sábado, 14 de dezembro de 2013

"O último abraço que me dás"

Confesso que, sem que tenha lido nenhuma das suas obras, não simpatizo muito com o António Lobo Antunes.

Mas hoje, ao ler este texto, fiquei apaixonada.

Perdoem-me alguma altivez, mas tenho de avisar que só quem já passou por uma sala de quimio (especialmente enquanto paciente) é que vai conseguir perceber quão profundo é aquilo que o Lobo Antunes escreveu.

Revejo-me completamente no que diz e estendo os elogios ao pessoal do Hospital de Dia do IPO do Porto.

Só de recorrer à memória visual, para me lembrar do espaço, consigo sentir o cheiro característico e incomodativo daquele local e vem-me à boca o sabor a químicos.

Acho que nunca o esquecerei, mas não esquecerei também a resiliência e vontade de vencer que paira naquele local.

Memórias que ajudam a saborear uma vitória suada.

E como diz a minha querida Gigi "incha porco"

7 comentários:

  1. Texto magnífico...já o tinha lido e embora não tenha passado eu própria pela quimio, tenho acompanhado de perto infelizmente essa realidade...revi tudo através do texto...!
    Bjs

    Maria

    ResponderEliminar
  2. e porque a vida não é só trabalho (sou aquela que te tem agradecido as explicações jurídicas do código do trabalho!), deixo um beijinho, porque não sabendo o que é passar num serviço de oncologia (a minha mãe acabou por ser tratada num hospital privado), consigo imaginar um pouco ... as sensações....
    Deixo apenas um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo mimo :)
      Espero que a tua mãe recupere rapidamente
      beijinhos grandes

      Eliminar
    2. Obrigada eu... mas a minha Mãe... infelizmente faleceu... era no pâncreas... há 5 anos...
      Beijinhos

      Eliminar
    3. Lamento imenso. Fiquei sem palavras. Imagino a dor Um grande beijinho e um abraço apertado

      Eliminar

Obrigada por dar vida a este blog.