segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tenho na minha carteira a módica quantidade de ....

Este fim de semana resolvi fazer uma arrumação à minha carteira dos documentos e cheguei à conclusão que carrego para cima de 30 cartões das mais variadas lojas.

Isto, a somar aos incontornáveis documentos e ao, levezinho, cartão de débito.

Esta situação, bem vistas as coisas ridícula, é reveladora da mais actual tendência do marketing e que passa por amarrar o consumidor com a ilusão de só ter a ganhar com o regresso à loja.

Juntamente com as sms de 5.ª feira,  nas quais são prometidas vantagens exclusivas a quem, como eu, faz questão de se pôr a jeito ao alimentar as bases de dados de todos os cantinhos por onde passa, a malta acaba por ficar agarrada ao vício dos cartãozinhos.

Começo a crer que este vício é capaz de explicar muitas das escolioses que por aí andam e não devo andar muito longe da verdade.

4 comentários:

  1. Aqui na Suécia a coisa vai um bocadinho mais longe e em algumas lojas o número de cliente é mesmo o chamado "número pessoal", que é o número que se usa para TUDO o resto. Tudo mas rigorosamente tudo fica registado sob esse número... idas ao hospital e ao centro de saúde, receitas médicas, frequência da escola, filmes alugados, número de telemóvel, todo o tipo de contratos assinados... e, é claro, as compras feitas em certas lojas. Digamos que o governo deve ter uma bela base de dados... Mas pelo menos não é preciso andar de cartão atrás :) Está tudo informatizado e por isso basta dar o número pessoal e a pessoa detrás do balcão trata do resto! Coisas do demo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. até que o sistema sueco nem é mau!

      Eliminar
    2. pois, big brother foi a iamegm que me passou na cabeça ao ler o comentário sobre o sistema sueco :)

      Eliminar

Obrigada por dar vida a este blog.