Dar de graça

Por estes dias, enquanto completava a colecção de cartas do PD, a patroa mais velha mostrou-me vezes sem conta aquelas que lhe tinham sido dadas "de graça".
Lá lhe explique, outras tantas vezes, que aquilo que é dado não tem contrapartida pelo que não precisava da acrescentar o "de graça".
Terá tempo para perceber que no mundo dos crescidos a coisa não é assim tão linear e há almocos só aparentemente grátis.
Divagações à parte, temos uma montanha de cartas repetidas para dar "de graça" e, por favor, sem contrapartidas. Os interessados que se acusem.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Um queixo suturado e um coração rachado

Hoje dei os meus impostos por bem empregues

Só Deus tem os que mais ama