sexta-feira, 27 de junho de 2014

Ronaldo e a viúva

Só depois de publicar o post sobre o jogo de Portugal com os Estados Unidos, no qual mandava uma boca ao facto de a selecção ter levado o cabeleireiro para o Brasil, é que vi que o facebook estava inundado de elogios ao CR7 pois o penteado novo seria uma forma de solidarizar com um menino uja operação ao cérebro teria sido paga por ele.


Fiquei com remorsos por ter feito a piada e pensei retratar-me, mas resolvi esperar algum tempo para perceber a veracidade da notícia.


O Ronaldo nunca confirmou nem desmentiu (creio eu) e a família do menino terá dito que o Ronaldo se tinha efectivamente comprometido a pagar a operação mas que, infelizmente, "esse dia ainda não chegou".


Aqui chegado, vou ao ponto da questão que mais me tocou neste episódio e que foi o facto de haver quem ache que uma pessoa que ganha milhões é muito boazinha só por doar 60.000€ para salvar a vida de uma criança.


Atenção que não estou a fazer juízos de valor sobre o Ronaldo, do qual só sei que é muitó unido à família e, dizem, muito dado ao amor e gosta de mudar de look com frequência.


O que quero dizer é que, por si só, esse gesto (no pressuposto de que aconteceu e até acredito que sim, pois a caridade não se anuncia) não faz de alguém um santo, nem daqueles que brincaram com o seu penteado uns monstros.


Eu diria até, parafraseaando a minha avózinha, "olha que grande franqueza que ele fez; com esses rendimentos também eu doava 60.000€ e várias vezes".


Não sei se o Ronaldo pagou a operação ou não, nem me interessa. Sei que esta história me fez lembrar a Parábola da viúva pobre e das duas moedas que deu.


Agora estou curiosa por saber se o penteado que o CR7 tinha no jogo contra o Gana era homenagem ao ex- árbitro Pedro Henrique (a associação não foi feita por mim, mas parece ter todo o cabimento).



Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.