quarta-feira, 7 de maio de 2014

Pirilampo Mágico, esse semeador de discórdia

Esta manhã lembrei-me de comprar 2 Pirilampos Mágicos, um para cada menina, na esperança que o bichinho não viesse a ser motivo de disputa


Até há uns 3 anos atrás, nas minhas teorias, jamais compraria dois pois as crianças têm de aprender que não podem ter tudo o que querem (blá,blá,blá).


Em abstracto continuo a pensar o mesmo, mas a falta de paciência para aturar guerras fraticidas fez-me optar pelo que me pareceu mais seguro.


Só me esqueci de um pequeno pormenor. Os Pirilampos Mágicos (que adoraram) são exactamente iguais o que, como está bom de ver, originou logo uma discussão sobre "o meu e o teu".


Vai dai, sugeri à Leonor que escrevesse o nome na fita do dela.


Mais um tiro ao lado, porque o raio da tinta da caneta alastrou pelo tecido, manchou-o todo e os gritos transformaram-se em choro de desolação.


Eis que surge o pai em cena e sugere que se corte a fita, o que ajudaria também a diferenciar os Pirilampos Mágicos.


Sugestão efectuada, o pai corta a fita ao Pirilampo e a Benedita começa a reclamar para o faça o mesmo ao Pirilampo dela.


Em resposta, o pai sugere que troquem de Pirilampos, passando a Leonor a ficar com aquele que mantinha a fita já que o corte da mesma não havia sido uma escolha.


A solução foi, obviamente, contestada de forma ruidosa pela Benedita.


Resultado, dois Pirilampos sem fita.


O que vale é que, depois de tantos filmes, me parecem que já se esqueceram dos bichos.


Ah ... e ajudei a FENACERCI.











Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.