sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O peso excessivo das mochilas e a excessiva dependência de legislação

Hoje discutiu-se no Parlamento uma petição contra o peso excessivo das mochilas escolares. O tema é muito pertinente e há que dar-lhe a devida atenção sem dúvida.
Aqui está quem ficou com as costas feitas num oito à conta de peso a mais na mochila, tanto quanto a estupidez de insistir usar, para transportar os livros, um saco de desporto carregado ao ombro só por achar que aquilo dava um ar cool.
Daí até concordar que se legisle nos termos propostos na petição  (ver excerto abaixo) já são outros quinhentos.
Custa-me pensar que se tenha de legislar sobre algo que devia resultar do bom senso de todos e que todos sejamos vistos como trogloditas que só sabem viver em sociedade sob ameaça do chicote.
As escolas devem ter condições para que os meninos possam guardar o material, os meninos devem ser esclarecidos sobre o mal que lhes faz andar com a casa às costas e ter noção do que necessitam, ou não, de levar em cada dia. Por sua vez, os pais devem ter o cuidado de ir supervisionando as mochilas e serem chatos ao obrigar os meninos as esvazia-las de coisas supérfluas. Posso garantir que se encontram coisas inacreditáveis nas mochilas dos meninos. Já cheguei até a pensar colocar uma câmara de vigilância à porta de casa.

É um problema, mas nem todos os problemas se resolvem com leis. Digo eu na minha inocência.




Aqui está parte da petição que, gostava de frisar, considero muito válida quanto a mim no que diz respeito à chamada de atenção para o problema:

"
1 - Uma legislação, com carácter definitivo, que veicule que o peso das mochilas escolares não deve ultrapassar os 10% do peso corporal das crianças, tal como sugerido por associações europeias e americanas.

2 - A obrigatoriedade de as escolas pesarem as mochilas das crianças semanalmente, de forma a avaliarem se os pais estão conscientes desta problemática e se fazem a sua parte no sentido de minimizar o peso que os filhos carregam.
Para tal, cada sala de aula deverá contemplar uma balança digital, algo que já é comum em muitas escolas, devendo ser vistoriada anualmente".



Posso estar totalmente errada, admito até porque como disse o Professor Júlio Gomes

"(…) se todos fôssemos anjos ou santos, a lei não seria provavelmente necessária…" 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.