terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Nem tudo vem parar ao blogue

É frequente dizerem-me que sabem que está tudo bem connosco, porque vão lendo o blogue.


Não costumo contrapor, mas a verdade é que nem tudo (de bom ou mau) vem parar ao blogue. A minha vida é muito mais do que aquilo que escrevo e mau seria se não o fosse.


Bem ou mal, vou tentando fazer uma triagem para salvaguardar aquilo que é nosso e só merece ser partilhado dentro de portas (nossas e dos mais próximos).


Nesta fase, em particular, tenho alguma dificuldade nessa triagem.


A Leonor, no alto dos seus quase 7 anos, lida mal com aquilo que lhe parece ser a exposição da sua vida e está frequentemente a pedir-me que não conte a ninguém (pai incluído). Claro que entre as coisas que quer ver preservadas, encontram-se as suas (muitas) traquinices mas nem só.


Há dias comentava isto com  a minha irmã do meio que, com a sua frontalidade, me lembrou que a Leonor nem sonha que escrevo tudo aqui. Mais uma vez não contrapus, pois trata-se de um exagero, mas o que é certo é que me deixou a pensar.


A Leonor e a Tita têm direito à sua privacidade e não tenho direito de a colocar em causa, ainda que no prédio todos conheçam a sua vida tal a intensidade com que a gritam. A questão é até onde devo ir.


De modo que ando mais reflexiva sobre aquilo que pode e deve ser este blogue que não é suposto ser temático mas, ultimamente, tem incidido muito nas patroas.

2 comentários:

  1. Acho que fazes bem em fazer a triagem porque infelizmente nem toda a gente é bem intencionada, o que se aplica também às pessoas que visitam blogues. E como dizes as meninas têm direito à sua privacidade, especialmente à medida que vão crescendo. Mas é uma questão de bom senso e de decidir caso a caso. Há muito tempo que penso em coisas do género e isso quase me levou a fechar o blog. Agora tento não pensar demasiado antes de publicar, e vou aprendendo com os meus erros.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.