quarta-feira, 7 de maio de 2014

Não existem acasos

Sendo uma pessoa de fé, acredito piamente que não existem acasos.


E ontem tive mais uma prova disso mesmo.


Se repararam no post anterior, a tarde de dia 6 de Maio foi passada em combate.


Esperei, e ansiei, muito por esse momento. Não porque goste de conflitos (muito pelo contrário) mas para ver se este capítulo da minha vida se encerra com a maior rapidez.


Como sabia que iria ter um longo período de espera resolvi levar o livro que recebi no Dia da Mãe "O que aprendi com a minha mãe", da Helena Sacadura Cabral.


E não foi por acaso que recebi este livro, sobre valores e princípios, numa fase em que me confronto precisamente com uma situação originada pela falta deles.


Muito menos foi por acaso que o escolhi ler numa tarde de tanta inquietação.


O livro está escrito de forma muito transparente e directa. Identifiquei-me com todos aqueles episódios relatados.


Vi neles a minha avó e mãe e, para meu espanto, acabei a lamentar a desdita dos causadores de toda a situação pois, com toda a certeza, não tiveram uma mãe que lhes transmitisse princípios e não conhecem outro valor para além do do vil metal. Ou se a tiveram (também não quero ser injusta) não aprenderam nada com ela.


Obrigada Helena Sacadura Cabral.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.