sexta-feira, 24 de março de 2017

Quando o Azar nos conforta

É o Azar que origina a maioria dos cancros. 66, 6% dos casos, para ser mais precisa, surgem como consequência de mudanças genéticas aleatórias e não de factores externos como o ambiente e hábitos de vida.

Esta conclusão não decorre do meu empirismo mas de um estudo científico sobre o qual podem ler AQUI  e dá resposta a muitas questões se nos colocam perante um caso de cancro, em especial o porquê de o gajo também atacar quem segue à risca todos os comportamentos saudáveis possíveis e imaginários.

Não é o meu caso, diga-se. Apesar de me poder orgulhar de nunca ter sequer dado uma passa num cigarro e beber muito pouco álcool, não digo o mesmo quanto ao exercício e alimentação, mas adiante.

Sou uma das que teve Azar porque o meu tipo de cancro (linfoma de Hodgkin) será um desses que não precisa da envolvente externa para se revelar.

Paradoxalmente, esse Azar dá-me um conforto inexplicável.

A ideia de poder ter contribuído para adoecer deve ser de enlouquecer. Já ser acusada dessa contribuição, garanto que é de uma violência atroz.

Seja como for, é sempre um Azar. E não é há cá culpas de ninguém.

As palavras chave serão sempre as mesmas e comuns a todos - prevenção e detecção precoce. Atender aos sinais do corpo é meio caminho andado para uma e outra.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.