quinta-feira, 15 de maio de 2014

Perder e ganhar é desporto (vem este post a propósito do Benfica e de muitas outras coisas na vida)

Ontem, no final do Benfica-Sevilha, veio-me à cabeça esta frase, tantas vezes repetida pelo professor Pereira, na escola primária, "perder e ganhar é desporto".


Sempre a entendi como uma forma simples de dizer que devemos dar o nosso melhor em tudo aquilo que fazemos. Se ganharmos tanto melhor, mas isso nem sempre é possível. O importante é que sintamos que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance.


Tenho tido algumas "discussões domésticas" com o papá cá de casa acerca desta máxima que quero que as nossas crias interiorizem, pois os nossos conceitos não são totalmente coincidentes mas, com calma, sei que chegarei lá.


Nem de propósito, quando liguei a televisão esta manhã esta um comentador sabichão a dizer que as vitórias do Benfica nas competições internas desta época tinham perdido todo o valor após esta derrota frente ao Sevilha e que nem uma eventual vitória da Taça de Portugal iria mudar essa situação porque o Rio Ave .....


Esra cabecinha pensadora culpou ainda o Jorge Jesus por dizer sempre que o que interessa é jogar as finais e não ganhar.


Não percebeu este senhor (e muitos outros que por aí andam) que chegar "jogar a final" só é possível quando houve muitas vitórias anteriores, que há duas equipas em campo, a bola é redonda e só uma pode vencer.


Mas ok, sei que será inútil estar para aqui a debitar as minhas convicções.


E sei também que o futebol e qualquer outro tipo de competição é, mais do que desporto, uma forma de a malta descarregar o stress e as frustações.


A partir do momento em que vemos um pai a apontar uma arma ao árbitro de um jogo de futebol entre infantis (notícia lida esta semana), não admira que existam adeptos de outros clubes a comemorar a vitória de uma equipa estrangeira face a uma portuguesa (que é isso do patriotismo, senão uma quimera?).


Uma coisa é certa, para mim, o Benfica está de parabéns. Tal como o Sevilha. E o Jesus, o Cardozo.


Para não falar no homem do jogo, o Beto.


Para mim, uma  vitória moral não deixa de ser vitória. Não dará tanto reconhecimento e dinheiro, é certo, mas demopnstra qualidade e mérito.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.