos arranjar as sobrancelhas e pimba....

    Ela é uma querida, mas eu continuo a achar um bocado pré-histórico tirar pelos que certamente ainda me vão fazer falta.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.